0

Medo e preocupação na hora de saber sobre o futuro

20 fev 2020
09h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A experiência de anos de vidência me mostrou que as pessoas, em geral, procuram uma orientação esotérica porque se preocupam com o futuro.

A palavra é reveladora, diz bem: futuro – se ocupar previamente.

Vidência e o verdadeiro destino
Vidência e o verdadeiro destino
Foto: iStock

Porém, em geral, essa preocupação incide nos evento que estão acontecendo (presente) e que ainda estão por acontecer (o tal futuro), antes de focalizar suas próprias atitudes e colocar sobre elas necessária preocupação (cuidando da passagem do passado para o presente).

É como se as pessoas se preocupassem com a colheita, sem perceber direito quais são as sementes que ela está fazendo florescer, como são os insumos e adubos que ela está empregando para cuidar da lavoura.

Como constatei repetidamente, é importante explicar que o futuro é uma criação de cada ser, frente às dificuldades que aparecem durante a jornada.

Há quem nomeie as dificuldades como carmas, obstáculos e desafios do caminho, como acidentes que podem comprometer a colheita. No meu caso, como vidente, muitas vezes, consigo perceber as origens do carma. Infelizmente, mesmo quando isso se revela, o consulente pode não aceitar e continua se preocupando com as reações de suas atitudes mais do que com as causas que motivaram essas reações.

Nem se trata de ter esferas de pensamentos positivos ou vibrações de harmonia e motivação porque a própria situação aflitiva, estressada, amedrontada, compromete a trajetória da pessoa. Antes é preciso cuidar do básico, melhorar o clima, para depois construir uma positividade espiritual melhor que auxiliará nas ações.

Assim como as preocupações prévias, outro conjunto de circunstância que conduz as pessoas às consultas esotéricas é o medo. Embora pouca gente consiga avaliar essa situação, as pessoas acabam, frequentemente, confrontando seus medos nas consultas.

O medo se expressa nas mais diferentes áreas da vida. Medo da solidão, da penúria, da doença e o maior, aquele que sempre se apresenta independente da idade do consulente, medo de amar sem ser amado.

Essas são as principais tônicas das aflições: preocupação e medo. Se a consulta esotérica for produtiva, elas podem ser abalizadas, organizadas, equilibradas. Essa é a tarefa maior do consultor, sua responsabilidade e legado.

Quer saber mais sobre o trabalho de Marina Gold ou entrar em contato com ela, clique aqui.

Veja também:

Veja também:

Beirute: A mãe em trabalho de parto durante a explosão
Fonte: Marina Gold
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade