Falta de higiene bucal afeta a fertilidade? Descubra

Pesquisa aponta que tempo médio para engravidar pode pular de cinco para sete meses em pessoas com inflamações na gengiva.

11 dez 2018
09h00

Se você é mulher e está querendo ter um filho é bom ficar mais atenta do que nunca à sua saúde bucal. Pelo menos é o que diz uma pesquisa australiana que foi apresentada em uma conferência sobre fertilidade. Segundo esse estudo, uma higiene bucal falha pode afetar sua capacidade de gerar uma criança. 

A pesquisa, realizada pela Universidade do Oeste da Austrália, avaliou cerca de 3,5 mil mulheres e percebeu que aquelas que tinham problemas bucais, principalmente inflamações gengivais, apresentaram níveis elevados de marcadores para inflamação no sangue. 

Para os pesquisadores, um quadro grave de inflamação pode desencadear uma série de outros problemas e atrapalhar todo o funcionamento do corpo humano. Para eles, esses problemas bucais podem atrasar em até dois meses o tempo que a mulher levaria para engravidar, passando de cinco, para sete meses. 

Bem se sabe que a periodontite (inflamação mais severa da gengiva) está ligada à outros problemas de saúde como a endocardite bacteriana. Essa doença é uma inflamação que afeta as válvulas e o tecido que reveste o coração e pode ser desencadeada por bactérias provenientes de uma forte inflamação na gengiva que caíram na corrente sanguínea e chegaram até o órgão. 

Foto: Shutterstock.com

 

Parto prematuro

Para Eliane Ribeiro Dias da Costa, cirurgiã-dentista e periodontista, apesar do resultado da pesquisa, ainda é preciso mais estudos sobre esse assunto para, de fato, associar com certeza os dois problemas. No entanto, ela não acha impossível que haja essa relação, pois as inflamações gengivais têm um histórico comprometedor quando o assunto é gestação. 

“O que já se sabe é que a periodontite tem o poder aumentar de 2 a 7 vezes o risco de parto prematuro por causar superirritabilidade da musculatura do útero intensificando as contrações e a dilatação cervical”, diz a especialista. 

Além de induzir o nascimento de crianças prematuras, a periodontite pode fazer com que elas nasçam bem abaixo do peso normal (com peso inferior a 2,5 kg). 

Check up odontológico

Mas uma coisa Eliane concorda completamente com a pesquisa. “Se você pretende começar a tentar engravidar, precisar incluir em suas prioridades médicas um check up ao dentista, pois as alterações hormonais, nutricionais, microbianas e metabólicas típicas da gestação deixam a mulher com maior predisposição às doenças gengivais e, como vimos, esse quadro bucal não é bom para o bom andamento da gravidez”, diz a especialista. 

Durante a gestação os níveis dos hormônios progesterona e estrógeno aumentam muito, chegando a ficar cerca de 10 e 30 vezes maiores, respectivamente. “Esse aumento hormonal potencializa as inflamações e, se juntarmos a isso o fato de que as gestantes tendem a escovar menos os dentes nessa fase por causa das náuseas, o quadro pode ficar bem preocupante”, diz Eliane. 

Para completar, as futuras mamães também têm fama de comer mais nesse período e muitas vezes são coisas mais calóricas e cheias de açúcar. 

“Por tudo isso é que a saúde bucal não pode ser deixada de lado em momento nenhum da vida, muito menos quando a ideia é ter um filho, pois se a gestante quer gerar uma criança ela precisa ter certeza que sua saúde está perfeita e a boca é a porta de entrada para muitas doenças”, diz Eliane. 

Fonte: FF
publicidade