PUBLICIDADE

Suíça Bencic dedica ouro no tênis a Federer e Martina Hingis

Tenista venceu a checa Marketa Vondrousova por 2 sets a 1 na final feminina dos Jogos de Tóquio e reverenciou os compatriotas na modalidade

31 jul 2021 19h20
| atualizado às 23h18
ver comentários
Publicidade

Embora a Suíça tenha contado com Roger Federer e Martina Hingis, ambos ex-número 1 do mundo e com múltiplas conquistas de Grand Slam, as medalhas olímpicas de ouro em simples não foram de nenhum deles. Marc Rosset venceu os Jogos de Barcelona-1992 e agora Belinda Bencic se tornou a campeã em Tóquio-2020, mas sem esquecer dos nomes que a inspiraram a jogar tênis.

Belinda Bencic comemora após garantir a conquista da medalha de ouro em Tóquio
Belinda Bencic comemora após garantir a conquista da medalha de ouro em Tóquio
Foto: Robert Deutsch-USA TODAY Sports/Reuters

"Acho que consegui por eles. Talvez não consiga fazer o que ambos já fizeram na carreira, mas então posso dizer que essa medalha é também para Martina e Roger", afirmou a nova campeã olímpica, após a vitória na final sobre a checa Marketa Vondrousova por 2 sets a 1, com parciais de 7/5, 2/6 e 6/3, neste sábado.

"É incrível quando você começa desde lá de baixo e vai subindo, fui campeã no juvenil assim como (o alemão Alexander) Zverev, que também está na final olímpica. É incrível poder inspirar uma próxima geração, o que é uma novidade para mim, pois eu sempre fui aquela que era inspirada", observou Bencic, que aos 24 anos de idade começa a inspirar as novas gerações, algo que ainda vai se acostumando a fazer.

A suíça não acredita que o ouro olímpico trará mudanças em sua carreira e prefere ver sua trajetória como uma continuação de acontecimentos. "Eu não acho que precise mudar minha carreira, adoro o que já fiz até então, com todos os altos e baixos. Você tem que lutar contra as adversidades e tentar vencê-las. Tive sucesso muito cedo, mas cada um tem seu tempo e cada pessoa tem sua história. O principal é estar feliz consigo mesmo", afirmou.

Neste domingo, Bencic terá a chance de se juntar a um seleto grupo de mulheres que conseguiram duas medalhas de ouro no mesmo evento: Helen Wills, em Paris-1924, Venus Williams, em Sydney-2000, e Serena Williams, em Londres-2012. "Vou dar tudo que puder. Será minha última partida aqui e vai ser incrível ter duas medalhas. São esses momentos que duram para sempre e por isso vou gastar toda a energia que tiver", finalizou a suíça.

Estadão
Publicidade
Publicidade