4 eventos ao vivo

Confira 8 maneiras "preguiçosas" de perder peso

Patricia Zwipp

Dieta, malhação, restrições... Essas não são as únicas maneiras de perder peso. Sabia que apagar as luzes à noite, dormir mais e acalmar-se são algumas formas "preguiçosas" e eficazes? Confira abaixo uma lista com oito dicas que ajudam a fazer as pazes com a balança sem esforço, divulgada pelo site da revista New Scientist:

Até dormir mais pode ajudar a emagrecer
Até dormir mais pode ajudar a emagrecer
Foto: Getty Images

1 - Vacinação: um vírus do resfriado comum tem sido associado à obesidade. Nikhil Dhurandhar, do Centro de Pesquisa Biomédica de Pennington, nos Estados Unidos, constatou que o adenovírus 36 aumenta tanto o número de células de gordura no corpo quanto a quantidade de gordura no interior delas. Também descobriu que pessoas obesas são quase três vezes mais propensas que as de peso saudável a ter anticorpos da doença, indicando uma infecção atual ou passada. "Se, de fato, algumas infecções contribuem para a obesidade em pessoas, poderíamos ter uma estratégia de prevenção potencialmente muito simples e eficaz: a vacinação", disse Dhurandhar.

2 - Acalme-se: estresse crônico pode causar aumento de peso. Estudos de imagens cerebrais, realizados por Rajita Sinha, da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, mostraram que o estresse aumenta a atividade no estriado ventral, uma região cerebral associada à formação de hábitos e recompensas. "Por isso, aumenta o desejo por alimentos altamente calóricos para aqueles que têm o hábito de consumi-los", afirmou a cientista. Portanto, a profissional recomenda técnicas de redução do estresse, como a meditação.

3 - Fuja do calor: viver em ambientes quentes pode aumentar a chance de engordar, segundo Fiona Johnson, da Universidade College London, na Inglaterra; e Simona Bo, da Universidade de Turim, na Itália. Em um estudo com mais de 1,5 mil pessoas de meia-idade, constatou-se que aqueles que moram em casas com temperaturas mais altas mostraram aproximadamente duas vezes mais chances de se tornarem obesas durante o período de seis anos de acompanhamento. Mas não precisa tremer de frio. Quando a o termômetro marca 18°C, já é suficiente para queimar energia com o intuito de se aquecer.

4 - Coma proteína: uma pesquisa da Universidade de Sydney, na Austrália, relatou que os participantes consumiram 12% mais calorias durante quatro dias em uma dieta com 10% de proteína em comparação com os que receberam uma alimentação com 15%. O cientista Alison Gosby disse acreditar que as pessoas têm um grande apetite por proteína e, por isso, consomem mais calorias quando estão privadas dela. Além disso, um estudo da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, mostrou que uma dieta rica em proteínas e com baixo índice glicêmico permitiu à maioria comer até que se sentisse satisfeita e sem ganhar peso.

5 - Cuidado com as embalagens: além de prestar atenção nos itens nutricionais das embalagens, fique atento ao material de que são feitas. É que algumas contêm produtos químicos da desregulação endócrina, que levariam ao aumento de peso, segundo algumas pesquisas. O ftalato (componente de praticamente todos os plásticos moldados) parece ativar um receptor envolvido no armazenamento de gordura. Em 2010, uma equipe liderada por Elizabeth Hatch, da Universidade de Boston, nos Estados Unidos, informou que homens com maior índice de massa corporal e circunferência da cintura apresentaram maiores concentrações no sangue de metabólitos de ftalatos. Outros levantamentos ligaram obesidade à exposição ao bisfenol A. O debate sobre os efeitos prejudiciais desses produtos químicos continua e, infelizmente, é complicado evitar as embalagens.

6 - Apague as luzes: esqueça a ideia de sair à noite. Randy Nelson e sua equipe, da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, descobriram que ratos expostos à luz durante a noite pesaram 10% mais no fim de um estudo de oito semanas em relação aos animais que experimentaram um ciclo padrão de claridade e escuridão, mesmo com a ingestão do mesmo total de calorias e quantidade idêntica de exercícios. A explicação é que luz durante a noite pode alterar genes relacionados ao ritmo circadiano (relógio biológico), interferindo no metabolismo.

7 - Mude para cidades menos poluídas: respirar ar poluído pode causar acúmulo de gordura abdominal. Xiaohua Xu, da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, expôs ratos jovens ao ar poluído com partículas finas por seis horas ao dia, cinco dias por semana, e descobriu que, após 10 semanas, tinham cerca de 50% mais gordura abdominal do que os animais que ingeriram a mesma dieta, mas recebiam ar filtrado.

8 - Durma mais: gosta de ficar na cama? Então, aí vai um motivo a mais para isso: poucas horas de sono podem fazer com que engorde. Simona Bo, da Universidade de Turim, na Itália, descobriu que os adultos que se tornaram obesos durante seu estudo de seis anos dormiam uma média de 6,3 horas por noite, em comparação com 7,2 horas dos que mantiveram um peso saudável. A privação de sono reduz a secreção de leptina, hormônio que suprime o apetite e aumenta os níveis de grelina, hormônio que estimula o apetite.

Fonte: Ponto a Ponto Ideias Ponto a Ponto Ideias

compartilhe

publicidade
publicidade