PUBLICIDADE

Dixon mostra força da Ganassi e dá passo para apagar injustiça em Indianápolis

Scott Dixon tem a chance de corrigir uma injustiça histórica em Indianápolis, e está a bordo de uma Ganassi que vive grande fase e é a favorita a vencer com todos seus pilotos

22 mai 2022 20h44
| atualizado às 20h50
ver comentários
Publicidade
Scott Dixon celebra pole da Indy 500
Scott Dixon celebra pole da Indy 500
Foto: IndyCar / Grande Prêmio

FÓRMULA INDY: HERTA DÁ SHOW NA PISTA MOLHADA E GANHA CONFIANÇA ANTES DA INDY 500

Foi com a classificação mais rápida da história de Indianápolis que Scott Dixon desbancou o companheiro de equipe Álex Palou e cravou, pela quinta vez na carreira, a pole-position da corrida mais importante do esporte a motor americano. Aos 41 anos, o neozelandês mostra ritmo mais uma vez, e dá gigante passo para tentar consertar uma injustiça histórica.

É bom colocar um freio nas expectativas e lembrar que apenas um pole venceu a Indy 500 nas últimas 10 edições, que foi Simon Pagenaud em 2019, e Scott também chegou com grande favoritismo em 2021, quando também foi pole e viu o ritmo cair, além de sofrer com o azar da pane seca durante uma bandeira amarela, mas se conseguir escapar dos problemas, parece um dos grandes candidatos a vencer no dia 29.

Isso porque a Ganassi deu uma espetacular demonstração de força durante a classificação. Apenas Jimmie Johnson ficou fora do Fast 6 por conta de um erro, e pelo histórico em ovais na Nascar e pelo que faz pelo time neste tipo de pista, não é um nome a ser descartado, assim como Tony Kanaan, que heroicamente batalhou contra um problema eletrônico para arranjar um lugar na segunda fila, também em bom posto para lutar pela segunda vitória no Brickyard.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Scott Dixon conquistou a quinta pole da carreira nas 500 Milhas de Indianápolis (Foto: IndyCar)

"Este lugar é especial, você pode ter tantos momentos bons e ruins em um só dia, é maluco. Queria agradecer aos fãs, é incrível ter vocês de volta aqui nas arquibancadas, muito obrigado ao time, à Honda, eles foram ótimos hoje. Estou muito feliz por todos. Ter cinco dos nossos carros no Fast 12 e quatro no Fast Six, espero que o Chip [Ganassi] esteja sorrindo!", valorizou Dixon após a classificação.

A pole quase foi para as mãos de Álex Palou, que em tentativa espetacular, conseguiu arranjar um lugar na primeira fila. Em 2021, o espanhol já foi um dos destaques da corrida e por pouco não derrotou Helio Castroneves. Com um título nas costas e mais experiência na bagagem, o dono do #10 também é um grande candidato a vencer na próxima semana.

Marcus Ericsson vale uma menção pequena por ter se classificado em quinto, mas de qualquer forma, a Ganassi comprou a ideia de Indianápolis com um quinteto absolutamente forte, em que qualquer piloto carrega boas chances e tem total potencial de ser competitivo no Brickyard. Muito diferente do que a Andretti fez no anos anteriores, por exemplo.

Dixon é o maior piloto da Indy pós-ruptura, e ter apenas um anel das 500 Milhas de Indianápolis é uma das grandes injustiças da história do esporte a motor. O que vale no Speedway não é a pole, mas o resultado final da semana que vem. Tentar prever o que pode acontecer beira o desrespeito com um lugar tão místico do automobilismo. De qualquer forma, Scott parece em ótima posição para tentar afastar o azar e se consagrar como um múltiplo vencedor.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade