0

As dificuldades do casar e do divorciar

1 abr 2020
09h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Vi pela TV a triste situação de uma moça bem jovem. Ela estava radiante, pois ia se casar. Comprou, pela internet, um belo vestido de noiva, branco, brilhante, cheio de detalhes, rendas e bordados.

Foto: iStock

O vestido chegou, como prometido pelo site, na véspera. Dia seguinte, preparativos adiantados, cerimônia se aproximando, já pronta, penteada e maquiada, nossa noiva tira o vestido da caixa e, tentando colocá-lo, percebe que a remessa havia sido equivocada, o vestido encomendado era o M (ela estudou com atenção as medidas informadas), porém, tinha recebido um P – que só caberia, se coubesse, numa das daminhas.

Eis um exemplo de como casar (refiro-me à logística envolvida, acertos, convites, gastos, etc.) é coisa complicada e difícil, cheia de contratempos e imprevistos. Mas, se casar é desafiador, divorciar-se também é coisa complicada.

Se o casamento vem envolto por uma áura brilhante, consagrando o sagrado do amor, e mesmo assim tem as suas dificuldades, é possível notar que se divorciar, com cargas de energia negativa, dissolução e rompimento, é bem mais complicado.

Se o momento do casamento é repleto de benevolências e expressões de paixão e amor incondicionais; as circunstâncias do divórcio são celeiros de mesquinharias, lutas e enfrentamentos pessoais,  marcados por rancor e ambição.

O casal que se desfaz, outrora tão equilibrado e feliz, agora, separado, se torna beligerante, permite que os piores instintos aflorem: forças destruidoras, vingativas. As flores do jardim dão lugar à lona de luta livre.

O combate é aguerrido. No ringue tudo é motivo de pancada: cada xícara ou colher, o tapete e o computador, enfrentamento de inimizade agressiva. Pior fica quando se passa além do âmbito das posses materiais e se deriva para as questões das relações pessoais. Que tristeza a divisão em relação aos filhos, familiares, amigos, colegas, contatos do trabalho e até mesmo o cachorrinho de estimação.

Então, atenção redobrada! Pense bem, pese coerentemente a tomada de decisão de desmontar a família. Lembre que divorciar é bem mais complicado do que casar.

Quer saber mais sobre o trabalho de Marina Gold ou entrar em contato com ela, clique aqui.

Veja também:

De andador, veterano de guerra de 99 anos arrecada milhões para saúde pública britânica
Fonte: Marina Gold
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade