1 evento ao vivo

Muitos amores

Quer entender melhor a questão do amor? Comece localizando-se nesses três tipos-base: Eros, Lúdico e Maduro

20 set 2018
09h00
atualizado em 25/9/2018 às 15h19
  • separator
  • comentários

São muitos os amores. A palavra é única, mas tem diferentes jeitos, diversas maneiras de amar. Vários tipos e estilos de amor: seguro, ansioso, ambivalente, possessivo, ciumento, sofredor, rejeitador, entre tantos.

São muitos os amores. A palavra é única, mas tem diferentes jeitos, diversas maneiras de amar.
São muitos os amores. A palavra é única, mas tem diferentes jeitos, diversas maneiras de amar.
Foto: iStock

Bom reconhecer cada uma dessas formas, para controlar melhor o comportamento, os procedimentos, as idealizações, as trocas de reciprocidade, as satisfações, as cumplicidades, as intimidades e mesmo as crises,as reações, as barreiras e os sofrimentos.

Um segredo para entender melhor a complexidade do amor é, justamente, definir com maior precisão, afinando a escala, com o que se está lidando. Qual amor? Qual tipo de cumplicidade e companheirismo? Coração e razão? Sexo e romance? Compromisso e valorização? Alternativas e investimentos? 

Certos amores não permitem, em determinadas circunstâncias, que o “eu” se abra para o “nós”. Já outros, nas mesmas condições, servem como impulso para cima, incentivo e realização. Entender os modelos acaba se tornando, então, coisa séria, lúcida e vantajosa: permite acertar os arranjos, localizar amores que se completam, se encaixam num clima lúdico, de troca bela, boa, positiva e complementar.

Ouça o podcast Terra Horóscopo:

Quer entender melhor a questão do amor? Comece localizando-se (e localizando o par amoroso) nesses três tipos-base:

1. Eros: pessoa que busca, sobretudo, a intensidade e a satisfação do relacionamento sexual. Costuma valorizar principalmente a aparência. Se abre para atrações imediatas, amor à primeira vista. Em geral, segura e pouco possessiva. Não reluta em se entregar e não vivencia ansiedade no jogo amoroso. 

2. Lúdico: quem encara o amor como brincadeira e diversão. Enfatiza a sedução, a liberdade e as emoções, não levando em grande conta a fidelidade – preferindo variedade de parceiros. O foco está no presente da relação, dando pouca importância para os desdobramentos futuros. 

3. Maduro: aquele que gosta de tranquilidade. Valoriza o amor que se desenvolve devagar, cadenciado, num ritmo tranquilo, longo e sossegado. Desenvolve semelhanças, interesses compartrilhados. O contato sexual é menos enfatizado, a busca é por uma grande paixão, aparentada com a amizade.  

Esses são apenas os três tipos iniciais mais destacados na minha experiência com o tema. Da combinação entre eles, surgem diversas situações dinâmicas e interativas: manias, preocupações, egoísmos, sofrimentos, obsessões, ciúmes, possessividades. Prisões e negatividades, assunto para outro dos nossos encontros.

Quer saber mais sobre o trabalho de Marina Gold ou entrar em contato com ela, clique aqui.

Veja também:

 

Fonte: Marina Gold

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade