0

Como tornar a vida mais plena e feliz?

Tudo depende da maneira que lidamos com ela.

13 dez 2018
09h00
  • separator
  • comentários

A possibilidade da construção da felicidade como meta de vida deve partir de uma vontade quase cega e deve ser vista como um propósito consciente e único na vida. Precisamos ter claro que, quando fazemos essa opção, não podemos nos dispersar com coisas pequenas, questões sem peso real.

Como tornar a vida mais plena e feliz?
Como tornar a vida mais plena e feliz?
Foto: iStock

Devemos dar o peso certo e importância para o que é, de fato, importante para nós. Todos os dias de nossas vidas são repletos de acontecimentos e durante todo tempo acontecem coisas que gostamos ou não, que damos importância ou não.

Você já parou para refletir quanto do nosso tempo é desperdiçado com coisas insignificantes e passageiras? Já parou para observar como você permite que questões sem nenhuma importância contamine sua vida?

Brigamos com tudo e com todos sem nos darmos conta que estamos, na verdade, brigando conosco mesmos. Cada minuto que passa de sua vida, já faz parte do passado e não voltará nunca mais. Não desperdice sua energia emocional e mental com questões sem valor e peso. 

Mude. A mudança de uma atitude pode mudar toda dinâmica de um dia, de uma vida. Acredite, quando você consegue transformar um dia conscientemente, a partir do autocontrole, você percebe que pode transformar toda sua vida.

Se você possui uma característica negativa, ou seja, uma característica destrutiva, você pode transformá-la em algo positivo através do movimento consciente de sua energia.

Diz o aforismo: “A energia segue o pensamento”.

Quando mudamos de atitude a partir da mudança consciente de nossos sentimentos e pensamentos, começamos a criar uma nova realidade de vida. Algumas emoções não são fáceis de lidar e compreender, existem algumas que são mesmo muito difíceis de mudar e gritam constantemente suas presenças dentro de nós. Para combater essas emoções específicas, precisamos de uma força adicional a fim de aquietá-las e transformá-las.

Devemos também lembrar que a dor ainda faz parte do processo evolutivo humano e, quando falo sobre a construção de uma nova realidade, me refiro especialmente à forma que cada um de nós possui de lidar com os acontecimentos.

Enquanto não aceitarmos que a maior característica da vida é a transitoriedade, não conseguiremos nos manter em equilíbrio. Vale lembrar que a felicidade não é um estado de euforia constante, mas um estado de paz e tranquilidade. Devemos desenvolver a capacidade de transitar de forma harmônica e equilibrada pelos acontecimentos e mudanças presentes em nosso dia a dia.

Passamos todos por inevitáveis crises, normalmente em trânsitos de Saturno e Plutão sobre aspectos difíceis de nossos mapas natais. Nesses momentos, não temos outra saída a não ser vivenciarmos a crise em toda sua plenitude, em toda dor que ela possa nos trazer. Vamos lembrar que, através da Lei da Causa e Efeito, fomos nós mesmos que construímos, através de nossa ignorância, esse processo de dor.

Não fuja da dor, pois fugir é negá-la. No entanto, existe um tempo de duração para tudo e, por esse motivo, você deve colocar um limite definido para o fim desse processo. Se você não se determinar a isso, pode adentrar em um processo destrutivo perigoso. O culto à dor, ao sofrimento, faz parte de um processo neurótico que deve ser eliminado.

Compreendendo como funciona a Lei e a partir dessa consciência, você pode começar a construir uma vida mais feliz, uma nova realidade para si mesmo e para todos que vivem em seu entorno. Podemos sim, criar uma realidade mais plena do que a que criamos até agora. 

Segundo a Lei da Causa e Efeito, ainda vivemos nesse estado de dor e sofrimento, mas podemos, a partir de agora, começar a criar um novo futuro.

Veja também:

Por limo cosmético, criadores mantêm caramujos 'felizes'

 

Fonte: Eunice Ferrari

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade