0

Altar satânico é retirado do caminho do papa na Bolívia

O papa Francisco visitará o país entre os dias 8 e 10 de julho

2 jul 2015
18h47
atualizado em 3/7/2015 às 08h06
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Operários bolivianos retiraram o altar para rituais satânicos e oferendas a entidades andinas da estrada que liga as cidades de La Paz e El Alto, por onde o papa Francisco passará na visita que fará ao país na semana que vem.

A "Curva del Diablo", que normalmente abriga dezenas de velas e outros elementos usados nos eventos, estava nesta quinta-feira (2) como qualquer outra parte da rodovia. Homens da prefeitura de La Paz e da Administradora Boliviana de Estradas (ABC) limparam o lugar e colocaram algumas pequenas plantas onde antes ficava o altar improvisado.

Siga o Terra Notícias no Twitter

Membros da "Waka Katari", um grupo que promove rituais andinos no local, ajudaram nos trabalhos e suspenderam os rituais até o fim da visita do papa à Bolívia, explicou à Agência Efe uma das integrantes, identificada apenas como Adriana. Segundo ela, o lugar é, na realidade, uma "waka", local considerado sagrado na cultura andina e "não possui energia negativa", ao contrário do que pensam as pessoas.

Na última segunda-feira, o grupo fez um ritual para pedir permissão para organizar o lugar e os integrantes se organizaram em turnos para garantir que ninguém usará o local nos próximos dias.

"Pedimos que respeitem o lugar por dez dias para que não haja enfrentamentos, porque se a prefeitura ou a ABC fizessem sozinhas o trabalho certamente haveria enfrentamentos e mortes", indicou.

O papa Francisco visitará a Bolívia entre os dias 8 e 10, como parte de uma viagem pela América do Sul, que também inclui o Equador e o Paraguai. O pontífice chegará a El Alto, situada a 4 mil metros acima do nível do mar, e de lá irá a La Paz, a 3.600 metros de altitude, passando pela estrada em um veículo descoberto.

Há algumas semanas, as autoridades anunciaram limpariam a "Curva del Diablo" por conta da chegada do papa. Porém há três anos, o governo derrubou um altar de cimento que existia no lugar, depois que um corpo foi encontrado nas proximidades e a polícia suspeitou que o caso tivesse relação com os rituais.

No começo deste ano, organizações em defesa dos animais denunciaram que alguns bichos, como coelhos, cachorros e gatos, estavam sendo sacrificados em cerimônias satânicas na "Curva del Diablo". Muitos dos ritos dos grupos supostamente satânicos aparecem misturados as crenças dos povos indígenas sobre o sacrifício de animais, particularmente lhamas, dedicadas à Mãe Terra para pedir boas colheitas e prosperidade.

A integrante do "Waka Katari" negou que as cerimônias sejam satânicas ou que tenha a participação de animais. Segundo ela, eles promovem apenas ritos ancestrais andinos.

Papa Francisco recebe grupo de sem-teto na Capela Sistina

 

EFE   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade