PUBLICIDADE

Voto em Dilma foi o mais "caro" entre os presidenciáveis

7 out 2014 19h49
| atualizado às 19h56
ver comentários
Publicidade
<p>Cada eleitor "custou" à petista R$ 2,85</p>
Cada eleitor "custou" à petista R$ 2,85
Foto: Divulgação

A atual presidente da República, Dilma Rousseff (PT) investiu bastante para tentar a sua reeleição. De acordo com os dados declarados pela candidata petista ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até o dia 2 de setembro, cada voto recebido por ela "custou" R$ 2,85, mais do que o dobro gasto pelos seus principais adversários na corrida eleitoral.

A campanha de Dilma gastou R$ 123,3 milhões até o início do último mês e recebeu 43.267.668 votos no primeiro turno das eleições, correspondentes a 41,59% do eleitorado brasileiro. Líder nesta etapa eleitoral, ela terá como adversário na segunda fase do pleito Aécio Neves (PSDB), que teve um custo-benefício melhor para cada um dos votos recebidos.

<p>Tucano teve um custo benef&iacute;cio melhor: R$ 1,16</p>
Tucano teve um custo benefício melhor: R$ 1,16
Foto: Valter Campanato / Agência Brasil

Escolhido por 34.897.211 de brasileiros, o tucano foi para o segundo turno gastando R$ 40,6 milhões até o início de setembro. Ou seja, cada Aécio "gastou" R$ 1,16 por voto.

Terceira colocada no primeiro turno, Marina Silva (PSB) não teve suas receitas divulgadas pelo TSE. Em vez disso, os dados publicados são os de Eduardo Campos, que era o candidato do partido até que um acidente aéreo resultou na sua morte no final de agosto.

Usando estes números como base, cada um dos 22.176.619 votos de Marina Silva teria custado R$ 0,78, já que o investimento na sua campanha foi de R$ 17,4 milhões até o dia 2 de setembro.

Muito mais modesta, Luciana Genro foi quem conseguiu mais com menos. Com apenas R$ 212,8 mil de receita, a candidata do Psol somou 1,6 milhões de votos, o que correspondeu a um eleitor a cada R$ 0,13 investido na campanha.

Veja o cenário eleitoral nos estados Veja o cenário eleitoral nos estados

Bob Fernandes: As vitórias de Dilma e o erro grave de se subestimar Aécio.:

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade