PUBLICIDADE

Executiva é obrigada a retirar prótese em aeroporto para embarcar

Gabriela Torquato Fernandez relatou caso que aconteceu no Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

6 dez 2023 - 11h39
Compartilhar
Exibir comentários
Executiva teve que retirar prótese da perna no raio x para embarcar
Executiva teve que retirar prótese da perna no raio x para embarcar
Foto: Reprodução/Instagram/gab_torquato

A executiva, professora e consultora Gabriela Torquato Fernandez relatou em seu perfil no Instagram que foi obrigada a retirar sua prótese para poder embarcar em um voo no último dia 03 de dezembro, data que marca o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência.

"Sozinha, em uma sala sem nenhuma das minhas coisas, sem câmeras, preciso tirar a prótese. A cena bizarra da mulher saindo com a prótese na mão sem nem saber como segurar. Outra passando a mão no meu toco e na virilha", contou. 

Gabriela continou e contou que o constrangimento foi maior: "Ainda ouvi um 'eu entendo que possa ser constrangedor, mas é o procedimento, precisamos fazer'. Não, você não entende! É justamente por não entender o que é minha deficiência e como funciona minha prótese, e minha vida, que isso acontece. A parte da prótese que fica em contato direto com o meu corpo em carne viva passando no raio x sujo. Zona de segurança ela disse. Seguro para quem?", questionou. 

6 frases que parecem elogio, mas só ofendem as pessoas com deficiência 6 frases que parecem elogio, mas só ofendem as pessoas com deficiência

Desconfortável, a executiva se viu, então, sem reação. "Será que em algum lugar em mim ainda sinto como se eu fosse a errada? Como se eu tivesse atrapalhando? Ou talvez eu 'só' esteja exausta", desabafou. 

O caso aconteceu no aeroporto Presidente João Suassuna, em Campina Grande, na Paraíba, e Gabriela conta que foi a primeira vez que que passou por isso no país. "Isso tinha acontecido na Etiópia apenas, pela inviabilidade de comunicação".

Em nota enviada para o jornal Folha de S. Paulo, a Aena, concessionária que administra o aeroporto de Campina Grande, assim como Congonhas (SP), se desculpou com Gabriela e afirmou que "embora a inspeção tenha acusado a presença de metal no corpo da passageira, a profissional presente no momento poderia ter solicitado a liberação do embarque à Polícia Federal". 

"Que nesse dia a gente se lembre que a luta continua, e enquanto não for um problema de todos, vamos continuar sendo humilhados e desrespeitados quase 24h em todos os espaços imagináveis. Não tem fórmula mágica, tá? Ninguém é igual, surpresa! Nesse dia eu imploro: pergunte, não suponha, por favor!", finalizou a executiva na postagem.

Fonte: Redação Nós
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade