PUBLICIDADE

Declaração falsa de Milei ameaça calote a empréstimo que Brasil nunca fez à Argentina

5 dez 2023 - 17h17
Compartilhar
Exibir comentários

É falso que o presidente eleito da Argentina, Javier Milei, afirmou que seu governo não tem "responsabilidade alguma" sobre uma soma de US$ 1,2 bilhão supostamente emprestada pelo Brasil à gestão de seu antecessor, Alberto Fernández. Além de não existir registro público de fala semelhante atribuída ao político, o empréstimo citado também não foi feito pelo governo brasileiro: a Argentina, na realidade, recebeu dinheiro do CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina) e já quitou sua dívida. Ou seja, são dois conteúdos desinformativos circulando juntos.

Posts que disseminavam a declaração falsa acumulavam mais de 1.000 curtidas no Instagram e centenas de compartilhamentos no Facebook até a tarde desta terça-feira (5). As peças de desinformação circulam também no WhatsApp, plataforma na qual não é possível estimar o alcance dos conteúdos (fale com a Fátima).

Selo falso

Javier Milei: 'Não temos responsabilidade alguma sobre dinheiro dado ao Sergio Massa pelo governo brasileiro, não foi um dinheiro emprestado ao povo argentino e sim uma cúpula corrupta para interferir nas eleições.
Foto de Javier Milei circula junto de declaração falsa sobre não devolver dinheiro ao Brasil
Foto de Javier Milei circula junto de declaração falsa sobre não devolver dinheiro ao Brasil
Foto: Aos Fatos

Não há registros públicos de que Javier Milei tenha dito que não iria devolver o dinheiro supostamente emprestado pelo Brasil à gestão de Alberto Fernández. Aos Fatos não encontrou nenhuma declaração semelhante em entrevistas ou nas principais redes sociais do presidente eleito (X, Facebook e Instagram).

A cifra citada também não corresponde a um empréstimo do Brasil à Argentina, como fazem crer as peças de desinformação. Na verdade, o montante de US$ 1 bilhão foi repassado em julho deste ano pelo CAF — instituição internacional composta por 21 países e 13 bancos privados que tem como objetivo promover o desenvolvimento da América Latina. A dívida foi quitada no mês seguinte.

O objetivo do empréstimo era ajudar a Argentina a pagar uma dívida de US$ 2,7 bilhões com o FMI (Fundo Monetário Internacional). Com o pagamento da parcela, a instituição dispensaria mais recursos ao país, que então pagaria o CAF.

A história de que o empréstimo teria relação com o governo brasileiro começou a circular nas redes após a colunista Vera Rosa publicar no Estado de S. Paulo no dia 3 de outubro texto em que afirma que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teria atuado junto à ministra do Planejamento, Simone Tebet (MDB), para aprovar o empréstimo do CAF à Argentina. Segundo o texto, um dos objetivos do petista era tentar barrar o avanço de Milei na corrida eleitoral argentina. Tebet, no entanto, negou as informações.

A coluna, inclusive, foi replicada por Milei no X junto de um texto que afirmava que havia "comunistas enojados e com ações diretas contra sua pessoa e seu espaço" (veja abaixo).

O Boatos.org também desmentiu esta peça de desinformação.

Referências:

1. X (@JMilei 1 e 2)

2. Facebook (Javier Milei)

3. Instagram (@javiermilei)

4. CAF

5. Governo federal

6. Estado de S. Paulo

7. Valor Econômico

Aos Fatos
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade