1 evento ao vivo

Greta critica ministro Salles e usa hashtag #SalvemAAmazônia

Ativista criticou fala do ministro do Meio Ambiente sobre "passar a boiada": "Nosso futuro é um jogo para eles"

23 mai 2020
10h52
atualizado às 11h17
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A ativista sueca Greta Thunberg criticou o ministro do Meio Ambiente do Brasil, Ricardo Salles, por ele defender que o governo aproveite que o foco das atenções está na pandemia de covid-19 para afrouxar normas de controle.

"Apenas imagine as coisas que foram ditas longe da câmera... Nosso futuro em comum é apenas um jogo para eles", escreveu Thunberg no Twitter, citando a declaração do ministro e a hashtag #SalvemAAmazônia.

Greta Thunberg em manifestação em Bruxelas, em 6 de março
Greta Thunberg em manifestação em Bruxelas, em 6 de março
Foto: EPA / Ansa

Em reunião cujo vídeo foi divulgado nesta sexta-feira (22) pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), Salles defendeu que a atenção dada pela imprensa à pandemia de coronavírus abre uma "oportunidade" para desregulamentar normas ambientais e em outras áreas.

"Precisa ter um esforço nosso aqui enquanto estamos nesse momento de tranquilidade no aspecto de cobertura de imprensa, porque só fala de Covid, e ir passando a boiada e mudando todo o regramento e simplificando normas. De Iphan [Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional], de Ministério da Agricultura, de Ministério de Meio Ambiente, de ministério disso, de ministério daquilo. Agora é hora de unir esforços pra dar de baciada a simplificação", disse.

Depois da divulgação do vídeo, o ministro se manifestou no Twitter e declarou que sempre defendeu a desburocratização e simplificação de normas, "com bom senso e tudo dentro da lei". "O emaranhado de regras irracionais atrapalha investimentos, a geração de empregos e, portanto, o desenvolvimento sustentável no Brasil", acrescentou.

Thunberg, 17 anos, já havia criticado o assassinato de indígenas no Brasil em 2019 e sido chamada de "pirralha" pelo presidente Jair Bolsonaro. A sueca lidera um movimento global de estudantes que promove greves semanais às sextas-feiras para cobrar ações contra a crise climática.

Veja também:

Como usar uma máscara facial corretamente
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade