PUBLICIDADE

Polícia

PM, que estava em bar, ameaça atirar em família que voltava de velório; entenda

Oficial de folga atirou contra carro e ameaçou voltar com viatura e “dar taca em todo mundo”; militar nega

24 nov 2023 - 10h39
(atualizado às 10h46)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Polícia Militar DF

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) abriu uma investigação para apurar uma confusão em Planaltina, Distrito Federal, no qual um sargento da Polícia Militar efetuou disparos em via pública contra pessoas que voltavam de um velório. As informações são do portal Metrópoles

De acordo com relatos de testemunhas, o sargento estaria armado e consumindo bebidas alcoólicas em um bar. Na sequência, o PM teria feito ameaças de retornar com uma viatura para “dar taca em todo mundo”. Ainda segundo pessoas que presenciaram o caso, o sargento estava sem farda.

O caso ocorreu no sábado passado, 18, por volta das 17h. Segundo um morador, ele e sua esposa retornavam do velório da sogra quando, em determinado momento, a esposa recebeu uma ligação relacionada a questões familiares, o que a fez sair do veículo "transtornada". 

Após a esposa sair do veículo, dois homens se aproximaram e abordaram o marido dela, proferindo ameaças contra ele. A dupla chegou a ordenar que o homem se afastasse e apontou uma arma para sua cabeça. O marido conta que, então, fugiu com o carro. Posteriormente, o motorista descobriu que um dos responsáveis pelas ameaças era o policial militar em questão, que não havia se identificado no momento do incidente.

Nervoso, o motorista acabou batendo com o veículo, contudo, mesmo assim, voltou ao local para resgatar a esposa. “Liguei para minha sobrinha, para gente voltar e pegar minha mulher. Voltando lá perto do bar, eles me conheceram no carro e já deram vários tiros na gente”, contou o homem ao site. 

Durante o trajeto para resgatar a esposa, o policial militar teria entrado em discussão com a família, afirmando que retornaria com a viatura para “uma taca em todo mundo”.

O veículo, então, foi alvo de disparos feitos pelos dois homens. Em seguida, o homem e a esposa fugiram do local, mas foram perseguidos pela dupla. 

Versão do PM 

Conforme relatado pelo policial militar em seu depoimento na delegacia, a situação teria tido início devido a uma suspeita de violência doméstica.

Ainda de acordo com o relato do sargento, ele escutou a mulher chorando, pedindo ao marido que se afastasse e até atirando uma pedra, que estava no chão, em direção ao veículo do suposto agressor. 

O policial militar afirma que aconselhou a possível vítima a buscar auxílio policial e acionar o número de emergência 190. Entretanto, ela decidiu seguir a pé, enquanto o veículo continuou a persegui-la.

O militar sustenta, também, que o homem acusado parou o veículo e aguardou o retorno da mulher, momento em que o sargento optou por "abordar o rapaz" no interior do automóvel. Pouco tempo depois, o PM relata que um Volkswagen Golf chegou à área, e ele teria recebido informações de que havia pessoas armadas dentro do veículo. 

Segundo o sargento, por temer "por sua integridade física”, ele reagiu atirando.  O caso está em apuração na 16ª Delegacia de Polícia, em Planaltina.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade