PUBLICIDADE

Carta do tarot "A Estrela" pode te afastar da autossabotagem; entenda

É muito comum que no caminho da autotransformação cheguemos ao estágio de entender completamente como algo vem nos impactando negativamente e limitando as nossas possibilidades, mas por algum motivo não conseguimos transpor essas barreiras. Ficamos literalmente presos, tal como no filme Labirinto do Tempo (2010), conscientes da nossa situação, tentando escapar, mas na verdade entrando […]

13 jan 2023 - 18h01
Compartilhar
Exibir comentários

É muito comum que no caminho da autotransformação cheguemos ao estágio de entender completamente como algo vem nos impactando negativamente e limitando as nossas possibilidades, mas por algum motivo não conseguimos transpor essas barreiras. Ficamos literalmente presos, tal como no filme Labirinto do Tempo (2010), conscientes da nossa situação, tentando escapar, mas na verdade entrando em um processo de auto obsessão, mesmo diante da oportunidade, literalmente nos sabotando. Descubra como o arcano maior do tarot "A Estrela" pode te ajudar nesse caso. 

Entenda essa carta -
Entenda essa carta -
Foto: Shutterstock / João Bidu

Spiritual Bypassing e a entrada de Saturno em Peixes

Talvez esse termo em inglês seja totalmente novo para você, mas sua primeira referência vem da década de 1980, pelo psicoterapeuta John Welwood. A tradução literal desse termo é "Desvio Espiritual". John percebeu que alguns de seus pacientes utilizavam de ideias e práticas espirituais para contornar ou evitar enfrentar os problemas emocionais não resolvidos e as feridas psicológicas, ou seja, a própria tarefa de autodesenvolvimento.

Esse comportamento está relacionado diretamente com a responsabilidade pessoal na transformação da nossa própria vida. Muitos querem renascer, recorrem aos ensinamentos da espiritualidade, querem uma nova vida, mas poucos estão dispostos a matar os velhos hábitos efetivamente, exercendo a disciplina constante, pois só isso promove a mudança, trazendo uma situação diferente para ser vivenciada. Mas existe um tempo divino, que foge da nossa compreensão. Já sabemos que o caos tem uma lógica que faz com que tudo entre verdadeiramente em ordem.

A Astrologia já vem dando os sinais: daqui há alguns meses, Saturno, o deus Cronos dos gregos, entra em Peixes o qual carrega a simbologia de último degrau da escola de aprendizado da vida, falando sobre sacrifício pessoal, redenção e amor devocional. Sendo assim, vemos sob esse desenho do céu, que a disciplina, responsabilidade e a determinação de Saturno serão fatores indispensáveis para integrarmos a nossa essência e colocá-la verdadeiramente a serviço do mundo. Se você já está no caminho, é um grande avanço - caso contrário, é melhor se apressar e não ser pego de surpresa.

A carta "A Estrela" é a centelha divina que nos direciona

Como dito anteriormente, existe um tempo divino que movimenta as peças do tabuleiro no momento certo. Não estou colocando aqui que somos como marionetes, pois nós temos o livre-arbítrio, de aceitar ou não, sermos a peça movimentada. Nos cabe então refletir e avaliar esse chamado de entregarmos nosso potencial em determinadas situações - e elas sempre vem! Às vezes, de forma dolorosa, tal como a própria carta "A Torre". Já outras, como a própria carta "A Estrela", que nos indica que podemos confiar em nossa verdadeira consciência, nossa centelha, nossa alma, aquela que sonha, que deseja o melhor sem egoísmo, aquela que usa dos conhecimentos da espiritualidade, com responsabilidade e disciplina, aquela que se apresenta tal como a verdade da parábola judaica, que fala que um certo dia a mentira enganou a verdade e trocou suas vestes, mas a verdade se recusa a vestir-se antes de sair do lago, por não se envergonhar de nada, ela então resolve sair nua e por isso passa a ser pouco aceita por quem a vê.

A carta " A Estrela" possui a seguinte representação: uma mulher nua em um lago, com jarros d'água, nutrindo um solo já fértil, verde, que representa nossa racionalidade, já trabalhada a organização do que aprendemos com nossas experiências, nossas crenças e o próprio corpo físico. Com o outro jarro ela nutre o próprio lago, que figurativamente indica a vida de forma mais interiorizada, nossas emoções e sentimentos. Trata-se do verdadeiro trabalho de autodesenvolvimento, evitando cair no Spiritual Bypassing. Quando colocamos nossa vida nas mãos da nossa centelha divina, tudo flui com mais vida, pois ela sim sabe exatamente o que é preciso ser feito. Esse é o chamado que pode te afastar da autossabotagem.

Texto: Felipe Bezerra é Tarólogo, Astrólogo e Terapeuta Holístico na Origem Therapias.

Instagram: @origemtherapias

Site: https://www.origemtherapias.com.br/Facebook: https://www.facebook.com/origemtherapia

João Bidu
Compartilhar
Publicidade
Publicidade