7 eventos ao vivo

Conversa última, conversa primeira

11 jul 2019
09h00
  • separator
  • comentários

Ele estava muito doente. Agonizava. Momentos finais. Por isso seu Anjo veio para junto dele. Ajudá-lo no seu encaminhamento espiritual. Apoiar para quando chegasse a hora, que não tardaria.

Conversa última, conversa primeira
Conversa última, conversa primeira
Foto: iStock

Sentindo a presença do seu Anjo, recordando de toda sua longa vida, passagens e experiências, ele exclamou:
— Chegou minha hora. Vou feliz porque tenho certeza de que nesta minha passagem por aqui consegui saldar todas as minhas dívidas, fossem elas materiais ou espirituais. Parto tranqüilo, acreditando não dever mais nada a ninguém, e convencido da minha total e merecida libertação. Lutei e me dediquei durante vida, fui correto, humilde e leal. Estarei libertado? Livre de todo o carma? 

O Anjo então respondeu: 
— Meu caro, a tua intenção foi muito boa. Agora você deve seguir mesmo comigo. Não deixa para trás nenhum resgate a cumprir. Porém, a libertação total você não vai alcançar apesar dos teus esforços, pois ter desfeito todas as dívidas não te garante a liberdade total. É apenas um dos muitos e muitos passos que devemos cumprir em nosso percurso de crescimento espiritual, rumo à plenitude. 

Surpreso, o homem retorquiu:
— Não? E por que não? O que mais eu deveria ter feito? O que faltou? Que responsabilidades deixei de cumprir?

O Anjo, sereno, voz tranquila, explicou: 
— Porque ainda há pessoas que ficaram devendo a você, uma vez que não saldaram as dívidas humanas contigo. Enquanto te deverem, por mais que você nada deva e que os séculos transcorram, você não terá libertação integral.

Fala o homem, voz baixa, quase inaudível, já levantando para partir de braços dados ao Anjo:
— Entendo. As coisas são assim mesmo, em vias de mão dupla. Nada adianta progredir sem poder contar com o progresso alheio. Resigno-me e, abaixo seu amparo precioso, aguardo sereno o desenrolar das ações do carma, sempre na esperança de que a roda gire positivamente e possa toda a humanidade se desenvolver na direção correta. 

Completa o Anjo, abraçando o homem para partirem etereamente juntos:
— Sabia que você compreenderia sem dor ou amargura. Estive observando-o longamente e sei que você é bom. Sua recompensa não tardará e, enquanto aguarda, muita tarefa poderá desempenhar junto aos círculos mais avançados de maturidade espiritual. Venha comigo e não pense que essa nossa conversa, final para uma etapa, será a derradeira entre nós. Mais e mais lições te esperam e conto com tua humildade para entender o que será indicado. 

Quer saber mais sobre o trabalho de Marina Gold ou entrar em contato com ela, clique aqui.

Veja também:

 

Fonte: Marina Gold
  • separator
  • comentários
publicidade