Criança também precisa de tratamentos de canal

7 jun 2013
07h07

Apesar de parecer estranho, algumas vezes é preciso tratar o canal de um dente de leite. Isso porque a medida garante que o crescimento dos ossos do rosto e a fala da criança não sejam prejudicados pela falta de um dente que caiu ou foi extraído precocemente. O dente de leite é temporário e será substituído pelo permanente, mas na hora certa. 

Apesar de parecer estranho, algumas vezes é preciso tratar o canal de um dente de leite. Isso porque a medida garante que o crescimento dos ossos do rosto e a fala da criança não sejam prejudicados pela falta de um dente que caiu ou foi extraído precocemente
Apesar de parecer estranho, algumas vezes é preciso tratar o canal de um dente de leite. Isso porque a medida garante que o crescimento dos ossos do rosto e a fala da criança não sejam prejudicados pela falta de um dente que caiu ou foi extraído precocemente
Foto: Shutterstock

As causas para a necessidade de um tratamento de canal são basicamente duas: cárie (que pela profundidade da lesão afetou a polpa do dente) ou trauma (pancadas, quedas, etc). E, segundo a cirurgiã-dentista Melissa Maeda, da clínica Sorridents, os casos são mais comuns do que se imagina. “Esse tipo de tratamento é recorrente, faz parte do nosso dia-a-dia”, diz.

Ocorre que, muitas vezes, os dentes de leite são negligenciados, uma vez que os pais pensam que como são temporários não precisam de tantos cuidados. “Os dentes demoram anos para serem totalmente trocados e estes dentes afetados são foco de infecção, que, por sua vez, podem ser a origem de dores de garganta recorrentes, por exemplo”, afirma Maeda.

Dente de leite também tem raiz
O ondontopediatra Gustavo Camilo explica que, em termos de anatomia, dentes de leite e dentes permanentes são idênticos – têm esmalte, que é o tecido mais externo da coroa do dente e o mais duro do corpo humano, a dentina, que fica logo abaixo o esmalte e é responsável pela cor do dente, e a polpa, o famoso “nervinho” do dente.
“O canal é a região no interior do dente onde fica a polpa radicular, traduzindo, é o lugar dentro da raiz do dente onde fica o nervo”, diz Camilo. 

Assim, quando o dentinho de leite recebe uma pancada, pode haver a necrose da polpa devido ao trauma, ou seja, o nervinho do dente “morre”. Já nos casos de cárie muito profunda, há um grande risco de haver infecção que pode comprometer o dente permanente que está se desenvolvendo. 

Para tratar tudo isso, o dentista retira a parte viva do dente – polpa – e limpa e seca o espaço que ficou e preenche com um material que manterá o espaço sem bactérias. Algumas vezes é necessário usar anestesia. “A técnica do tratamento de canal é diferente em crianças, pois o material não pode interferir no processo natural da troca deste dente”, diz Melissa. Segundo a dentista, a extração é recomendada apenas nos casos em que o dente comprometido já esteja próximo do tempo de troca do dente pelo permanente.

Para não se preocupar com canal

- Escove bem os dentes depois das refeições – no caso de crianças até 6 anos, os pais devem realizar a escovação por eles, pois não possuem coordenação motora desenvolvida suficientemente
- Passe o fio dental
- Restrinja o consumo açúcar e carboidrato 
- Não deixe a criança dormir com mamadeira – após mamar, os dentes precisam ser higienizados
- Visite o dentista regularmente

Fonte: Agência Beta Este conteúdo é de propriedade intelectual do Terra e fica proibido o uso sem prévia autorização. Todos os direitos reservados. Fonte: Terra
publicidade