PUBLICIDADE

Monster Hunter Stories: Jogamos a versão definitiva do 'Pokémon' da Capcom

Série simplifica o mundo de Monster Hunter com batalhas em turnos e monstros como companheiros

20 mai 2024 - 12h34
(atualizado às 13h44)
Compartilhar
Exibir comentários
Monster Hunter Stories é versão "RPG japonês" do universo de Monster Hunter
Monster Hunter Stories é versão "RPG japonês" do universo de Monster Hunter
Foto: Capcom / Divulgação

A franquia Monster Hunter é super tradicional no Japão e vêm conquistando cada vez mais adeptos no ocidente desde o lançamento de Monster Hunter World em 2018, mas é preciso admitir que são jogos complexos e cheios de minúcias que recompensam os jogadores mais dedicados, sem dó de deixar os fãs mais casuais pelo caminho.

E para mim, esse sempre foi o maior charme de Monster Hunter Stories: uma versão encantadora e acessível deste universo de feras míticas e paisagens selvagens, que consegue agradar tanto os fãs hardcore quanto os jogadores que não têm tempo ou coragem para dedicar centenas de horas nos Monster Hunter tradicionais. Assista ao trailer:

Com ambos Monster Hunter Stories a caminho do PC, PlayStation 4 e do Nintendo Switch, e Monster Hunter Stories 2: Wings of Ruin chegando ao PS4 em junho, o Terra Game On teve a oportunidade de experimentar as versões PlayStation de ambos os games - e constatar que elas têm tudo para serem as versões definitivas do 'Pokémon' da Capcom.

Monster Hunter com batalhas em turno

Combates por turnos em Monster Hunter Stories 2: Wings of Ruin são ainda mais táticos
Combates por turnos em Monster Hunter Stories 2: Wings of Ruin são ainda mais táticos
Foto: Capcom / Divulgação

Em ambos os jogos Monster Hunter Stories, a franquia ganha um formato de RPG com batalhas por turnos e uma história mais clara e objetiva, com uma progressão fácil de entender. O jogador pode passar alguns dias afastado do game e quando voltar, não estará com aquela sensação de que está perdido em um mundo gigante, sem saber o que fazer ou para onde ir.

No primeiro game, você controla um Montador, um jovem capaz de domar monstros e usar essa Afinidade para explorar a ilha em que vive para entender eventos naturais e lidar com ameaças, tanto de monstros selvagens quanto de pessoas má intencionadas.

Seus mapas são interconectados e a trama avança de forma bem direta. O jogador vai encontrando e adotando novos monstros para seu time, podendo usá-los também como montaria. Certos monstros conseguem alcançar lugares antes impossíveis, o que aumenta as possibilidades de exploração.

A experiência é ainda melhor em Monster Hunter Stories 2: Wings of Ruin (que você confere no trailer acima), que traz um mundo maior e mais bonito, com animações aprimoradas em relação ao jogo original. O combate e a progressão são mais sofisticados, mas continuam bastante acessíveis. É um jogo perfeito para quem quer conhecer e até entender melhor como funcionam as coisas em Monster Hunter, mas acha o estilo dos games da série principal, como World e Rise, é meio intimidador.

A série Stories tem um apelo mais narrativo também e é bom ver que ambos os jogos contam com legendas e menus em português do Brasil. São jogos grandes e entender o que está rolando ajuda muito a manter o jogador interessado.

Multiplayer e melhorias

Jogador e criaturas são amigos e companheiros em Monster Hunter Stories
Jogador e criaturas são amigos e companheiros em Monster Hunter Stories
Foto: Capcom / Divulgação

Essas novas versões de Monster Hunter Stories e de Wings of Ruin traz algumas melhorias em relação aos lançamentos originais e a maior delas, infelizmente, não estava disponível no preview dos games, que é a adição do modo multiplayer, com batalhas em tempo real entre Montadores e monstros de dois jogadores.

Monster Hunter Stories chega em 14 de junho para PC, PlayStation 4 e Switch, mesma data em que Monster Hunter Stories 2: Wings of Ruin chegará ao PlayStation 4.

Fonte: Game On
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade