1 evento ao vivo

Entenda a relação dos planetas com os processos da vida

4 jun 2019
09h00
  • separator
  • 0
  • comentários

Um signo astrológico, representa um arquétipo, um plano e possui um planeta de vibração idêntica e por isso é chamada de planeta regente. 
Para o signo de Áries, o regente é o planeta Marte; para Touro, Vênus; para Gêmeos, Mercúrio; para Câncer, a Lua; para Leão, o Sol; para Virgem, Mercúrio; para Libra, Vênus; para Escorpião, Plutão; para Sagitário, Júpiter; para Capricórnio, Saturno; para Aquário (antes regido por Saturno), Urano e para Peixes, Netuno (antes regido por Júpiter). 

Sistema solar
Sistema solar
Foto: iStock

Para entender o esquema de influência dos luminares, Sol e Lua e dos planetas sobre a Terra, precisamos entender que nosso sistema solar possui cinco planetas visíveis a nós: Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno. Esses cinco planetas agem em nossos cinco sentidos no plano concreto, físico. Muito além, estão os planetas invisíveis para nós, que só conseguimos ver através de telescópios, que são: Urano, Netuno e Plutão, que agem no plano abstrato de nossa existência como humanos. 

Mercúrio é o mais próximo e Plutão o mais afastado. Alguns astrólogos acreditam que Vulcano, simbolizado por um homem de pés rachados, será o regente de Virgem e Vesta, o doador de Luz, de Libra ou Balança

Podemos encontrar na simbologia dos planetas, todo o processo da vida:

No processo de movimento, divisão e multiplicação das células, encontramos Mercúrio, a célula, depois de multiplicar-se, assimila o que está em seu entorno e procura adaptar-se ao meio ambiente. Mercúrio é o planeta que rege todos os movimentos; uma vez organizada a célula no ser humano, sua primeira reação é movimentar-se, interessar-se por tudo o que se passa em seu entorno. E assim, assimilando o que se passa ao seu redor, a inteligência é desenvolvida e apreende a ver, ouvir, falar e caminhar.

Toda forma de embelezamento, está relacionada com Vênus, pois dois lados que se dividiram, devem novamente se unir. Portanto, nesse momento, o desejo é despertado, a necessidade de aproximação, para que se concretize a união, a harmonia, o amor. Logo depois do movimento, o homem começa a sentir, a querer o conforto, o amor.

Assim que acontece a união, cria-se a energia, que gera luta, força e crescimento. Essa energia é representada por Marte, a iniciativa, a ação, a vontade, a decisão, a vontade de independência. 

Então, o homem, a partir do aprender, através do que assimila em seu meio ambiente (Mercúrio), desenvolve sentimentos e desejos (Vênus), para então começar a agir na direção de sua independência, competindo até vencer e alcançar autonomia (Marte).

Os frutos desenvolvidos pela planta depois de seu crescimento, que é a proteção da vida para que as sementes possam se desenvolver com saúde, sem ser ferida, é simbolizada por Júpiter. O fruto do merecimento depois da ação acertada, a fartura, a colheita, o sucesso, o desenvolvimento de seus talentos, a fortuna material e imaterial, tudo isso tem a ver com Júpiter, o grande recompensador do zodíaco.

Depois que o fruto amadurece, a planta quer perpetuar sua espécie, abnega-se e diz adeus a tudo o que não interessa mais à sua perpetuação. Deixa cair as folhas, os frutos e os galhos e mantém somente o tronco, a raiz e as sementes, elementos essenciais para sua perpetuação e continuidade. Nessa fase, Saturno ganha força. Em se tratando de seres humanos, essa é a fase das responsabilidades, o dever de deixar uma herança segura para o futuro. 

Esses são os planetas visíveis, que agem sobre o plano concreto da natureza.

Em Urano, encontramos a força dinâmica da natureza, que quer lançar a semente para longe da raiz, quer a mudança e o progresso. Urano é o planeta da libertação, do impulso, da inovação e da originalidade; da invenção, da inovação, das novas energias geradas na natureza de maneira rápida e impulsiva.

Em seguida, depois que a semente afasta-se das raízes, ela precisa de água e então aproxima-se a energia de Netuno, que representa a água, o absorver de fluidos de forças sutis. Nesse momento, o ser humano absorve, do meio ambiente, seu estado psíquico, consciente ou envenenado e intoxicado. A água, o mar, os sonhos, a partir desse momento, desenvolve-se a fé, a intuição, a visão, a imaginação, o misticismo.

Depois de encharcada de água, passamos à energia vulcânica, em que a Terra é aberta para vomitar as forças intensas das paixões, abrir-se para libertar o poder, uma intensa força criativa que ela abriga. No âmbito humano, em Plutão as forças latentes são desabrochadas: a consciência se manifesta. É uma espécie de fogo sagrado universal interno que é colocado para fora, através das capacidades e talentos. Em Plutão, a consciência brota, se organiza, cria, regenera-se, cura-se e transmuta-se a si mesmo e aos outros — renasce!

Essa é a simbologia do curso da vida através dos planetas. Reflita sobre esse curso e procure aperceber-se desse processo em sua própria vida.

Veja também:

A história por trás de uma das mais famosas fotos do planeta Terra

 

 

Fonte: Eunice Ferrari
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade