0

Esotérico

Empatia muitas vezes é invisível aos olhos, diz vidente

quickshooting / iStock
20 set 2017
12h00
  • separator
  • comentários

Sou empática. Uma esponja humana. Um empático é uma pessoa que nasceu com um determinado acento no sistema nervoso, o cérebro configurado de uma maneira diferente do usual. Alguns cientistas indicam um aumento na rede de neurônios-espelho.

Tal diferença proporciona o quê? Um alto grau de sensibilidade. Todo o aparelho sensorial do empático é caracterizado por baixo grau de tolerância: luz, aroma, som, sensações mais sutis, qualquer coisinha já nos afeta fortemente.

Tanto é assim que, com frequência, o empático pode ficar um pouco mareado ou levemente confuso quando em meio à grande quantidade de agitação e estímulo. Um show de rock é, para o empático, o pior dos programas, um exagero que chega a ser extenuante.

Também a natureza emocional e a intuição do empático são hipersensíveis. O que representa tendência exacerbada para captar, compreender e modelar impulsos e energias espirituais. Exatamente aquilo que muitos, por falta de expressão melhor, chamam de “dom”.

O cotidiano do empático costuma ser pontuado por profundas conexões inconscientes. A maior parte daquilo que o empático sente ou “sabe” não está atrelado à lógica, não é acessado de forma direta, remexe com parcelas significativas de energia e, muitas vezes, não pode ser verificado de imediato, ainda que se comprove com o passar do tempo.

Lidando com os sofrimentos, conflitos e coisas ocultas que localiza dentro das pessoas, o empático pode, complementarmente, desenvolver atividades de médium ou vidente. Sua habilidade na dinâmica de intercâmbio energético com outras almas proporciona amplo trânsito pelos aspectos e processos espiritulistas em geral.

A última das características do empático, uma das mais importantes, é sua inclinação particular para buscar solução para os problemas alheios. Absorvendo e descarregando grandes parcelas de energia, o empático coloca em movimento aquela inesquecível lição do Pequeno Príncipe (de Saint-Exupéry): “O essencial é invisível aos olhos”.

Quer saber mais sobre o trabalho de Marina Gold ou entrar em contato com ela, clique aqui .

Veja também

Astrônomos capturam retrato de explosão de raios mais poderosa do Universo
Fonte: Marina Gold

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade