PUBLICIDADE

Faustão era o 13º na lista de transplante de rim e cumpria critérios de priorização

Apresentador recebeu um novo rim seis meses após passar por um transplante de coração

28 fev 2024 - 09h01
(atualizado às 12h30)
Compartilhar
Exibir comentários
Faustão
Faustão
Foto: Reprodução de Vídeo/Instagram/@joaosilva / Estadão

O apresentador Fausto Silva, o Faustão, 73 anos, que passou por um transplante de rim seis meses após receber um coração novo, era o 13º na lista para o procedimento, de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.

Segundo nota enviada ao Terra, Faustão foi incluído na fila de transplante renal no dia 6 de fevereiro e cumpria os requisitos de prioridade para a cirurgia. 

"A Central de Transplantes do Estado de São Paulo informa que o paciente F.S. foi inserido na fila para transplante em 6 de fevereiro e, seguindo resoluções estaduais, foi submetido ao transplante de rim na última segunda-feira, 26, cumprindo os critérios de priorização. F.S. encontrava-se como 13º na lista para o procedimento", informa a Secretaria de Saúde.

"De acordo com a Resolução Estadual SS 06 de 2019, são critérios de priorização: a) impossibilidade total de acesso para diálise, b) pós-transplante de outro órgão, c) pós-doação renal. Já os critérios de classificação de receptores potenciais para fins de transplante de rim são: compatibilidade HLA (genética), compatibilidade ABO (sanguínea), priorização e idade do doador", explicou o órgão.

Faustão passa por transplante de rim após agravamento de doença renal crônica:

Atualmente, no total, 42.133 pessoas esperam por um transplante de órgão no Brasil. Para receber um rim, são 38.927. São Paulo é o estado com mais pacientes na fila. Os dados são do Ministério da Saúde e foram atualizados em 27 de fevereiro. 

Caso do Faustão

Faustão passou pelo transplante de rim na manhã de segunda-feira, 26, em decorrência ao agravamento "de uma doença renal crônica". A cirurgia aconteceu sem intercorrências e ele está internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, para acompanhamento da adaptação do órgão e controle clínico.

No ano passado, o apresentador recebeu um novo coração após ficar 21 dias internado. Ele entrou como prioridade na fila de transplante por causa da gravidade do seu caso.

Rim é o órgão que tem maior lista de espera; Faustão aguardou 2 meses Rim é o órgão que tem maior lista de espera; Faustão aguardou 2 meses

Como funciona a lista de transplantes de órgãos no Brasil?

O Brasil é referência mundial na área de transplantes e tem o maior sistema público de transplantes do mundo. Em números absolutos, o País é o 2º maior transplantador do mundo, atrás apenas dos EUA.

Atualmente, mais de 42 mil pessoas no Brasil aguardam por um órgão para transplante. Dessas, mais de 38 mil aguardam um transplante de rim. De janeiro a setembro de 2023,  por exemplo, o rim foi o órgão mais transplantado, sendo responsável por 66,72% dos procedimentos. Existe dois tipos de transplante deste órgão: vivo e falecido. Geralmente, as pessoas nascem com dois rins. Caso ambos apresentem condições saudáveis e compatibilidade com receptor, esse procedimento pode acontecer sem a dependência da lista de espera.    

A lista de espera por um órgão funciona baseada em critérios técnicos, são eles:

  • Pacientes em estado crítico, com risco de morte, por exemplo, são atendidos com prioridade, em razão de sua condição clínica; 
  • A tipagem sanguínea, compatibilidade de peso e altura, compatibilidade genética e critérios de gravidade distintos para cada órgão determinam a ordem de pacientes a serem transplantados;
  • A impossibilidade total de acesso para diálise (filtração do sangue), no caso de doentes renais; a insuficiência hepática aguda grave, para doentes do fígado; necessidade de assistência circulatória, para pacientes cardiopatas; e rejeição de órgãos recentes transplantado são critérios também utilizados;
  • Quando os critérios técnicos são semelhantes, a ordem cronológica de cadastro, ou seja, a ordem de chegada, funciona como critério de desempate.

Transplante de coração

Em 27 de agosto do ano passado, Faustão recebeu um novo coração. Na época, especulou-se que o comunicador 'furou fila'. No entanto, a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo explicou que o quadro do apresentador era prioritário. 

• FAUSTÃO ERA PRIORIDADE: Doze pacientes aguardavam na fila. Desse total, quatro eram casos prioritários, e o apresentador se encaixava em um deles. Faustão ocupava o 2º lugar na fila de prioridade.

• FAUSTÃO FUROU FILA? Especulações na internet de que Faustão teria "furado a fila" para receber o novo órgão fez com que o Ministério da Saúde esclarecesse que o apresentador foi priorizado em razão de seu estado muito grave de saúde. 

• QUANTO TEMPO FAUSTÃO FICOU NA FILA: A esposa de Faustão, Luciana Cardoso, 46, contou que o apresentador esperou 20 dias para receber um novo coração. "Depois dos exames do painel de anticorpos e outros detalhes médicos, Fausto foi incluído na lista no dia 8 de agosto", escreveu ela em carta aberta.

• COMO FOI A CIRURGIA DE FAUSTÃO: O apresentador foi operado na tarde do dia 27 de agosto de 2023, depois de o Hospital Israelita Albert Einstein ter sido acionado na madrugada para avaliar a compatibilidade do órgão. A cirurgia durou cerca de 2h30 e foi bem-sucedida.

Agradecimento após cirurgia

Após receber alta do transplante de coração,  Fausto Silva gravou um vídeo para agradecer o carinho que recebeu durante a sua recuperação. Ele também agradeceu a família do doadorFábio Cordeiro da Silva, que faleceu aos 35 anos

"Alô, galera. Já saí do hospital, estou em casa, agora iniciando uma nova fase. Mas antes, de novo, agradecimento eterno a cada um de vocês que rezaram, fizeram mensagens de solidariedade, de apoio. Tudo isso me ajudou muito nessa luta pela vida. Quero também agradecer a família do doador, que eu não tenho palavras, mas vou rezar por eles o resto da minha vida", disse.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade