PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Defesa de dono do Porsche oferece salário mínimo para família de motorista morto

Fernando Sastre de Andrade Filho dirigia em alta velocidade quando colidiu contra o carro de Ornaldo Silva Viana, que morreu no hospital

12 abr 2024 - 20h02
(atualizado às 22h19)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Fernando Sastre, condutor do Porsche que matou o motorista de aplicativo Ornaldo Silva Viana, ofereceu um salário mínimo mensal como assistência financeira à família da vítima.
Fernando Sastre de Andrade Filho
Fernando Sastre de Andrade Filho
Foto: Reprodução/Band

A defesa de Fernando Sastre de Andrade Filho, de 24 anos, ofereceu um salário mínimo mensal como ajuda financeira para a família do motorista de aplicativo que morreu após o acidente na madrugada de 31 de março, na zona leste de São Paulo. As informações são da Folha de S.Paulo.  

O jovem dirigia em alta velocidade um Porsche quando colidiu contra o veículo conduzido por Ornaldo Silva Viana, de 52 anos

"Dentro das dependências policiais e através da autoridade policial por meio verbal, se colocaram, junto ao advogado dos familiares da vítima, à disposição para as assistências necessárias, algo momentânea e prontamente rechaçado pelo nobre defensor ao argumento de que 'não era o momento'", disse a defesa do empresário em petição. 

Segundo os advogados do motorista do Porsche, a iniciativa surgiu após familiares da vítima relatarem para a imprensa que enfrentam dificuldades financeiras desde a morte do pai. 

"Sensíveis ao momento, reiteram aqui o manifesto intento colaborativo, com uma ajuda financeira mensal no importe de 1 salário-mínimo, ao qual se dispõem a depósito em conta a ser fornecida pelo defensor constituído dos familiares", diz o documento.

Depoimentos diferentes

A namorada de Fernando Sastre prestou depoimento por quase duas horas, na terça-feira, 9, no 30º Distrito Policial (DP) do Tatuapé. Ela afirmou que o companheiro não consumiu bebida alcoólica antes de assumir a direção.

A jovem contou que os dois teriam um acordo estabelecido no relacionamento de que quando um dos dois bebesse, o outro deixaria de beber. Na noite do acidente, o casal teria se encontrado com Marcus Vinicius, e sua respectiva namorada, em um restaurante. Este casal de amigos estava em outro veículo.

Ornaldo Viana, vítima de acidente provocado por motorista de Porsche, morreu por 'perda de sangue
Ornaldo Viana, vítima de acidente provocado por motorista de Porsche, morreu por 'perda de sangue
Foto: Reprodução/Redes Sociais

O grupo teria voltado separado: Marcus Vinicius acompanhando Fernando, e as suas namoradas foram em outro carro. Isso porque, segundo os depoimentos, houve uma discussão na saída da casa de pôquer, e a namorada não queria acompanhar Fernando no Porsche. 

Apesar da namorada do empresário dizer que Fernando não teria bebido, Marcus Vinícius desmentiu a versão. O depoimento dele foi dado dentro do Hospital São Luiz Anália Franco, em São Paulo, onde permanece internado desde o acidente. Ele precisou retirar o baço e chegou a ficar em coma induzido.

O amigo disse que o condutor do Porsche havia bebido antes de dirigir e que estava "alterado". As informações sobre o que foi dito à polícia são da TV Globo, que conversou com o advogado de Marcus Vinicius. Ele detalhou o que teria ocorrido na noite do acidente.

  • Segundo Marcus, o empresário Fernando Sastre bebeu em um restaurante, antes de irem para a casa de pôquer;
  • Na casa de jogos, os dois não teriam ficado juntos;
  • Depois, na hora de ir embora, o amigo disse que Sastre estava visivelmente alterado e que houve uma discussão;
  • A última coisa que ele se lembra é de estarem no carro e que Fernando Sastre estava acelerando o veículo;
  • Sobre o estado de saúde do jovem, o advogado José Roberto Lourenço disse que Marcus Vinicius está estável e deve receber alta nos próximos dias.

Relembre o acidente

Vídeos mostram motorista de Porsche deixando casa de pôquer antes de acidente fatal em SP:

Por volta das 2h do dia 31 de março, um domingo, o Porsche dirigido por Fernando colidiu contra o Sandero conduzido pelo motorista por aplicativo Ornaldo Viana, na Avenida Salim Farah Maluf, em São Paulo. O jovem seguia em alta velocidade pela via, que tem limite de 50 km/h. 

Ao fazer uma ultrapassagem, ele perdeu o controle do veículo e bateu contra a traseira do Sandero. O condutor chegou a ser socorrido com parada cardiorrespiratória para o Hospital Tatuapé. Ele morreu por causa de "traumatismos múltiplos".

Os policiais militares que atenderam a ocorrência não submeteram o empresário ao teste do bafômetro. A conduta dos agentes está sendo analisada, segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP). Em nota, a pasta disse que a Polícia Militar instaurou uma sindicância e "comprovado o descumprimento dos procedimentos operacionais, os policiais serão responsabilizados".

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade