PUBLICIDADE
Logo do

Cruzeiros › Destinos

Veja 9 novos Patrimônios da Unesco para conhecer em cruzeiro

Lista divulgada pela organização inclui região de Champagne, na França, e ruínas de Éfeso, na Turquia

18 ago 2015 10h47
| atualizado às 13h00
ver comentários
Publicidade

Dos 24 novos Patrimônios da Humanidade escolhidos pela Unesco em 2015, nove deles podem ser visitados em escalas de cruzeiros ou estão situados a pequenas distâncias de um porto marítimo ou fluvial. A seleção inclui desde cidadezinhas até ruínas de monumentos históricos, plantações de uvas mundialmente reconhecidas e pontes. Os novos patrimônios estão em países como Escócia, Turquia, Singapura e França. Confira os acessíveis em cruzeiros:

Éfeso, na Turquia
As ruínas de Éfeso, na Turquia, tornaram-se Patrimônio da Humanidade em 2015. A região localizada no estuário do rio Kaystros compreende uma sucessão de colônias helenísticas e romanas. Escavações revelaram grandes monumentos do período do Império Romano, como a Biblioteca de Celso e o Grande Teatro. Pequenos fragmentos do famoso Templo de Artemis, uma das Sete Maravilhas do Mundo antigo, também podem ser encontrados em Éfeso.

Marco da arquitetura, Forth Bridge é um dos novos patrimônios da Unesco
Marco da arquitetura, Forth Bridge é um dos novos patrimônios da Unesco
Foto: Duncan Peet/Unesco/Divulgação

Ponte de Forth, em Edimburgo
Localizada na Escócia, a Forth Bridge foi a primeira grande ponte de viga suspensa com diversos vãos do mundo e, com 2.529 metros de comprimento, segue como a mais longa. Aberta desde 1890, a ponte férrea continua a transportar cargas e passageiros. Sua estética industrial é um dos diferenciais, sem adornos e com os componentes estruturais à mostra. Originalmente, ela foi uma inovação em estilo, materiais e escala, sendo assim um marco importante em design de pontes e construções durante o período em que ferrovias dominavam as viagens de longa distância.

Clima e solo da Borgonha
Trechos precisos e delimitados das plantações de uva nos declives da Cotê de Nuits e Cotê de Beaune no sul da cidade de Dijon, na região da Borgonha, na França, são outro novo patrimônio da Unesco que pode ser visitado em cruzeiros. Essas plantações diferem umas das outras de acordo com condições naturais específicas, assim como nos tipos de uvas e foram formadas pelo cultivo humano. O local é considerado um dos principais exemplos do cultivo de uva e produção de vinho desenvolvidos desde a alta Idade Média.

Encostas, casas e adegas de Champagne
A região de Champagne é outra parte da França elevada ao título de Patrimônio da Unesco. Sua famosa bebida, produzida exclusivamente nesta parte do mundo, é uma das mais chiques, cobiçadas e glamourosas. Seu método de produção foi desenvolvido através do princípio de fermentação secundária na garrafa no século XVII, até a industrialização no século XIX. Fazem parte do patrimônio os históricos vinhedos de Hautvilliers, Aÿ e Mareuil-sur-Aÿ, Saint-Nicaise Hill em Reims e a Avenue de Champagne e Fort Chabrol, em Epernay.

Distritos de Speicherstadt e Kontorhaus, com a Chilehaus, em Hamburgo
Os distritos industriais de Hamburgo, na Alemanha, Speicherstadt e Kontorhaus, são duas áreas urbanas densamente construídas no centro da cidade portuária. O Speicherstadt foi originalmente desenvolvido em um grupo de ilhas estreitas no Rio Elba entre 1885 e 1927, e parcialmente reconstruído entre 1949 e 1967, e é um dos maiores e mais coerentes conjuntos históricos de armazéns portuários no mundo, com 300 mil m². Adjacente ao prédio modernista Chilehaus fica Kontorhaus, distrito de mais de cinco hectares com seis grandes complexos erguidos entre os anos 1920 e 1940. Eles são considerados exemplos do efeito do rápido crescimento do comércio internacional no final do século XIX e início do século XX.

Necrópole de Bet She'arim, em Israel
Localizado ao sudeste da cidade de Haifa, em Israel, a Necrópole de Bet She'arim é um marco da renovação judaica. Fundada por Herodes, ela consiste de uma série de catacumbas desenvolvidas a partir do século 2 depois de Cristo como local de sepultamento primário judaico fora de Jerusalém, após a revolta judia contra o comando Romano. Consideradas um tesouro, as catacumbas têm inscrições em grego, aramaico e hebraico.

Igrejas de Cefalú e Moreale, e conjunto árabe de Palermo
Localizado no norte da costa da Sicília, na Itália, o conjunto árabe de Palermo inclui uma série de nove estruturas civis e religiosas datadas da época do Reino Normando da Sicília (1130 a 1194), com dois palácios, três igrejas, uma ponte e três catedrais, sendo duas a de Cefalú e Monreale. Os prédios são exemplos de sincretismo sociocultural das culturas ocidental, islâmica e bizantina na ilha.

Jardins Botânicos de Singapura
Os Jardins Botânicos de Singapura já são um dos grandes atrativos turísticos da cidade e agora também patrimônio da Unesco. Eles ficam no coração de Singapura e demonstram a evolução dos jardins tropicais coloniais britânicos que tornaram-se uma moderna e mundialmente reconhecida instituição científica, usado para conservação e educação. A paisagem inclui uma rica variedade de locais históricos, plantações e prédios, e demonstram o desenvolvimento do jardim desde sua criação, em 1859.

Christiansfeld, assentamento da Igreja da Morávia
Fundada em 1773 no sul da Jutlândia, na Dinamarca, Christiansfeld é um exemplo do planejamento urbano da Igreja da Morávia, uma congregação luterana livre da Saxônia. A cidade foi planejada para representar o ideal urbano protestante, construída no entorno da praça central, onde fica o templo. A cidadezinha está a cerca 35 minutos de carro de Fredericia, localidade portuária.

Conheça o cruzeiro que será novidade na próxima temporada Conheça o cruzeiro que será novidade na próxima temporada

 

 

Fonte: Canarinho Press
Publicidade
Publicidade