PUBLICIDADE

Influencer que entregou faixa a Lula critica fala sobre uso de muletas: "Capacitista"

Lula disse que não seria visto de muletas, "mas sempre bonito". Influenciador e ativista Ivan Baron considera que fala é "problemática"

27 set 2023 - 10h23
(atualizado às 12h26)
Compartilhar
Exibir comentários
Lula toma posse, em 1º de janeiro, com representantes da sociedade, entre eles o influenciador Ivan Baron
Lula toma posse, em 1º de janeiro, com representantes da sociedade, entre eles o influenciador Ivan Baron
Foto: CartaCapital

O influenciador digital Ivan Baron, ativista pela causa das pessoas com deficiência que subiu a rampa do Planalto com Lula (PT) na posse, criticou as falas do presidente, que disse que não seria visto de andador e muleta, “mas sempre bonito”. Com 493 mil seguidores no Instagram, Baron teve meningite viral aos três anos, o que causou paralisia cerebral. Ele classificou a fala do petista como “capacitista”.

O termo capacitismo é utilizado para nomear comportamentos que reforçam estigmas e discriminação sobre pessoas com deficiência.

“O [fotógrafo Ricardo] Stuckert não quer que eu ande de andador, ele já falou 'não vou filmar você de andador'. Então, significa que vocês não vão me ver de andador, vocês não vão me ver de muleta, vocês vão me ver sempre bonito, como se eu não tivesse operado”, disse Lula no programa de rádio do governo federal, Café com o Presidente, desta semana.

8 frases que revelam que você está sendo capacitista sem saber 8 frases que revelam que você está sendo capacitista sem saber

O presidente falava da cirurgia a que será submetido na próxima sexta, 29, para colocar uma prótese na cabeça do fêmur e diminuir dores devido a uma artrose - um desgaste na cartilagem que reveste o osso entre a perna e o quadril.  O procedimento é considerado de baixo risco e para recuperação, Lula poderá utilizar bengalas e andador que ajudem na sua locomoção.

Em uma postagem na rede X, antigo Twitter, Baron disse que “associar o uso de tecnologia assistiva à falta de beleza é um tanto problemático e não contribui em nada no processo de aceitação de quem precisa. Dá a entender que nossos corpos são errados e incompletos. Reforça o Capacitismo”. 

O influencer defende, entre outras pautas, o uso da bengala como uma questão que a tecnologia assistiva, como cadeiras de roda, é sinônimo de liberdade e empoderamento para pessoas com deficiência. Na postagem, Baron desejou "uma excelente recuperação" ao presidente e sugeriu "um encontro para dar dicas de poses com a bengala" e o fotógrafo de Lula e da Presidência, Ricardo Stuckert, fazer um ensaio.

A senadora Mara Gabrilli (PSD-SP), que é tetraplégica hpa 29 anos, também condenou a fala do presidente.

Em entrevista à Coluna do Estadão, a parlamentar disse que "caminhar, seja com andador, muleta ou cadeira de rodas não enfeia ninguém, tampouco subtrai o potencial do ser humano".

Capacitismo: jornalistas já se desculparam ao vivo pelo uso de algumas palavras Capacitismo: jornalistas já se desculparam ao vivo pelo uso de algumas palavras

Fonte: Guilherme Mazieiro Guilherme Mazieiro é repórter e cobre política em Brasília (DF). Já trabalhou nas redações de O Estado de S. Paulo, EPTV/Globo Campinas, UOL e The Intercept Brasil. Formado em jornalismo na Puc-Campinas, com especialização em Gestão Pública e Governo na Unicamp. As opiniões do colunista não representam a visão do Terra. 
Compartilhar
Publicidade
Publicidade