PUBLICIDADE

O que é Japamala e para que serve esse cordão sagrado

O Japamala pode ser utilizado durante a meditação para estabelecer maior foco e conexão com o momento

4 nov 2021 12h08
ver comentários
Publicidade
Japamala é um cordão formado por 108 contas - Elly Fairytale/Pexels
Japamala é um cordão formado por 108 contas - Elly Fairytale/Pexels
Foto: João Bidu

Muito presente nas aulas de meditação e de yoga, o Japamala é um cordão sagrado feito com 108 contas, muito utilizado nas culturas hindus e conhecido no Ocidente como rosário. 

O objetivo do cordão é auxiliar no processo meditativo e tem um significado especial. Confira mais informações sobre o que é Japamala e como utilizá-lo.

O que é Japamala

A palavra Japamala tem um significado que condiz com sua utilidade. Como origem no sânscrito, "Japa" quer dizer sussurrar diversas vezes mantras, nomes de deuses ou orações, enquanto "mala" significa cordão, guirlanda ou grinalda.

JÁ CONFERIU AS TENDÊNCIAS ASTRAIS PARA O SEU SIGNO HOJE? DESCUBRA TUDO COM O HORÓSCOPO DIÁRIO NO SITE DO JOÃO BIDU!

Dessa forma, esse item é utilizado durante as meditações, associada à repetição de mantras, para proporcionar uma maior conexão e cura do corpo físico e mental, além da elevação da cosciência. Esse cordão permite que a concentração fique mais direcionada para a intenção central da meditação, gerando, assim, um maior estado de tranquilidade e foco.

História do Japamala

Diversas culturas e religiões utilizam o Japamala, porém, seu nome pode mudar de acordo com a localidade. Esse método teve início no século VIII a.C, na Índia.

Existem histórias antigas sobre as contas do Japamala e, em todas elas, o objeto é usado como amuleto de proteção e sorte, ou também como símbolo de riqueza e espiritualidade.

Estrutura e função

O Japamala pode ser feito com diversos materiais, mas, acredita-se que alguns elementos possam deixá-lo com mais força energética. Em geral, sua estrutura contém 108 contas e o "Meru". Esse "Meru" - também chamado de "Guru" - é uma conta extra, maior que as demais, que liga o cordão ao "tassel" - ou ponteira.

O cordão de contas simboliza a ligação entre tudo que existe; é o fio do Universo. O Meru marca o início e o fim do Japamala e representa o Divino, o Universo, enquanto o tassel simboliza a nossa conexão com o Divino, o estado de iluminação, além de também ser associado à Flor de Lótus.

Durante a meditação, o Meru nunca deve ser "atravessado", uma vez que isso é visto como um grande desrespeito. Em vez disso, o ideal é recomeçar o Japamala em direção contrária.

Por que 108 contas?

O número 108 tem um poderoso significado espiritual na cultura da Índia. Por exemplo:

  • No alfabeto sânscrito, existem 54 fonemas masculinos e 54 femininos - Shiva e Shakti. Somados, resultam no número 108;
  • De acordo com a teoria dos chakras, o chakra cardíaco (do coração) é formado por 108 linhas de energia;
  • Acredita-se que Krishna contava com 108 "gopis" - palavra que significa "pastor", no hinduísmo. As Gopis de Krishna eram companheiras, mensageiras ou criadas desse Deus;
  • Algumas linhas do budismo acreditam que há 108 virtudes que devem ser cultivadas e 108 impurezas que devem ser evitadas.

Além disso, na matemática, 108 é um número que pode ser dividido por 2, por 3, por 4 ou por 12, podendo dar origem a Japamalas de 54, 36, 27 ou 9 contas.

De acordo com a filosofia Yogue, quando se completa as 108 repetições do mantra, oração ou mentalização, é possível chegar em um estágio superior da consciência, denominado de "transcendental". Nessa etapa de elevação da consciência, os pensamentos que prendem a mente são deixados para trás, possibilitando uma maior concentração e conexão.

Como usar

Antes de começar a repetição do seu mantra ou oração com o Japamala, relaxe por alguns minutos e controle sua respiração, mantendo seu foco voltado para ela e para o seu corpo. O ideal é entrar em um estado de calmaria.

Em seguida, segure seu japamala com uma das mãos, de modo que ele fique apoiado no dedo médio. Com o polegar, puxe para si uma conta de cada vez e repita o mantra em voz alta ou mentalmente. 

O dedo indicador não pode encostar nas contas, uma vez que ele é considerado sujo por ser o dedo que aponta e julga. Além disso, ele também tem relação com o ego e com os pensamentos.

Ao terminar as 108 contas, se quiser continuar a repetição, lembre-se de não ultrapassar o Meru; vire o cordão e inicie o processo, na direção inversa da qual você já fez.

Para conquistar a paz que seu espírito almeja, a prática precisa ser feita com frequência.

Mais itens sagrados

Se quiser conehcer mais itens sagrados, dá uma passadinha na loja do João Bidu e confira os diferentes produtos que podem nos ajudar a reencontrar a fé e reforçar a nossa espiritualidade. 

Aproveite também e acompanhe as lives nas redes sociais do João Bidu. Nas próximas semanas, especialmente para a Black Friday, especialistas de diferentes áreas falarão sobre autoconehcimento, numerologia, mapas astrais e muito mais. Não dá para perder!

João Bidu
Publicidade
Publicidade