0

Método Koan: aprenda a técnica de meditação budista

Conheça os 'Koans' budistas que iluminam a mente a ajudam na concentração

21 jul 2020
12h35
atualizado em 22/7/2020 às 14h05
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Tenha mais concentração durante a meditação - Crédito: Cottonbro/Pexels
Tenha mais concentração durante a meditação - Crédito: Cottonbro/Pexels
Foto: João Bidu

A meditação é uma forma poderosa de conexão entre corpo e mente, para ajudar no equilíbrio entre as duas partes e acalmar o fluxo de pensamentos.

Para alcançar um estado pleno de meditação e, assim, aproveitar os benefícios da prática, é preciso ter concentração. Porém, principalmente para as pessoas mais agitadas, não é fácil se concentrar por tempo suficiente para acessar o interior do ser.

Por isso, as técnicas de concentração se são cada vez mais difundidas entre os praticantes de meditação, principalmente por quem ainda está começando. Entre as mais conhecidas estão as táticas de respiração, os mantras, as músicas e até mesmo os aromas.

Mas, existe ainda uma forma de meditação budista, capaz de tranquilizar a mente por meio da reflexão, conhecida como método Koan - ou método de Koans. 

Então, para conseguir uma meditação plena, confira o que é e como aplicar o método Koan na sua prática meditativa do dia a dia.

Método Koan

Os método Koan ou de Koans nasceu no Japão, graças ao Budismo Zen. Essa técnica de concentração foi elaborada por meio da reflexão em pequenos contos, perguntas ou afirmações. Também é possível encontrar os koans em forma de diálogos - em geral, entre mestre e discípulo.

O método Koan se tornou tão famoso pela sua utilidade - e você não precisa ser budista para praticá-lo! As sentenças são repletas de significados que proporcionam uma expansão da mente com o incentivo da reflexão.

Assim, a mente é comparada com uma xícara de chá que, por vezes, precisa ser esvaziada do ego, das opiniões e preconceitos. As metáforas são aplicadas pelo Koans como uma forma de exemplificação de conceitos mais amplos, auxiliando o meditador a compreender a natureza dos seus próprios pensamentos e hábitos e, assim, mostrando o caminho para uma transformação interna.

Método Koan durante a meditação

Enquanto estiver sentado(a) ou deitado(a) para dar início a sua meditação, concentre-se em uma das seguintes questões:

"Quem sou eu?";

"Qual é a essência da alma?";

"Como tirar esse elefante branco da sala?";

"Como tirar o ganso de dentro de uma garrafa de vidro sem quebrá-la?".

O objetivo das perguntas não é encontrar uma resposta precisa, mas criar uma estratégia para debruçar a consciência sobre um enigma e focar o raciocínio em um único ponto, sem se perder nos pensamentos. Com essa reflexão você entenderá como sua mente funciona, onde está localizado seu ego, como a ansiedade age sobre seus pensamentos e aprenderá mais sobre você.

Além das questões, os contos também fazem parte do Koan, porque abordam aspectos da mente humana que muitas vezes não são analisadas com concentração. Para captar a essência que está sendo transmitida pelo conto, é preciso usar a intuição, pois é ela que está conectada com o caminho da transformação interna. Então, conheça algumas histórias para refletir durante a meditação.

A xícara de chá

Na Era Meiji (1868-1912), havia um mestre japonês com o nome de Nan-in. Um dia, Nan-in foi visitado por um professor universitário, que pediu que ele compartilhasse seus conhecimentos sobre o Zen. Antes de falar qualquer coisa, o mestre serviu chá ao convidado em uma xícara e, mesmo depois de cheia, continuou a enchê-la até transbordar. 

O professor não conseguiu se conter com a situação e disse: "Chega! Já está cheio, não precisa colocar mais!". Então o mestre respondeu: "Assim como essa xícara, você é cheio de suas próprias opiniões e especulações. Então como posso ensinar o Zen a você até que esvazie sua xícara?".

Esse conto nos faz pensar em como somos cheios de ideias e preconceitos que nos impedem de alcançar a plenitude dos pensamentos e, consequentemente, o estado meditativo. 

Uma moça na estrada

Em uma estrada repleta de lama, dois monges chamados Ekido e Tanzan viajavam juntos até que uma forte chuva começou a cair. Ambos correram para se proteger do temporal e, então, no meio do caminho, encontraram uma jovem com um kimono de seda que não conseguia continuar seu trajeto por causa da lama.

Ao ver a cena, Tanzan falou para a jovem que a levaria nas costas, para ajudá-la ultrapassar a lama sem se sujar; ela aceitou. Contudo, Ekido não disse uma única palavra sobre a atitude do amigo, até chegarem no templo. 

Por não aguentar mais os pensamentos que o incomodavam, Ekido questionou: "Nós monges não devemos chegar perto de mulheres, principalmente das jovens e belas. Então por quê você fez aquilo?". O amigo respondeu: "Eu deixei a jovem na estrada, por que você ainda está carregando-a?".

Reflita sobre os pesos e dificuldades que você já deveria ter deixado para trás, mas continua carregando sem necessidade e que te impedem de ser feliz.

Para iluminar a mente e levar uma vida mais feliz e leve, aposte nessas técnicas de meditação budista! 

Veja também:

Beirute: A mãe em trabalho de parto durante a explosão
João Bidu
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade