PUBLICIDADE
Logo do

Novidades

Especialista dá razões para colocar aparelho depois dos 30

10 out 2013
07h10 atualizado em 15/10/2013 às 10h11
07h10 atualizado em 15/10/2013 às 10h11
Publicidade

Além de preços mais acessíveis, aparelhos ortodônticos modernos e discretos encorajaram muitos adultos a enfrentarem o tratamento. Alguns modelos prometem, inclusive, diminuir a necessidade de consultas. 

Além de preços mais acessíveis, aparelhos ortodônticos modernos e discretos encorajaram muitos adultos a enfrentarem o tratamento. Alguns modelos prometem, inclusive, diminuir a necessidade de consultas
Além de preços mais acessíveis, aparelhos ortodônticos modernos e discretos encorajaram muitos adultos a enfrentarem o tratamento. Alguns modelos prometem, inclusive, diminuir a necessidade de consultas
Foto: Shutterstock

Segundo o cirurgião-dentista, Cássio José Fornazari Alencar, especialista em ortodontia e ortopedia facial, a estética é a principal motivação para os pacientes procurarem ajuda. “Há também quem precise de reabilitação de perdas precoces, em que dentes se inclinaram sobre os espaços presentes”, diz Alencar.

Para a psicóloga Miriam Barros, especialista em coaching, o tratamento ortodôntico aumenta a autoestima, o que traz bons frutos para a vida pessoal e o trabalho. As pessoas que sentem que seus dentes estão tortos, e se incomodam com isso, acabam sorrindo menos ou tentando disfarçar para que os outros não percebam. “Com isso, elas acabam tendo pior desempenho social e profissional também, pois quando a autoestima está baixa as pessoas se recolhem e ficam com receio de se expor”, diz Miriam.

Idade
Não existe limite de idade para o uso de aparelho fixo. Cássio explica que depende se o paciente tem osso para movimentar os dentes, já que com a idade pode ocorrer perda óssea. “Tenho pacientes com 50, 60 anos que usaram aparelhos, mas tinham periodonto (tecidos envolvidos na fixação do dente ao osso) saudável para isso”, afirma. 

Segundo a cirurgiã-dentista, Andrea Serikawa, da Clínica Sorridents, uma questão a se considerar é a presença de osteoporose. "Esse problema pode causar limitação no tratamento, portanto deve ser imediatamente informado ao profissional", diz. 

Em alguns casos, passada a fase de crescimento, o tratamento ortodôntico fica limitado e alguns casos são tratados com a associação de cirurgia ortognática (reposicionamento dos ossos da face cirurgicamente) com o tratamento ortodôntico. 

Tempo de tratamento
Ao contrário do que se pensa, nem sempre o tratamento é mais demorado na fase adulta. “Ocorre que o limite de força e a necessidade de poder movimentar o dente podem aumentar o tempo de tratamento”, diz Alencar. Quanto ao tempo de tratamento, vai depender dos objetivos traçados. Pode variar de 18 meses a 24 meses.

É possível que, com o tempo, seja necessário dar mais uma mãozinha à arcada. “O apinhamento (dentes tortos) é a ruga na boca, com a idade o nosso osso perde água, com isso diminui de tamanho, e os dentes podem se movimentar para se acomodarem na arcada”, afirma o especialista. Para evitar essa movimentação, o especialista indica a contenção – um fio metálico que é colado na parte de trás dos dentes.

Menos dor
Alencar explica que, com o uso dos fios de última geração (termoativados e de liga de níquel-titânio), essa dor é bem menor. “Existem trabalhos mostrando o uso de laser de baixa intensidade (laserterapia) para ajudar na dor e na movimentação”, diz Cássio Alencar.

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados. Fonte: Terra
Publicidade