PUBLICIDADE

Égua é resgatada após ficar 10 dias em 3º andar de prédio no RS; veja

Corpo de Bombeiros retirou o animal na noite desta terça-feira, 14, em São Leopoldo

14 mai 2024 - 22h59
(atualizado às 23h26)
Compartilhar
Exibir comentários
Égua é resgatada após ficar presa por dez dias em prédio em São Leopoldo:

O Corpo de Bombeiros resgatou na noite desta terça-feira, 14, uma égua que ficou presa no 3º andar de um prédio em São Leopoldo, no Vale dos Sinos, no Rio Grande do Sul. Segundo as autoridades, o proprietário do imóvel foi quem acionou os militares para o salvamento e informou que ela estava lá havia 10 dias. 

Ao Terra, a major dos bombeiros Josiane Teloeken explicou que, para a retirada do animal, foi necessário o uso de uma espécie de tirolesa para levantar a égua e levá-la em segurança até um barco. Essa técnica é chamada de “salvamento nas alturas”. Ainda não há informações sobre para onde ela foi encaminhada. 

“Os meninos foram até o local junto com veterinários, que informaram que se ela não fosse retirada ela morreria, pois ela já estava bem frágil. Não havia outra possibilidade de fazer [antes o resgate], pois estava alagado”, pontuou a major. 

No salvamento, atuaram duas equipes especializadas compostas por militares do Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e do Rio Grande do Sul. 

Égua é resgatada após ficar 10 dias em 3º andar de prédio em São Leopoldo
Égua é resgatada após ficar 10 dias em 3º andar de prédio em São Leopoldo
Foto: Reprodução/RBS TV

Tentativa de resgate

Dirceu Matias, dono da égua, explicou que primeiro colocou o bicho no 2º andar do prédio, mas, como a água continuou subindo, transferiu para o 3º andar.

À CNN Brasil, ele afirmou que mora em uma chácara em frente ao prédio e que tem permissão do proprietário para abrigar seus animais lá. Dois bois também estavam no mesmo prédio, mas já tinham sido resgatados. 

O Rio Grande do Sul vem sofrendo com chuvas e enchentes intensas desde o fim do mês de abril. Segundo informações divulgadas pela Defesa Civil na noite desta terça-feira, já são 149 mortes confirmadas.

Já os desaparecimentos diminuíram de 124 para 112, informou a Defesa Civil, enquanto os feridos permaneceram em 806. As enchentes já afetaram 446 das 497 cidades gaúchas desde o início das chuvas.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade