1 evento ao vivo

Filmes de terror podem atrair energias negativas?

Veja como os filmes de terror podem atrair energias negativas para o seu lar

15 set 2020
15h52
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Fã vestido de Pennywise, personagem do filme de terror
Fã vestido de Pennywise, personagem do filme de terror
Foto: João Bidu

Você é fã de filmes de terror? Decerto esse é um dos mais famosos gêneros cinematográficos que coleciona uma grande proporção de fãs e críticos pelo mundo. O gênero já foi tão explorado que muitas pessoas acreditam que não é mais tão fácil assustar o público, afinal, este já viu de tudo nas telas do cinema e no streaming

Porém, mesmo que seja uma tática muito antiga, com certeza você ainda se assusta com o jump scare, que é um termo usado para denominar as cenas que fazem o público dar um pulo de susto. A adrenalina causada pelo susto, por vezes, gera uma sensação de despertar - como se você estivesse explorando o desconhecido. Então, você fica preso(a) no filme, pronto(a) para entrar de cabeça em uma história tenebrosa, porém, fascinante para a imaginação. Mas, será que os filmes de terror podem atrair energias negativas para o seu lar?

Filmes com cenas de possessão, demônios, mortes, entre outros elementos comuns para o gênero de terror, podem influenciar a mente. Contudo, outros tipos de narrativas, como comédia, romance e drama, também são capazes de penetrar na imaginação das pessoas. Portanto, o mal não é manifestado pelo filme, mas em como a pessoa irá reagir após assisti-lo.

O medo é a porta de entrada para as energias negativas. Dessa forma, se você é uma pessoa mais sensível e que tende a transferir para a vida real toda a temática do filme de terror, possivelmente você ficará mais vulnerável para o mundo espiritual.

Isso porque o campo de energia que envolve o seu corpo e te protege contra as energias negativas é afetado pelo medo, tornando-se mais fraco. Esse evento ocorre por causa da conexão entre a mente, o emocional, o físico e o espiritual - ao afetar um desses focos de energia, que no caso do medo atinge a mente, os outros campos também serão influenciados.

Pense na última vez que você assistiu um filme de terror e sentiu muito medo. Após terminar o filme, você se assustou com coisas simples do seu cotidiano, como o barulho de uma porta ou a presença de alguém? Ao olhar essas situações com a razão, você percebe como o medo pode ser irracional. Quando a mente está assustada e perturbada, ficamos em um constante estado de alerta, em que qualquer coisa torna-se um motivo para estimular a sensação de estar sendo perseguido(a) por algo invisível.

Estar nessa situação impossibilita que a paz interna seja restaurada e, assim, você apenas sentirá o efeito das energias negativas dentro de você e, com o tempo, no seu lar. A casa também é prejudicada porque ela é um reflexo das pessoas que moram no local. Se você está vibrando medo, preocupações e aflições, todas as energias que correspondem a esses fatores entrarão em contato com você e ficaram ao seu redor, bem como na sua casa.

Dessa forma, o melhor é não assistir os filmes de terror? Tudo depende de você! Se você acredita que não irá te fazer bem, então não consuma esse tipo de entretenimento. Além disso, notícias sobre tragédias e sofrimento também causam o mesmo efeito prejudicial para a mente e o espírito.

Os filmes de terror, então, nunca foram os vilões da história. Na realidade, eles podem ser canais para propagar discussões importantes para a sociedade. Um grande exemplo disso é o filme Corra! (Get Out), de 2017, produzido por Jordan Peele. A história é um terror psicológico que aborda sobre o racismo, um assunto muito pouco desenvolvido pelos filmes de terror.

Para aproveitar tudo que esse gênero tem a oferecer, sem sentir medo de ser prejudicado(a), faça uma meditação ou oração para deixar sua mente focada no presente. Com a mente no eixo, você consegue ser mais racional e não cai nas armadilhas da própria imaginação. Seu espírito continuará forte e, assim, o mundo espiritual não poderá te afetar negativamente.

Veja também:

Beirute: A mãe em trabalho de parto durante a explosão
João Bidu
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade