PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Anac proíbe venda de passagens, e operações estão suspensas por tempo indeterminado no aeroporto de Porto Alegre

Em meio à tragédia socioambiental no Rio Grande do Sul, o Aeroporto Salgado Filho continua alagado

14 mai 2024 - 23h25
(atualizado em 15/5/2024 às 00h09)
Compartilhar
Exibir comentários
Imagens aéreas mostram o aeroporto de Porto Alegre debaixo d'água:

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) determinou a suspensão imediata da comercialização de passagens aéreas para voos que tenham o Aeroporto Internacional Salgado Filho, de Porto Alegre, como origem ou destino. A proibição foi emitida nesta terça-feira, 14. A Fraport, concessionária que administra o aeroporto, também reforçou que as operações continuam suspensas por tempo indeterminado.

As águas voltaram a subir em Porto Alegre e, no Estado, os registros de óbitos seguem crescendo. Até as 18h30 desta terça, a Defesa Civil Estadual confirmou 149 mortes. A quantidade de pessoas desaparecidas diminuiu de 124 para 112, enquanto a de feridas permaneceu em 806. A tragédia socioambiental já atingiu 446 das 497 cidades gaúchas desde o início das chuvas, em 29 de abril. No total, mais de 2,2 milhões de pessoas foram afetadas.

Enchentes no RS: quais são os rios que estão no centro da tragédia gaúcha Enchentes no RS: quais são os rios que estão no centro da tragédia gaúcha

Sem previsão de retomada

Em nota ao Terra, a Anac explicou que a proibição da comercialização de passagens “abrange todos os canais de comercialização, inclusive sistemas que disponibilizem vendas por terceiros, como agências de viagem e outros intermediários”. A determinação será mantida até nova avaliação da agência.

Para os passageiros diretamente atingidos com os cancelamentos de voos do aeroporto de Porto Alegre, a Anac afirma que não haverá custo para remarcação de passagens com prazo de até um ano da data original da viagem. “O reembolso ou crédito por cancelamento de voos com destino final alterado será total, sem cobrança de taxas”, complementou, em nota.

Avião de carga em aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre
Avião de carga em aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre
Foto: Wesley Santos / Reuters

Também não há previsão para reabertura do aeroporto, que continua alagado. A Fraport esclareceu que não há qualquer previsão para a retomada, visto que, até o momento, não há estimativas dos danos causados pela enchente. “Após as águas baixarem, teremos condições de avaliar em detalhes os impactos na infraestrutura aeroportuária”, complementou a administradora.

Por enquanto, a Fraport afirmou estar autorizada a operar cinco voos diários e que está trabalhando para viabilizar voos comerciais para passageiros e cargas, em menor escala, a partir da Base Aérea de Canoas (RS).

Oficialmente, segundo registrado no Departamento de Controle do Espaço Aéreo da Força Aérea Brasileira, o aeroporto está interditado até o dia 30 de maio. Até o momento, segundo a Aeronáutica, a Fraport não ampliou a vigência das restrições – mas a data pode ser alterada após solicitação.

Saiba como ajudar as vítimas das enchentes do Rio Grande do Sul Saiba como ajudar as vítimas das enchentes do Rio Grande do Sul

Outros meios

Com o fechamento do Aeroporto Salgado Filho, o governo do Estado do Rio Grande do Sul divulgou outros aeroportos regionais que começaram a receber novos voos comerciais. O objetivo é diminuir o impacto do fechamento do terminal da capital.

Confira a listagem, com os municípios:

  • Administrados pelo governo do Estado:

Passo Fundo: receberá 16 novos voos semanais

Santo Ângelo: receberá dois novos voos semanais

  • Administrados pela CCR Aeroportos:

Pelotas: receberá cinco voos semanais

Uruguaiana: receberá três novas rotas

  • Municipais:

Caxias do Sul: receberá 25 voos semanais

Santa Maria: receberá dois novos voos

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade