Câncer de lábio atinge mais pessoas brancas e parte inferior

Falta de pigmentação protetora e maior exposição ao sol do lábio de baixo são as principais causas

A principal causa do câncer dos lábios é a exposição aos raios solares ao longo de toda vida. Esse contato com os raios ultravioletas do sol é acumulativa e os danos podem demorar décadas para acontecer, mas quando acontecem são mais frequentes em pessoas brancas e nos lábios inferiores. 

Além de não fumar e não beber em excesso devemos nos proteger ao ficar expostos ao sol com o uso de chapéu, boné e sombrinhas, além de usar diariamente protetores labiais com fator de proteção solar de no mínimo 15 FPS
Além de não fumar e não beber em excesso devemos nos proteger ao ficar expostos ao sol com o uso de chapéu, boné e sombrinhas, além de usar diariamente protetores labiais com fator de proteção solar de no mínimo 15 FPS
Foto: petrujela / Shutterstock

A explicação para esses dados é simples. “Pessoas de pele clara possuem menos melanina (pigmento que dá cor a pele) e é essa pigmentação que protege a pele da exposição solar. Assim, os lábios, e a pele como um todo, acabam sofrendo mais. Mas isso não quer dizer que pessoas de pele mais escura não possam desenvolver o câncer de lábio ou pele, apenas que estão mais protegidas”, diz Celso Lemos, professor associado do Departamento de Estomatologia da Faculdade de Odontologia da USP (FOUSP). 

Já o motivo de praticamente 100% dos cânceres ocorrerem no lábio inferior é devido a maior exposição ao sol. “Eles ficam mais expostos pela posição que se encontram em relação aos superiores”, diz o especialista. Mas é preciso dizer também que apesar da exposição solar ser o principal fator, o tabaco e o álcool também possuem papel importante em relação ao câncer de lábio.

Como detectá-lo
Antes do câncer se instalar de fato, Celso explica que outra doença pode surgir dando uma prévia do que pode acontecer. “Antes as pessoas costumam ter uma doença prévia nos lábios com potencial de malignização que é a Queilite Actínica. Ela ainda não é um câncer, mas é uma doença que afeta o lábio devido ao sofrimento crônico de toda uma vida exposta ao sol”, diz o professor. 

Em geral, essa doença começa com uma pequena descamação (aquelas peinhas famosas que todo mundo já puxou alguma vez da boca) que pode evoluir para feridas que não cicatrizam. Nos casos mais sérios, o lábio chega a inchar, podem aparecer manchas brancas e vermelhas, áreas rugosas, bolhas e a pessoa ainda pode sentir uma forte queimação na região. Se a ferida não cicatrizar em alguns dias e só piorar pode levar de fato ao câncer. 

“A Queilite Actínica é bastante comum em profissionais que trabalham expostos ou pessoas que passam muito tempo fora de ambientes fechados. Ela pode permanecer por muitos anos antes de se transformar em um câncer. Por isso, quando o paciente perceber uma ferida que não cicatriza em até 15 dias é melhor ele procurar um médico ou um dentista”, diz Celso. 

Ainda segundo ele, é muito comum as pessoas demorarem meses para procurar auxílio achando que essas características são normais, pois “sempre tiveram essa pelinha soltando dos lábios”. Lábios com essas características devem ser examinados assim que possível pelo dentista estomatologista ou pelo dermatologista.

Evitar é o melhor remédio
E evitá-lo não é tão difícil. “Além de não fumar e não beber em excesso devemos nos proteger ao ficar expostos ao sol com o uso de chapéu, boné e sombrinhas, além de usar diariamente protetores labiais com fator de proteção solar de no mínimo 15 FPS”, diz Celso. 

De todos os cânceres de afetam a boca, o câncer de lábio pode ser considerado o menos doloroso e com menor taxa de mortalidade. “Quando diagnosticado nos primeiros meses do aparecimento, praticamente 100% dos casos são curados com quase nenhum dano estético. Porém, pacientes com lesões extensas (mais de 4 cm) além de maior risco de morte, têm mais chances de sofrerem danos estéticos resultantes do tratamento feito pelo cirurgião de cabeça e pescoço”, diz o especialista.  

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados.

compartilhe

publicidade
publicidade