PUBLICIDADE

Indireta? Martino defende Neymar, mas critica "cai-cai"

19 jun 2015 22h10
| atualizado às 23h15
ver comentários
Publicidade

O técnico argentino Tata Martino deu uma resposta curiosa quando indagado sobre a suspensão de Neymar, que tomou quatro jogos de gancho da Conmebol pela expulsão na derrota contra a Colômbia e, a princípio, está fora da Copa América. O treinador, que comandou o brasileiro no Barcelona na temporada 2013/14, afirmou que atletas como ele são perseguidos pelos árbitros de forma injusta - logo em seguida, porém, declarou que o "cai-cai" deveria ser mais castigado no futebol, em frase que soou como uma indireta.

"Não digo que haja um exagero, mas acredito que há tipos que são tratados de forma diferente. O coro contra alguns é maior do que contra outros. Mas, ao mesmo tempo, também há muito espaço para simulação, muitos jogadores propensos a cair. Isso deveria ser revisto, porque causa erros do juiz. Essas duas coisas deveriam ser revistas", disse o argentino.

Para Martino, jogadores como Neymar são mais visados pelos árbitros
Para Martino, jogadores como Neymar são mais visados pelos árbitros
Foto: Lluis Gene / AFP

Martino disse concordar com o que disse Javier Mascherano, companheiro de Neymar no Barça. O volante argentino reclamou da rigidez dos árbitros em punir o atacante brasileiro, dizendo que ele "é bom para o espetáculo" e "toma 20 pancadas por jogo e não acontece nada".

No jogo contra a Colômbia, Neymar recebeu um cartão amarelo por desviar uma bola com a mão - aparentemente, sem intenção - após um rebote do goleiro Ospina. Já depois do apito final, o brasileiro se envolveu em confusão com os colombianos, fez um movimento de cabeçada contra o zagueiro Murillo e ainda insultou o árbitro chileno Enrique Osses. Acabou expulso.

"A respeito do caso de Neymar, especificamente, é difícil dar opinião, porque sabemos apenas o que aconteceu no campo, não nos vestiários. Mas, para mim, a advertência que tomou pelo toque de mão foi equivocada. Foi um toque casual", disse Martino, sem entrar em detalhes sobre as polêmicas que aconteceram no final da partida.

Neymar ofendeu o árbitro Enrique Osses após expulsão e foi punido com quatro jogos de gancho
Neymar ofendeu o árbitro Enrique Osses após expulsão e foi punido com quatro jogos de gancho
Foto: Pablo Porciuncula / AFP

Martino também alfineta organização

As críticas do treinador da Argentina não atingiram apenas a arbitragem da Copa América, mas também a organização. Na visão de Martino, é errado que a última rodada da primeira fase não tenha jogos ao mesmo tempo, já que o resultado de uma partida influi diretamente nas outras - e até em jogos de outro grupo, já que os dois melhores terceiros colocados se classificam.

"Para se resolver isso, o melhor seria jogar na última rodada todos juntos, os seis jogos (de todos os grupos). Ou pelo menos os rivais da mesma zona deviam ser assim", concluiu. A Argentina enfrenta a Jamaica às 18h30 (de Brasília) deste sábado, enquanto os rivais no Grupo B, Paraguai e Uruguai, jogam mais cedo, às 16h.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade