PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Tártaro é somente o início de problemas dentários mais graves

Prevenção é a melhor alternativa para combater o tártaro, que só pode ser removido com procedimentos em consultório

23 abr 2024 - 06h45
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
O tártaro é um problema odontológico comum, causado pela falta de higiene oral. Se não evitado, pode levar a sérias consequências como cáries ou doenças gengivais; e só pode ser removido por procedimento de limpeza em um consultório odontológico.
Tártaro é somente o início de problemas dentários mais graves:

Crostas amareladas e endurecidas que surgem nos dentes têm consequências muito maiores do que apenas o prejuízo estético. Conhecidas como tártaro ou cálculo dental, essas crostas figuram entre os problemas odontológicos mais comuns junto com as cáries e doenças gengivais, podendo ter sérias consequências. 

“Ao dificultar a higienização adequada, o tártaro forma uma espécie de escudo ou proteção para as bactérias nocivas presentes na boca, assim favorecendo sua proliferação com consequentes danos à estrutura dental, o que pode levar à formação de cáries e doenças gengivais. Além disso, essas bactérias liberam toxinas que contribuem para um estado inflamatório da cavidade oral, assim predispondo ao surgimento de condições como a gengivite e, posteriormente, a periodontite”, afirma Hugo Lewgoy, doutor pela Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP) e consultor científico da Curaden Swiss, que ainda acrescenta que o acúmulo de tártaro é uma causa importante do mau hálito.

De acordo com o especialista, a principal causa do acúmulo de tártaro nos dentes é a negligência com a higiene oral adequada, motivo pelo qual é um problema tão recorrente nos consultórios odontológicos. 

“A formação do cálculo dental popularmente conhecido como tártaro, pode ocorrer na fase inicial do processo de  formação do chamado biofilme oral ou placa bacteriana. Inicialmente a saliva que banha os dentes forma uma camada com muco proteínas (mucinas e outras proteínas) chamada película adquirida. Essa película fornece uma superfície para aderência inicial das bactérias. As bactérias presentes na cavidade oral, ao se misturarem a subprodutos alimentares, como a sacarose e outros componentes provenientes de restos celulares que descamam naturalmente das mucosas orais, formam um filme transparente conhecido como placa bacteriana ou biofilme oral. Esse biofilme possui múltiplas camadas, se adere à superfície dental e penetra nas regiões interdentais e sob a gengiva", diz ele. 

"A higiene oral tem como principal objetivo remover essa placa bacteriana. Mas, quando isso não acontece, essa placa endurece e adquire uma cor esbranquiçada ou amarelada, formando o tártaro ou cálculo dental. Em algumas pessoas o cálculo dental pode se formar diretamente a partir da película adquirida (na fase inicial da formação do biofilme), porém, se há tártaro é porque, em algum momento, a higiene oral não foi realizada da maneira mais adequada”, afirma o especialista. 

Uma vez formado, o tártaro só pode ser removido em consultório com procedimentos de raspagem e limpeza. Por isso, a prevenção é sempre a melhor alternativa.

Comece pelo básico

A escovação diária, duas a três vezes ao dia, é o principal cuidado para eliminar a placa bacteriana. Mas, para máxima eficácia, deve ser realizada da maneira correta e com produtos adequados. No caso da escova, por exemplo, é importante optar por produtos com uma grande quantidade de cerdas ultramacias, como a consagrada Escova 5460 ou a Escova Curaprox Velvet, que tem 12.460 cerdas feitas de Curen, um tipo de fibra mais fina e ultramacia, muito eficaz e que não agride os dentes e gengivas. 

“Enquanto cerdas muito duras podem desgastar o esmalte dos dentes e agravar problemas gengivais, a quantidade de cerdas está relacionada à eficácia da escovação: quanto mais cerdas, menor é o acúmulo de placa bacteriana sobre os dentes”, afirma o cirurgião-dentista. 

Com relação ao creme dental, vale a pena optar por produtos que tenham uma formulação que ofereça benefícios adicionais de proteção aos dentes. É o caso dos cremes dentais Be You, Enzycal e Herbal Bliss, que são formulados com enzimas lácteas que conferem ação bactericida e antiviral, auxiliando no combate aos microrganismos nocivos e estimulando também a função protetora da saliva, o que auxilia no controle da placa bacteriana. 

“Especialmente na região lingual dos dentes anteriores inferiores (incisivos centrais e laterais da mandíbula), temos uma grande incidência de cálculo. A utilização das escovas unitufo nessa região deixa as superfícies dentais sempre lisas e polidas, evitando a formação do tártaro.”

Recorra à tecnologia

Segundo Hugo, existem evidências de que as escovas dentais elétricas são capazes de eliminar a placa bacteriana de maneira mais eficaz do que as versões manuais convencionais. Nesse sentido, uma grande novidade são as chamadas escovas hidrossônicas, que geram uma onda acústica que provoca uma agitação poderosa dos líquidos existentes na boca (água, saliva, biofilme e creme dental). 

“Esse é o chamado efeito hidrossônico ou hidrodinâmico que, em conjunto com a movimentação das cerdas, favorece a desorganização da placa bacteriana”, explica o especialista. 

Um exemplo é a escova Hydrosonic Pro, da Curaprox, que tem sete modos de funcionamento que vão de 44 a 84 mil movimentos por minuto e, no nível máximo, gera a formação de ondas e microbolhas que vão de encontro aos dentes, potencializando ainda mais a desorganização do biofilme oral mesmo em locais de difícil acesso. 

Além da cabeça regular, ela também possui uma cabeça do tipo unitufo, que é excelente para ser utilizada na região lingual dos dentes incisivos inferiores, principal local de acúmulo do cálculo dental.

Higienize a região interdental

A área localizada entre os dentes é um ponto de grande acúmulo de placa bacteriana, além de ser o local de partida de grande parte das cáries e doenças gengivais. E, ao contrário do que muitos imaginam, somente o uso do fio dental não é suficiente para remover o biofilme oral e prevenir o surgimento de tártaro. 

“Apesar de ser um ótimo acessório para a remoção dos detritos alimentares, que podem ficar retidos entre os dentes, o fio dental não consegue higienizar adequadamente esses locais, pois existem irregularidades e concavidades que dificultam o acesso. Nessas áreas, as escovas interdentais são muito mais eficientes para a desorganização da placa bacteriana”, diz Hugo Lewgoy. 

Adote uma dieta balanceada

Hugo explica que, para evitar o acúmulo de placa bacteriana nos dentes, é importante evitar certos tipos de alimentos, especialmente aqueles ricos em açúcar e carboidratos, que favorecem significativamente a produção de biofilme oral na cavidade oral. 

“No lugar, aposte em uma alimentação balanceada. Existem alguns alimentos que, inclusive, não aderem tanto na superfície dos dentes e possuem um efeito adstringente, especialmente aqueles mais fibrosos, como melancia, melão, pepino, maçã e morango. Mas evite adoçá-los para que o efeito não seja o contrário. E lembre-se de que eles também possuem um tipo de açúcar que pode ser metabolizado pelas bactérias (frutose) e não substituem a higiene oral adequada”, aconselha o especialista.

Visitas regulares ao cirurgião-dentista

Mesmo seguindo todos esses cuidados, consultar o cirurgião-dentista regularmente é fundamental para verificar a presença de tártaro na cavidade oral e, se necessário, realizar uma limpeza para removê-lo, assim evitando o surgimento de condições mais graves. Além disso, o especialista poderá recomendar cuidados específicos para o seu caso. 

“Por exemplo, pessoas que têm grande tendência à formação de tártaro ou têm dificuldade para realizar a escovação da maneira adequada podem ter indicação de uso de enxaguatórios orais, como o PerioPlus+ Balance, da Curaprox, que é capaz de combater uma ampla gama de microrganismos e dificultar o acúmulo de biofilme oral sem causar impacto negativo sobre o ressecamento das mucosas orais”, diz Hugo Lewgoy, que, por fim, recomenda que as visitas ao cirurgião-dentista sejam realizadas, imprescindivelmente, a cada seis meses.

Assista ao vídeo com Eduardo Sampaio, especialista em Periodontia e consultor científico da Curaprox do Brasil, que comenta sobre o tártaro.

(*) HOMEWORK inspira transformação no mundo do trabalho, nos negócios, na sociedade. É criação da Compasso, agência de conteúdo e conexão.

Homework Homework
Compartilhar
Publicidade
Publicidade