PUBLICIDADE

Startup 180º Seguros recebe aporte de R$ 44 milhões e mira expansão

A startup tem apenas sete meses de operação e quer crescer no Brasil para além de seus 20 clientes atuais

5 mai 2021 06h10
ver comentários
Publicidade

A 180º Seguros, startup que faz a intermediação entre seguradoras e empresas, anunciou nesta quarta-feira, 5, o recebimento de um aporte de R$ 44 milhões, liderado pelo fundo brasileiro Canary e os americanos Dragoneer e Rainfall.

Nos planos para o investimento, a 180º Seguros mira em aumentar o número de funcionários e continuar a sua consolidação no mercado de "insurtech", como é chamado o segmento de startups de seguros. A plataforma também quer trabalhar em novos produtos para seus clientes e crescer a operação no Brasil.

"O nosso modelo não tem muito gasto de marketing, então a gente acredita no conceito de intensidade, de talentos que atraem pessoas boas e de pessoas que vão trazer clientes bons. Queremos chegar em 50 pessoas até o final do ano", afirmou Mauro Levi D'Ancona, presidente da 180º Seguros.

Nascida em outubro de 2020, a startup foi criada por D'Ancona, ex-Nubank, Alex Körner e Franco Lamping, que queriam apostar no mercado de seguros depois de identificar a demanda no setor. Segundo D'Ancona, a empresa quer tornar mais popular a assinatura de seguros pelos brasileiros.

A 180º Seguros funciona como um intermediário entre a seguradora e a empresa. A plataforma, em parceria com a companhia identifica qual o melhor produto para o cliente e, a partir daí, entra em contato com diversas seguradoras para obter o melhor plano.

Assim, a empresa, que conta com 25 funcionários, oferece o seguro sob o nome da parceira. A startup ainda fica responsável por toda a comunicação com o cliente, suporte e planejamento do seguro.

Para isso, a startup retém com uma porcentagem de cada assinatura de seguro, que varia entre 10% e 30%, como comissão pela venda do produto. Segundo D'Ancona, o valor é o único rendimento da empresa, que só recebe se a venda do seguro for realizada.

"Hoje, o nosso foco é começar a entregar novos produtos, colocá-los na rua. Temos três produtos até agora. O mercado está com uma oportunidade muito clara nesse setor, para seguradoras, a gente acaba sendo um canal de distribuição para elas", explica D'Ancona.

Mesmo em começo de carreira, a startup pensa nos próximos passos a seguir. Em sete meses de operação, a 180º já identificou que será preciso aumentar a equipe para atender a demanda — 2020 terminou com cinco clientes, agora já são 20.

"Estamos muito orgulhosos de apoiar a 180 desde seus primeiros passos. Mauro, Alex e Franco têm muita experiência tanto no setor de seguros quanto em startups e reúnem as habilidades necessárias para revolucionar o jeito que os brasileiros consomem seguros", diz Marcos Toledo, sócio da firma de venture capital Canary. "O modelo de atuação que eles criaram também permite sinergias com empresas de diferentes setores, com potencial para gerar grandes negócios."

O futuro deve passar mesmo pela consolidação da equipe, pilar principal para o sucesso da empresa, na visão de D'Ancona, para então aumentar a projeção para novos clientes. "A gente tem um um uma preocupação muito grande em trazer a pessoa certa, com o perfil certo. É um desafio grande porque estamos conectando as pontas,tanto do lado de lá no canal quanto na seguradora".

*É estagiária sob supervisão do editor Bruno Romani

Estadão
Publicidade
Publicidade