PUBLICIDADE

Polícia

Crime que resultou na morte de advogado no Rio durou 14 segundos

Rodrigo Marinho Crespo era sócio de escritório especializado em Direito Civil Empresarial e foi morto na tarde dessa segunda

27 fev 2024 - 10h46
(atualizado às 11h17)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Reprodução: Redes Sociais

A execução do advogado Rodrigo Marinho Crespo, de 42 anos, no fim da tarde de segunda-feira, 26, no Centro do Rio de Janeiro, teve uma duração de apenas 14 segundos. O crime ocorreu na rua onde estão situadas a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Defensoria Pública do Estado e o Ministério Público do Estado (MPRJ). As informações são da TV Globo.

Os agentes da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), responsáveis pelo caso, estão investigando se o caso se trata de uma execução e se os assassinos observaram os hábitos e a rotina do advogado.

De acordo com testemunhas, os criminosos estavam em um veículo branco. Ao avistá-lo, um deles o chamou pelo nome e, em seguida, efetuou vários disparos. O advogado tinha o hábito de descer do escritório para tomar café e conversar com as pessoas.

Detalhes do crime

O crime foi registrado pelas câmeras de segurança da área e, segundo informações de policiais civis, o criminoso teria efetuado pelo menos 15 disparos de uma pistola 9 mm. Investigadores recuperaram pelo menos 11 cápsulas no local.

De acordo com a polícia, o veículo em que o assassino chegou estacionou em uma fila dupla. Na sequência, ele saiu do banco traseiro, deu cerca de três passos e, em seguida, iniciou os primeiros disparos. Testemunhas próximas correram ao ouvir os tiros. O criminoso continuou atirando contra o advogado, que já estava caído no chão.

Após o ataque, o assassino retornou rapidamente para o carro, que estava com a porta aberta. Ainda de acordo com a polícia, toda a ação durou apenas 14 segundos. 

Rodrigo Marinho Crespo era graduado na PUC-RJ e sócio-fundador do escritório de advocacia Marinho & Lima Advogados, localizado na Avenida Marechal Câmara, no Centro do Rio.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade