3 eventos ao vivo

Lição de bondade

25 jan 2019
09h00
  • separator
  • comentários

Uma grande escritora, envolvida com o encanto extremo, apontava o mistério: “Uma rosa é uma rosa é uma rosa é uma rosa”. Algumas décadas depois, outro grande escritor, mesmo encanto e mistério, questionava: “o nome da rosa?” Em ambos os casos, na leitura espiritualista, trata-se da Bondade.

Lição de bondade
Lição de bondade
Foto: iStock

Bondade, como Emanuel ensina, não ser ruim, não ser seletivo, ajudar todos indistintamente, universalmente. Ter força e usar corretamente, valorizando as melhores regras da conduta humana, profundas e coerentes com nosso maior diferencial: sermos, justamente, humanos. 

Um exemplo? Evangelho de São João, capítulo oito. Vindo da Galileia, Jesus acaba de chegar à Jerusalém. Fariseus, sempre atrelados às leis e obrigações, apresentam uma mulher adúltera, flagrada tendo relações com outro que não seu marido. 

“Professor”, perguntam a Jesus, “pela lei de Moisés essa pecadora deveria ser apedrejada até a morte. É o que devemos fazer? O que você diz?”  
É uma armadilha. Jesus encurralado. Ele respeita as autoridades e deixa a lei ser cumprida ou se insurge e se afirma como Mestre de Amor?

Inteligente, seu movimento será bastante hábil. Ele não nega o direito dos juízes condenarem a mulher, mas adiciona um aparentemente pequeno porém – que na prática ecoa até os dias atuais. 

Eles podem matar a mulher, porém, somente se tiverem certeza absoluta de que satisfazem um critério crucial (com o perdão do trocadilho): não fizeram eles mesmos, nunca, nada errado? – não somente um ato adúltero (que estavam julgando), mas qualquer coisa errada, em qualquer área da vida. 

Jesus indica que, para ser implacável, é preciso uma absoluta pureza. Um princípio ético valioso está sendo introduzido. O verdadeiro centro dessa história, do “atire a primeira pedra”, é o problema perene da Natureza Humana, sua Imperfeição – banhada num misto de força e fraqueza. 

Esse é o mistério da rosa, o nome da rosa. Nossa conjunção de culpa e coragem, egoísmo e grandeza, erro e acerto. Qual o nome dessa Rosa? Bondade – bondade que determina o ponto focal da verdadeira virtude, nutrida de compaixão humanidade. 

Quer saber mais sobre o trabalho de Marina Gold ou entrar em contato com ela, clique aqui.

Veja também:

 

Fonte: Marina Gold

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade