PUBLICIDADE

Mini-horta em casa: tenha o poder das ervas ao alcance de suas mãos

Saiba como fazer uma mini-horta e os benefícios de cada planta

3 nov 2021 15h08
ver comentários
Publicidade
Saiba como fazer uma mini-horta e os benefícios de cada planta - Shutterstock
Saiba como fazer uma mini-horta e os benefícios de cada planta - Shutterstock
Foto: João Bidu

Que tal um arroz com alecrim fresquinho para o almoço de hoje? E um chá de hortelã com folhas colhidas na hora para o lanche da tarde? Isso não é privilégio somente de quem mora no campo. As mini-hortas podem ser montadas em casas e apartamentos e garantem mais sabor à mesa. Aprenda como fazer e quais são as ervas mais indicadas e seus cuidados.

COMO SERÁ O SEU DIA HOJE? DESCUBRA TUDO HORÓSCOPO DIÁRIO NO SITE DO JOÃO BIDU! LÁ TEM TODAS AS TENDÊNCIAS ASTRAIS PARA O SEU SIGNO! 

Itens básicos

• Vaso ou jardineira

• Argila expandida

• Manta para drenagem

• Terra vegetal

• Mudas ou sementes

Preparo

A melhor forma de cuidar da sua horta é fazer uma boa estrutura para que as plantas se desenvolvam com saúde.  Por isso é indicado fazer o plantio com drenos, colocando uma pequena camada de argila expandida, um pedaço de manta para evitar que a terra passe pelo buraco do vaso e utilize uma boa terra vegetal. 

Onde?

Seu vaso com temperos pode ficar na janela ou até mesmo em cima da pia. O importante é que o local seja iluminado e o sol bata pelo menos uma parte do dia. Você pode utilizar jardineiras, cachepôs e vasos de fibras de coco. Tudo depende do espaço disponível para fazer a sua hortinha.

Cuidados

Regue diariamente uma quantidade suficiente para umidificar a terra, sem excessos. Se aparecer alguma praga, trate imediatamente com produtos específicos e preferencialmente naturais, já que essas plantas irão entrar na sua alimentação.

O que plantar?

Manjericão, alecrim, tomilho, capim-cidreira, poejo e hortelã são as espécies mais usadas para este tipo de cultivo, já que são as mais resistentes e fáceis de criar mudas.

Conheça mais sobre cada plantinha indicada para uma mini-horta

Salsa

É um tempero de origem mediterrânea que se encaixou muito bem à culinária brasileira. De fácil cultivo, a salsa possui efeitos anti-inflamatórios e fortalece o sistema imunológico. Irrigação: o solo deve ser mantido úmido, porém nunca encharcado.

Luz: é melhor cultivada em climas amenos, de até 22°C. Mas é uma planta que suporta bem as mudanças de temperatura. Em clima mais frio, a dica é cultivá-la sob sol pleno.

Adubação: durante o plantio, é indicado preparar um solo rico em matéria orgânica e bem drenado, e realizar adubação a cada 30 dias.

Orégano

Uma das ervas aromáticas mais usadas na cozinha, o orégano pode ser usado em pizzas, peixes, carnes, saladas, sopas e até suco de tomate. Ele tem alto poder antioxidante, protegendo o corpo de inflamações e envelhecimento precoce.

Irrigação: o solo deve ser mantido levemente úmido, por isso as regas devem ser frequentes. Luz: necessita de alta luminosidade, sendo o contato com a luz direta do sol necessário por pelo menos algumas horas do dia.

Adubação: deve ser feita a cada três meses com composto orgânico.

Sálvia

Seu chá é utilizado para limpar as impurezas do organismo. Já na culinária, a erva acompanha massas, legumes e saladas. Além disso, ela pode servir como aromatizador de ambientes natural, já que a fragrância induz ao relaxamento.

Irrigação: a rega deve ser feita de 2 a 3 vezes por semana. Evite encharcar a terra.

Luz: o ideal é escolher um local que bata sol, mas a sálvia se adapta a lugares frios e com pouca iluminação.

Adubação: é recomendado preparar a terra com adubo antes do plantio e utilizar fertilizantes para manter a planta saudável.

Erva-doce

Usada em chás medicinais, a erva-doce também pode ser usadas em receitas culinárias para conferir sabor especial a bolos e pães. Ela ainda ajuda a melhorar má digestão, mau hálito, prisão de ventre e gases.

Irrigação: a planta deve ser irrigada uma vez ao dia, de manhã ou à noite. A terra não deve ficar encharcada.

Luz: a planta precisa tomar sol pelo menos uma parte do dia para se desenvolver.

Adubação: é aconselhável utilizar fertilizante ou adubo orgânico antes do plantio e o solo deve ser poroso.

Coentro

De sabor mais cítrico, seu uso nos pratos pode amenizar a presença do sal, assim como o da pimenta. O coentro ainda pode previnir a osteoporose por conter boas quantidades de sais minerais.

Irrigação: deixe o solo úmido, mas não encharcado. O ideal é que a terra seque entre uma rega e outra.

Luz: a planta se adapta melhor ao clima quente. Se exposta ao sol ao longo do dia, tende a apresentar sabor e aroma mais marcantes.

Adubação: o coentro não necessita de adubação constante, já que é capaz de crescer em solo pouco fértil por ser uma planta rústica.

Alecrim

Esse tempero é capaz de dar mais sabor às receitas culinárias e ainda pode ser usado para chá, já que possui caráter digestivo e diurético.

Irrigação: apesar de resistente à aridez, o alecrim precisa de regas periódicas, podendo deixar o solo levemente seco entre uma e outra irrigação.

Luz: pelo menos 4 horas de sol direto.

Adubação: pode ser terra vegetal, esterco de curral ou húmus de minhoca.

Tomilho

A especiaria era bastante usada pelos gregos para tratar doenças e perfumar ambientes. Seu sabor lembra uma mistura de limão, pimenta e lavanda.

Irrigação: mantenha a terra úmida regando até duas vezes ao dia.

Luz: adapta-se em ambientes ensolarados, com pelo menos 4 horas de sol diárias.

Adubação: pode ser feita com substrato comprado pronto ou preparado em casa com matéria orgânica.

Tudo organizado!

Depois de escolher os vasos, as mudas ou sementes e fazer o plantio, coloque plaquinhas com os nomes de cada planta, para ficar tudo organizado e prático. 

João Bidu
Publicidade
Publicidade