0

Pela 1ª vez na pandemia, tráfego semanal em estradas da CCR cresce ante 2019

30 out 2020
19h39
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O tráfego comparável de veículos nas rodovias sob administração da CCR na semana de 23 a 29 de outubro cresceu 0,5% ante mesmo período de 2019, o que não acontecia desde março, quando começou a pandemia da Covid-19, informou a concessionária nesta sexta-feira.

Vista de praça de pedágio numa rodovia em São Paulo. 11/3/2016. REUTERS/Paulo Whitaker
Vista de praça de pedágio numa rodovia em São Paulo. 11/3/2016. REUTERS/Paulo Whitaker
Foto: Reuters

Segundo a companhia que administra o Sistema Anhanguera/Bandeirantes, que liga a capital paulista ao interior do Estado, e a Via Dutra, principal ligação rodoviária entre Rio de Janeiro e São Paulo, o tráfego de carros de passeio ainda foi 9% menor ano a ano, mas a circulação de veículos comerciais cresceu 8,1%.

As informações vêm na esteira da flexibilização das medidas de isolamento social tomadas em março para conter a pandemia, uma vez que os dados de infecções, internações e de mortes provocadas pela doença vêm gradualmente diminuindo no país.

No acumulado do ano até 29 de outubro, porém, o movimento nas rodovias administradas pela CCR ainda foi 8,9% menor.

No caso dos aeroportos geridos pela empresa, incluindo os terminais de Confins (MG) e Viracopos (SP), o movimento na semana foi 66,8% mais baixo do que em igual período de 2019, embora também tenha sido a menor queda no comparativo anual desde o começo da pandemia.

Nas concessões de mobilidade social, o movimento na semana encerrada na véspera foi 48,8% mais baixo do que um ano antes, igualando o nível da semana passada, também a menor queda desde meados de março. A CCR administra linhas de metrô em São Paulo e em Salvador (BA), além do VLT, no Rio de Janeiro.

Veja também:

Cerca de três toneladas de maconha são apreendidas em meio à carga de soja
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade