0

Mandetta: estudo com cloroquina "começa a achar o caminho"

Ministro da Saúde ponderou, no entanto, que se trata dos primeiros resultados de um teste feito com 62 pessoas

2 abr 2020
19h47
atualizado às 19h58
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante entrevista coletiva em Brasília 
25/03/2020
REUTERS/Adriano Machado
Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante entrevista coletiva em Brasília 25/03/2020 REUTERS/Adriano Machado
Foto: Reuters

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse nesta quinta-feira (2), que os primeiros testes científicos com uso de cloroquina, remédio de malária que tem sido usado em pacientes em situação grave por contaminação de coronavírus, começam a mostrar resultados positivos. Durante balanço sobre a situação da pandemia no País, Mandetta disse que um primeiro trabalho científico, um "paper" que será publicado pelo New England Journal of Medicine, dos Estados Unidos, mostra algum avanço no uso do material.

"A ciência começa a achar o caminho", disse Mandetta. O ministro ponderou, no entanto, que se trata dos primeiros resultados de um estudo feito com um grupo de 62 pessoas contaminadas e que são acompanhadas desde fevereiro. "Já é um caminho, algo que temos no horizonte", disse o ministro.

Mandetta disse que terá uma conferência com o Conselho Federal de Medicina na noite desta quinta-feira (02), para tratar do assunto. O ministro comentou, porém, que o resultado não foi exposto aos tradicionais questionamentos científicos e técnicos que regularmente são feitos, para atestar o resultado efetivo de um medicamento.

"Vamos tratar disso com segurança e sem achismos. Vamos gradativamente encontrar as melhores soluções", comentou.

Na quarta-feira, após ficar de fora de reunião do presidente Jair Bolsonaro com um grupo de médicos para tratar de cloroquina, o ministro da Saúde afirmou que só trabalha com ciência, enquanto "outros trabalham com critérios políticos".

"Só trabalho com a academia, só trabalho com a ciência. Existem pessoas que trabalham com critérios políticos, que são importantes também, deixem que eles trabalhem. Não me ofendem em nada. Trabalho com foco, disciplina e ciência", disse Mandetta ao ser questionado por jornalistas sobre o encontro, durante coletiva de imprensa no Palácio do Planalto.

Veja também:

Covid-19: o pesadelo da 2ª onda em plantão de UTI em Londres
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade