0

Carma e vidência

26 mar 2019
09h00
atualizado em 27/3/2019 às 11h29
  • separator
  • 0
  • comentários

Olhei fundo nos olhos escuros da minha consulente. Mulher de meia idade, algo por volta dos sessenta anos. Bem vestida, elegante, educada, de gestos calmos e voz suave. 

Carma e vidência
Carma e vidência
Foto: iStock

Era viúva há sete anos. Uma fatalidade. O marido morrera num acidente de trânsito, tão inesperado quanto injusto. Estava ele aguardando o farol abrir quando um caminhãozinho, em alta velocidade avançou sobre a calçada, atingindo-o. 

Teve morte instantânea o pobre homem. Daquelas que corta o destino num golpe rápido, com navalha afiada. Ela se viu mergulhada em sofrimento e solidão. Os dois filhos, envolvidos com suas próprias famílias, problemas e vidas, pouco tempo tinham para ela. 

Ela me disse emocionada que sim, que eu tinha razão, quando me referi ao casamento dela como “feliz, bem sucedido, ajustado e sem nenhuma grande dificuldade, um exemplo de sorte e felicidade”.

Ela queria muito compreender porque aquilo havia acontecido justamente com ela, cuja união com ele era tão positiva, enquanto ela percebia, no círculo de familiares e amigos, muitos casamentos destruídos, cheios de desequilíbrio, maldade, mágoa e sofrimento, quase catastróficos e que se mantinham, apesar de tudo, no decorrer de longos anos. Por que com ela? Por que justamente com ela que precisava tanto e tanto dele? 

Tratei de explicar-lhe, o melhor que me era concedido, que a relação que eles mantiveram desde muito jovens, quando se conheceram e resolveram construir a vida juntos, permitiu-os desenvolver uma correspondência na qual não havia nenhum carma ativo: quase trinta anos de compreensão, apoio, vitória e acertos. O carma, então, se abriu quando ele faleceu. 

Esse exemplo nos indica que, seguramente, podemos afirmar que durante sua existência, o ser humano tem períodos de tranquilidade, entremeado com momentos de perdas e dificuldades – as mais inesperadas. 

Levei-a perceber que a circunstância experimentada por ela, em que o carma se revela com força e poder total, ocorre com mais frequência do que podemos aceitar e admitir na vida de muitas pessoas e se dá sempre em função de algo inevitável. Isso porque, todos os seres humanos estão sujeitos ao carma, mais cedo ou mais tarde. 

Ela conseguiu entender e finalmente se acalmou, consolada pelo fato de ter um ótimo casamento. Infelizmente o carma não se mostra apenas na vida amorosa. Ele marca também outras dimensões: perda de um emprego, descoberta de uma doença, tantos desafios... 

Quer saber mais sobre o trabalho de Marina Gold ou entrar em contato com ela, clique aqui.

Veja também:

Gato Aquiles é o vidente oficial da Copa da Rússia

 

Fonte: Especial para Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade