0

Títulos, tropeços e vexames: 2018 dos brasileiros no futebol

Cruzeiro foi campeão da Copa do Brasil, e o Palmeiras conquistou o Brasileirão; em solo internacional, o Atlético-PR venceu a Sul-Americana

18 dez 2018
09h00
  • separator
  • 0
  • comentários

O fim do Campeonato Brasileiro também é o decreto para o encerramento do calendário de competições no futebol brasileiro. O ano de 2018 terminou, em solo nacional, com o Palmeiras campeão do Brasileirão, em uma campanha histórica, e também o Cruzeiro como vencedor da Copa do Brasil pela segunda vez consecutiva. Já em solo internacional, nenhum clube brasileiro chegou à final da Libertadores da América, mas o Atlético Paranaense se consagrou como campeão Copa Sul-Americana. Além disso, os estaduais, que ocorreram no início do ano, foram os únicos trunfos de alguns clubes durante este ano.

Em competições nacional, o Cruzeiro foi campeão da Copa do Brasil, e o Palmeiras foi campeão do Brasileirão; em solo internacional, o Atlético-PR venceu a Copa Sul-Americana
Em competições nacional, o Cruzeiro foi campeão da Copa do Brasil, e o Palmeiras foi campeão do Brasileirão; em solo internacional, o Atlético-PR venceu a Copa Sul-Americana
Foto: Montagem de Matheus Riga com fotos de Paulo Whitaker/Reuters e Marcelo Machado de Melo/FotoArena/Estadão Conteúdo / Terra

Estaduais

Com o ingrediente das clássicas rivalidades regionais, os campeonatos estaduais começaram no mês de janeiro, logo após o término da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Ao longo de três meses, até abril, os clubes aqueceram os seus motores para a temporada, consolidando os esquemas táticos e montando os times principais. Enquanto alguns dos torneios tiveram finais entre grandes rivais, como foi o caso do Campeonato Paulista, em um embate entre Corinthians e Palmeiras, e do Campeonato Carioca, com Botafogo e Vasco, outros terminaram com partidas menos chamativas, como, por exemplo, o Campeonato Gaúcho, que decidiu o campeão na partida entre Grêmio e Brasil de Pelotas.

No Campeonato Mineiro, deu a primeira lógica. A final ficou entre os clubes rivais de Belo Horizonte: Atlético-MG e Cruzeiro. Depois de perder de 3 a 1 no jogo de ida para o Atlético, o Cruzeiro conseguiu empatar o jogo na soma dos resultados, vencendo por 2 a 0. Com o 3 a 3 no placar agregado, o título foi conquistado pela equipe celeste de Minas Gerais. Foi o 37° título estadual do Cruzeiro.

O Cruzeiro venceu o seu rival Atlético-MG na final do Campeonato Mineiro de 2018; foi o 37º título estadual do clube
O Cruzeiro venceu o seu rival Atlético-MG na final do Campeonato Mineiro de 2018; foi o 37º título estadual do clube
Foto: Allan Calisto / Futura Press

O novo formato do Campeonato Carioca colocou o campeão da Taça Rio, o Fluminense, e o campeão da Taça Guanabara, o Flamengo, diretamente nas semi-finais do torneio. Os outros dois que entraram foram os dois melhores colocados, tirando os vencedores das duas taças, na soma geral de pontos, o que acabou levando Botafogo e Vasco também para a fase semi-final. O Cruz-Maltino e o alvinegro carioca acabaram indo para a final  e decidiram o título nos pênaltis. O Botafogo venceu por 4 a 3, após empate em 3 a 3 no placar agregado das duas partidas finais.

O Botafogo conquistou o título do Campeonato Carioca em cima do seu rival Vasco, nos pênaltis, por 4 a 3
O Botafogo conquistou o título do Campeonato Carioca em cima do seu rival Vasco, nos pênaltis, por 4 a 3
Foto: Rudy Trindade/FramePhoto / Gazeta Press

A mesma situação, de ir até a última instância, as penalidades, também aconteceu no Campeonato Paulista. Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos chegaram até a fase semi-final, onde o tricolor do Morumbi enfrentou o clube alvinegro paulista, enquanto o Santos jogou contra o Palmeiras. Ambos os confrontos foram até os pênaltis, mas Corinthians e Palmeiras levaram a melhor sobre seus rivais. O Derby seria a final do Paulistão. Após vencer em Itaquera, o Palmeiras perdeu o jogo de volta para o Corinthians no Allianz Parque, levando a disputa para as penalidades máximas. Com uma vitória de 4 a 3, o time alvinegro conquistou o bicampeonato paulista em plena casa do rival.

O Corinthians bateu o seu grande rival Palmeiras, em pleno Allianz Parque, para conquistar o segundo título estadual consecutivo em 2018
O Corinthians bateu o seu grande rival Palmeiras, em pleno Allianz Parque, para conquistar o segundo título estadual consecutivo em 2018
Foto: Newton Menezes / Futura Press

No Sul do País, o Campeonato Gaúcho foi a exceção a regra. Não houve um Gre-Nal na final do torneio. Isso porque o embate entre os rivais Grêmio e Internacional aconteceu nas quartas de final. Em sua casa, o tricolor gaúcho venceu por 3 a 0, colocando pressão no colorado, que precisaria reverter a vantagem no Beira-Rio. Apesar do placar de 2 a 0 a seu favor, o Internacional não conseguiu seguir adiante na competição. Já o Grêmio, foi até a final, enfrentou o Brasil de Pelotas e venceu, no placar agregado das duas partidas, por 7 a 0, consagrando-se campeão gaúcho de 2018.

Copa do Brasil

Com o início em janeiro de 2018, a Copa do Brasil contou com 91 participantes e 120 partidas no decorrer do ano. As quatro primeiras fases tiveram a participação de 80 clubes no total e foi afunilando conforme o torneio chegava proximo da fase de oitavas de final, em agosto deste ano, quando as 11 equipes que disputam a Copa Libertadores da América também se juntam à competição. Ao final das etapar preliminares da Copa do Brasil, restaram cinco times dos 80 que iniciaram a caminhada pelo título: Ponte Preta, Atlético-PR, Goiás, Vitória e Atlético-MG.

A Copa do Brasil contou com 91 participantes e 120 partidas no decorrer do ano
A Copa do Brasil contou com 91 participantes e 120 partidas no decorrer do ano
Foto: Divulgação/CBF

Algumas equipes consideradas grandes caíram antes mesmo de chegar até a fase das oitavas de final: o São Paulo, que perdeu para o Atlético-PR na quarta etapa preliminaro Internacional, que foi derrotado pelo Vitória na mesma fase que o tricolor do Morumbi; ou o Fluminense, que saiu da competição após perder para o Avaí na terceira rodada inicial da Copa do Brasil. Paraná, Ceará e Sport foram outros times que participaram da série A do Brasileirão e não chegaram nas oitavas de final.

Os oito clubes que disputavam a Copa Libertadores da América - Palmeiras, Cruzeiro, Grêmio, Santos, Corinthians, Flamengo, Vasco e Chapecoense - e os três que estavam classificados antecipadamente entraram na fase das oitavas de final e se juntaram aos cinco vencedores das quatro etapas preliminares. Das oitavas até as semi-finais, nenhum dos times que jogaram desde janeiro a Copa do Brasil - Ponte Preta, Atlético-PR, Goiás, Vitória e Atlético-MG - conseguiu sobreviver. Os quatro melhores colocados estavam no grupo dos que disputaram o torneio continental da América do Sul: Cruzeiro, Corinthians, Palmeiras e Flamengo.

Os quatro times que chegaram até a semi-final estavam no grupo dos que disputaram a Libertadores: Cruzeiro, de Mano Menezes, Corinthians, de Jair Ventura, Palmeiras, de Felipão, e o Flamengo de Maurício Barbieri
Os quatro times que chegaram até a semi-final estavam no grupo dos que disputaram a Libertadores: Cruzeiro, de Mano Menezes, Corinthians, de Jair Ventura, Palmeiras, de Felipão, e o Flamengo de Maurício Barbieri
Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press; Eduardo Carmim/Photo Premium/Gazeta Press; Peter Leone/Futura Press/Estadão Conteúdo; Gabriel Machado/Photopress/Estadão Conteúdo / Terra

As semi-finais foram entre Cruzeiro e Palmeiras - com vitória do time mineiro no confronto, que venceu no Allianz Parque por 1 a 0 e administrou a vantagem no Mineirão, segurando o empate em 1 a 1 -, e Flamengo e Corinthians, em que o time alvinegro conseguiu impor seu sistema defensivo e conquistar um empate em 0 a 0 no Maracanã, deixando a missão de passar até a final na partida em Itaquera, quando venceu por 2 a 1 e seguiu em frente na perspectiva de vencer mais um título em 2018, assim como o Cruzeiro.

O Corinthians, sob comando do recém-contratado Jair Ventura, venceria o Flamengo na semi-final da Copa do Brasil, indo para a final da competição contra o Cruzeiro
O Corinthians, sob comando do recém-contratado Jair Ventura, venceria o Flamengo na semi-final da Copa do Brasil, indo para a final da competição contra o Cruzeiro
Foto: Peter Leone / Futura Press

A final foi marcada pela presença do árbitro de vídeo, o VAR, que fez sua estreia em competições nacionais na fase final da Copa do Brasil. Após vencer por 1 a 0 no Mineirão, o Cruzeiro precisaria segurar o resultado no jogo de volta em Itaquera para se consagrar hexacampeão do torneio. Na segunda partida da final, Robinho abriu o placar para o time mineiro no início do confronto, mas Jadson veio a empatar com um pênalti assinalado pelo VAR. Com o jogo empatado em 1 a 1, o VAR iria interferir novamente, mas para anular um gol de Pedrinho, por conta de uma falta de Jadson em cima de Dedé no início do lance. Após esse momento, o Cruzeiro viria a selar a vitória por 2 a 1 com um gol de contra-ataque de Arrascaeta.

O Cruzeiro de Mano Menezes venceu a Copa do Brasil pela segunda vez consecutiva e garantiu o hexacampeonato da equipe mineira na competição
O Cruzeiro de Mano Menezes venceu a Copa do Brasil pela segunda vez consecutiva e garantiu o hexacampeonato da equipe mineira na competição
Foto: Paulo Whitaker / Reuters

O Cruzeiro de Mano Menezes venceu a Copa do Brasil pela segunda vez consecutiva e garantiu o hexacampeonato da equipe mineira na competição. Assim, o time de Belo Horizonte garantiu sua vaga na Copa Libertadores da América de 2019 e também um prêmio de R$ 50 milhões pelo primeiro lugar.

Brasileirão

A edição de 2018 do Campeonato Brasileiro, há 15 anos no formato de pontos corridos, foi uma das mais disputadas da história, tendo o seu campeão decidido na penúltima rodada, além de ter definido os rebaixados apenas na última etapa do torneio. Recheado de altos e baixos das 20 equipes, o Brasileirão teve 380 partidas, 827 gols -  uma média de 2,18 tentos por partida -, 29 mudanças de comando técnico e sete clubes que chegaram a liderar a competição no decorrer dos oito meses de sua duração. 

Com início morno em abril, o Brasileirão, até a 6ª rodada, teve diversas alternâncias na liderança da competição. Atlético-PR, Corinthians, Atlético-MG e Flamengo disputaram o topo da tabela no início do campeonato. Depois de um primeiro momento mais embolado, o Flamengo, ainda sobre comando de Maurício Barbieri, arrancaria como o principal candidato ao título após a 7ª rodada, quando estava com uma campanha de quatro vitórias, dois empates e apenas uma derrota.

O Flamengo liderou o Campeonato Brasileiro de 2018 da 7ª rodada até a 17ª
O Flamengo liderou o Campeonato Brasileiro de 2018 da 7ª rodada até a 17ª
Foto: Dhavid Normando / Futura Press

Os resultados do Flamengo não parariam de ser positivos até a parada do Brasileirão para a Copa do Mundo de 2018, realizada na Rússia. A última rodada antes do Mundial, a 12ª, marcou uma campanha do rubro-negro carioca de oito vitórias, três empates e apenas uma derrota. A paralisação, porém, marcou um período de esfriamento do ímpeto do clube carioca. Após o retorno do Campeonato Brasileiro, o time de Maurício Barbieri amargaria uma derrota para o São Paulo em pleno Maracanã por 1 a 0, partida que iniciaria uma arrancada do tricolor paulista rumo à liderança da competição.

A "lei do ex" não falhou no confronto entre Flamengo e São Paulo; no Maracanã, o meia Everton marcaria o gol da vitória do tricolor do Morumbi
A "lei do ex" não falhou no confronto entre Flamengo e São Paulo; no Maracanã, o meia Everton marcaria o gol da vitória do tricolor do Morumbi
Foto: Dhavid Normando / Futura Press

O Flamengo conseguiu segurar a liderança até a 17ª rodada, mas as cinco partida pós-Copa do Mundo, decretaram o fim da hegemonia do rubro-negro carioca no Brasileirão: foram duas vitórias, um empate e duas derrotas. Ao mesmo tempo, o São Paulo, liderado pelo técnico uruguaio Diego Aguirre e os atletas Nenê, Everton e Diego Souza, fariam uma ascensão até a primeira colocação do torneio. Nos cinco jogos depois do retorno do Campeonato Brasileiro, o tricolor paulista marcaria quatro vitórias e uma derrota, incluindo um confronto direto contra a equipe de Maurício Barbieri. Essa injeção de 12 pontos fez com que o clube paulista chegasse ao topo da competição.

Um dos quatro jogos em que o São Paulo venceria para dar um gás no Brasileirão foi contra o Corinthians no Morumbi: o tricolor bateu o time alvinegro por 3 a 1
Um dos quatro jogos em que o São Paulo venceria para dar um gás no Brasileirão foi contra o Corinthians no Morumbi: o tricolor bateu o time alvinegro por 3 a 1
Foto: Mauro Horita / Gazeta Press

No interím da 17ª rodada até a 22ª, o São Paulo lideraria o Brasileirão com facilidade, já que somou três vitórias e dois empates, o suficiente para se manter no 1° lugar do campeonato. No entanto, o time já demonstrava cansaço físico - evidente no jogo em que empatou com o lanterna Paraná em 1 a 1 e na vitória suada para cima do Ceará no Morumbi por 1 a 0 - e o clima do vestiário começava a ficar estranho. Os esforços da equipe de Aguirre seriam medidos contra os do time de Odair Hellman, do Internacional, que conquistou resultados importantes depois da paralisação do Campeonato Brasileiro no pós-Copa.

O Internacional, comandado pelo técnico Odair Hellmann, fez uma disputa acirrada pela liderança contra o São Paulo por algumas rodadas do Brasileirão
O Internacional, comandado pelo técnico Odair Hellmann, fez uma disputa acirrada pela liderança contra o São Paulo por algumas rodadas do Brasileirão
Foto: Max Peixoto / Futura Press

A derrota do São Paulo para o Atlético-MG por 1 a 0 fora de casa, e a vitória do Internacional por 2 a 1 em cima do Flamengo no Beira-Rio na 23ª rodada levou o clube gaúcho ao topo do Brasileirão pela primeira vez. A alegria do Colorado duraria pouco: ficaria apenas mais uma rodada na liderança, até ter o primeiro lugar tomado pelo São Paulo novamente, na 25ª rodada. Após voltar à liderança do Campeonato Brasileiro, o São Paulo empataria duas rodadas seguidas, contra times que lutavam contra o rebaixamento: o América-MG em 1 a 1, no Morumbi; e contra o Botafogo em 2 a 2, no Engenhão. 

Com os delizes do São Paulo, o Palmeiras, que vinha embalado pela chegada do novo técnico Luiz Felipe Scolari, foi galgando posições e chegou entre os três primeiros colocados na 26ª rodada. Com uma vitória na 27ª rodada sobre o tricolor do Morumbi, por 2 a 0, o clube alviverde assumiu a primeira colocação para nunca mais deixá-la. A equipe comandada por Felipão não perderia mais até o final do Brasileirão e quebraria recordes: ficou 23 rodadas invictos no torneio de pontos corridos, assim como empatou a campanha de melhor turno do Campeonato Brasileiro com o Corinthians de 2017 - ambos conquistaram 47 dos 57 pontos possíveis.

Jogadores do Palmeiras erguem a taça de campeão brasileiro de 2018 após partida entre Palmeiras x Vitória válida pela 38a rodada do Campeonato Brasileiro 2018, realizada no Allianz Parque.
Jogadores do Palmeiras erguem a taça de campeão brasileiro de 2018 após partida entre Palmeiras x Vitória válida pela 38a rodada do Campeonato Brasileiro 2018, realizada no Allianz Parque.
Foto: MARCELO MACHADO DE MELO/FOTOARENA / Estadão Conteúdo

O Palmeiras, eliminado da Copa Libertadores da América e da Copa do Brasil na fase semi-final, pode utilizar sua força máxima no final do Brasileirão e dar uma alavancada na campanha do clube no torneio nacional de pontos corridos. O time de Felipão terminaria o Campeonato Brasileiro com o melhor ataque (64 gols), a melhor defesa (26 gols sofridos), o maior número de vitórias e o menor número de derrotas, além do título de campeão brasileiro

Libertadores

Oito times brasileiros participaram da edição de 2018 da Copa Libertadores da América: Corinthians, Chapecoense, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Palmeiras, Santos e Vasco. Desses, Chapecoense e Vasco tiveram de jogar a fase preliminar da competição, em que eram disputadas algumas partidas de mata-mata para ver quem entraria na fase de grupos da competição continental. Enquanto o Cruz-Maltino carioca conseguiu completar sua missão, após vencer o Universidad de Concepción (CHI) e o Jorge Wilstermann (BOL), a equipe catarinense perdeu do Nacional (URU) ainda na segunda fase preliminar, despedindo-se do torneio ainda em fevereiro deste ano.

Oito times brasileiros participaram da edição de 2018 da Copa Libertadores da América: Corinthians, Chapecoense, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Palmeiras, Santos e Vasco
Oito times brasileiros participaram da edição de 2018 da Copa Libertadores da América: Corinthians, Chapecoense, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Palmeiras, Santos e Vasco
Foto: Agustin Marcarian / Reuters

Na fase de grupos, Corinthians, Cruzeiro, Grêmio e Palmeiras mostraram bom futebol e avançaram para a etapa mata-mata em primeiro lugar de suas chaves. Destaques para a equipe do Palmeiras e do Grêmio que, respectivamente, ficaram em primeiro e segundo lugar da classificação geral e obtiveram vantagem de decidir os seus jogos em casa. Flamengo e Santos não tiveram a mesma sorte que os outros cinco times brasileiros e foram até as oitavas de final na segunda colocação da fase de grupos. Já o Vasco, amargou uma eliminação precoce do torneio, ficou em terceiro lugar da chave E e foi encaminhado para a Copa Sul-Americana.

O Vasco foi o único time brasileiro que chegou até a fase de grupos da Libertadores a não avançar para as oitavas de final
O Vasco foi o único time brasileiro que chegou até a fase de grupos da Libertadores a não avançar para as oitavas de final
Foto: Luciano Belford/Agif / Gazeta Press

Os confrontos da fase eliminatória da Copa Libertadores começaram em agosto deste ano. Um dos duelos das oitavas de final foi inteiramente brasileiro: Cruzeiro e Flamengo batalharam suas vidas dentro do torneio continental. Ao fim, o time mineiro levou a melhor, após vencer por 2 a 0 em pleno Maracanã no jogo de ida e administrar o jogo de volta. Na mesma chave dos dois clubes, o Corinthians pegou o Colo-Colo (CHI) e foi eliminado pela equipe chilena. Após perder por 1 a 0 em Santiago, o clube alvinegro, apesar de vencer em Itaquera, levou um gol de Barrios, o que culminou com sua despedida da competição.

Jogadores do Corinthians lamentam a desclassificação durante a partida contra o Colo-Colo (CHI)
Jogadores do Corinthians lamentam a desclassificação durante a partida contra o Colo-Colo (CHI)
Foto: Peter Leone / Futura Press

Ainda no mesmo lado da chave, o Palmeiras enfrentou o time paraguaio do Cerro Porteño, que não ofereceu muita dificuldade, pelo menos no jogo de ida. Em Assunção, o time alviverde venceu por 2 a 0, mas no jogo de volta no Allianz Parque, por conta da expulsão de Felipe Melo logo no início da partida, a situação ficou um pouco mais dramática. A derrota de 1 a 0 para a equipe do Paraguai não tirou o time de Felipão da Libertadores. Do outro lado da chave, o Santos, mesmo empatando os dois jogos em 0 a 0 contra o Independiente (ARG), foi eliminado por conta da escalação irregular do atleta Carlos Sánchez, o que deu uma vantagem de 3 a 0 para o time argentino antes do jogo de volta.

O confronto entre Santos e Independiente (ARG) terminou empatado na ida e na volta, mas a escalação irregular do atleta Carlos Sánchez pelo clube brasileiro deu uma vantagem de 3 gols para o time argentino no jogo de volta
O confronto entre Santos e Independiente (ARG) terminou empatado na ida e na volta, mas a escalação irregular do atleta Carlos Sánchez pelo clube brasileiro deu uma vantagem de 3 gols para o time argentino no jogo de volta
Foto: Newton Menezes / Futura Press

O até então campeão da competição, o Grêmio de Renato Gaúcho, travou um duelo apertadíssimo contra o Estudiantes (ARG). Apesar de vencer a primeira partida por 2 a 1 fora de casa, em La Plata, na Argentina, o clube gaúcho tomou o mesmo placar jogando em sua Arena em Porto Alegre. O resultado foi decidido nos pênaltis, e o tricolor do Rio Grande do Sul venceu por 5 a 3, avançando para a etapa das quartas de final.

Nas oitavas de final da Libertadores, o Grêmio venceu o Estudiantes de La Plata em um jogo emocionante, que foi decidido nos pênaltis: 5 a 3 para o time brasileiro
Nas oitavas de final da Libertadores, o Grêmio venceu o Estudiantes de La Plata em um jogo emocionante, que foi decidido nos pênaltis: 5 a 3 para o time brasileiro
Foto: Rodrigo Ziebell/FramePhoto / Gazeta Press

Nas quartas de final, o Cruzeiro enfrentou o Boca Juniors (ARG). Em partida marcada por intervenções do VAR, principalmente em uma expulsão de Dedé, no jogo de ida na Bombonera, em Buenos Aires, o clube xeneize venceu em placar agregado por 3 a 1, o que decretou a eliminação da equipe de Mano Menezes da Libertadores. No mesmo lado da chave, o Palmeiras repetiu o placar de 2 a 0 a seu favor contra o Colo-Colo (CHI), tanto no jogo de ida, quanto no jogo de volta, carimbando sua vaga para as semi-finais. Do outro lado, o Grêmio eliminou o Atlético Tucumán (ARG) com facilidade: 6 a 0 no placar agregado.

Em partida marcada por intervenções do VAR, principalmente em uma expulsão de Dedé, no jogo de ida na Bombonera, em Buenos Aires, o Boca Juniors venceu o Cruzeiro pelo placar agregado de 3 a 1
Em partida marcada por intervenções do VAR, principalmente em uma expulsão de Dedé, no jogo de ida na Bombonera, em Buenos Aires, o Boca Juniors venceu o Cruzeiro pelo placar agregado de 3 a 1
Foto: Agustin Marcarian / Reuters

Os clubes brasileiros restantes, Palmeiras e Grêmio, deram adeus à Libertadores na fase semi-final. Os duelos foram contra os rivais argentinos, Boca Juniors e River Plate, respectivamente. A equipe de Renato Gaúcho teve um duelo mais equilibrado e ficou mais perto da final do torneio interncional que o Palmeiras. Após vencer por 1 a 0 fora de casa, na Argentina, o Grêmio abriu o placar no jogo de volta em Porto Alegre, mas tomou a virada do River no final do segundo tempo. O placar de 2 a 1 no Brasil foi o suficiente para eliminar o time gaúcho. No outro lado da chave, o Palmeiras sofreu uma derrota de 2 a 0 em Buenos Aires, com dois gols de Benedetto em menos de oito minutos. O jogo de volta, no Allianz Parque teve emoção, mas terminou empatado em 2 a 2, o que garantiu ao clube xeneize a vaga na final.

O Boca Juniors eliminou o Palmeiras em pleno Allianz Parque na fase semi-final da Libertadores 2018: 4 a 2 no placar agregado
O Boca Juniors eliminou o Palmeiras em pleno Allianz Parque na fase semi-final da Libertadores 2018: 4 a 2 no placar agregado
Foto: Guilherme Rodrigues / Futura Press

A grande final ficou entre River e Boca, dois rivais argentinos, que nunca tinham disputado o título da Libertadores entre si. Quem levou a melhor foi o River, que venceu o jogo de volta, em Madrid, no Santiago Bernabéu, por 3 a 1, na prorrogação. O título desse ano foi o quarto da história do River.

Sul-Americana 

A Copa Sul-Americana, que teve início em fevereiro deste ano e terminou na última quarta-feira (12), começou com seis equipes brasileiras: Atlético-MG, Botafogo, Atlético-PR, Bahia, São Paulo e Fluminense. Os seis times foram os melhores classificados do Campeonato Brasileiro de 2017, mas que não conseguirem conquistar uma vaga para a Copa Libertadores da América. Além dessas seis equipes, o Vasco, que ficou em terceiro lugar da chave E na Libertadores, acabou sendo transferido para a Sul-Americana para jogar a segunda fase da competição.

A primeira fase, que foi disputada entre 44 equipes de todo o continente, teve os seis clubes classificados pelo Brasileirão de 2017 competindo par aver quem avançaria na competição. De todos, apenas o Atlético-MG foi eliminado nessa etapa, já que perdeu para o San Lorenzo (ARG) por 1 a 0 no placar agregado.

O Atlético-MG foi eliminado na primeira fase da Copa Sul-Americana de 2018 pelo San Lorenzo (ARG)
O Atlético-MG foi eliminado na primeira fase da Copa Sul-Americana de 2018 pelo San Lorenzo (ARG)
Foto: DENIS DIAS / Gazeta Press

Após a classifcação das cinco equipes - Botafogo, Atlético-PR, Bahia, São Paulo e Fluminense - para a segunda fase da Sul-Americana, o Vasco também entrou na competição. Nessa etapa, o tricolor do Morumbi foi eliminado nos pênaltis para o Colón (ARG), após empate em 1 a 1 no placar agregado. Outro time que deu adeus ao torneio durante essa etapa foi o Vasco, que foi eliminado para a LDU Quito (EQU), após perder em 3 a 2 no placar somado da partida de ida e volta.

Após ser transferido da Copa Libertadores para a Copa Sul-Americana, o Vasco também não conseguiu ir longe na segunda competição: foi eliminado pela LDU Quito (EQU)
Após ser transferido da Copa Libertadores para a Copa Sul-Americana, o Vasco também não conseguiu ir longe na segunda competição: foi eliminado pela LDU Quito (EQU)
Foto: Dhavid Normando / Futura Press

Com apenas quatro brasileiros na Copa Sul-Americana após a segunda fase, a etapa de oitavas de final colocou o Botafogo para enfrentar o Bahia. Quem levou a melhor foi o clube baiano, que venceu nos pênaltis o alvinegro carioca por 5 a 4, em pleno Engenhão. Na mesma chave, o Fluminense eliminou o Deportivo Cuenca (EQU) após vencer o jogo de ida e o jogo de volta por 2 a 0. O Atlético-PR, por sua vez, venceu o Caracas (VEN) nas duas partidas das oitavas de final, em um placar agregado de 4 a 1.

Jogadores do Bahia comemoram o acesso para as quartas de final, após vencer o Botafogo nos pênaltis, em pleno Engenhão
Jogadores do Bahia comemoram o acesso para as quartas de final, após vencer o Botafogo nos pênaltis, em pleno Engenhão
Foto: Marcello Dias / Futura Press

Nas quartas de final, o Atlético-PR se encontrou com o Bahia. Para os baianos, a decisão foi mais uma vez nas penalidades máximas. Após duas vitórias de 1 a 0, uma para cada, o rubro-negro do Paraná venceu por 4 a 1 na disputa de pênaltis. O Fluminense enfrentou o Nacional (URU) nessa etapa da competição e conquistou seu acesso para a semi-final após empatar o primeiro jogo em 1 a 1 e vencer a partida de volta por 1 a 0

Gum comemora o seu gol contra o Nacional (URU) no jogo de ida; o Fluminense venceria o time uruguaio fora de casa por 1 a 0 para garantir a classificação para a próxima fase
Gum comemora o seu gol contra o Nacional (URU) no jogo de ida; o Fluminense venceria o time uruguaio fora de casa por 1 a 0 para garantir a classificação para a próxima fase
Foto: Marcello Dias / Futura Press

O jogo da semi-final ficou entre Atlético-PR e Fluminense, os únicos dois clubes brasileiros que restavam na competição. Com duas vitórias condundentes por 2 a 0, o rubro-negro paranaense eliminou seu rival carioca e se encaminhou para a final do torneio contra o Junior Barranquila (COL). Na primeira partida da final, um empate na Colômbia em 1 a 1, e no jogo de volta, na Arena da Baixada, mais um empate em 1 a 1, o que levou o jogo para a prorrogação. Com a persistência do placar, a final foi definida nos pênaltis, com uma vitória do time brasileiro por 4 a 3, consagrando sua campanha com o primeiro título internacional de sua história de 94 anos.

Após vencer o Junior Baranquila (COL) nos pênaltis, o Atlético-PR se sagrou o campeão da Copa Sul-Americana
Após vencer o Junior Baranquila (COL) nos pênaltis, o Atlético-PR se sagrou o campeão da Copa Sul-Americana
Foto: Paulo Whitaker / Reuters

Veja também:

Veja quanto cada clube ganhou de premiação no Brasileirão 2018

 

Fonte: Equipe portal
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade