PUBLICIDADE

Laura Pigossi e Luisa Stefani ficam com bronze e garantem primeira medalha olímpica do Brasil no tênis

31 jul 2021 08h26
| atualizado às 08h37
ver comentários
Publicidade

As brasileiras Laura Pigossi e Luisa Stefani salvaram quatro match points contra as vice-campeãs de Wimbledon, Veronika Kudermetova e Elena Vesnina, para conquistar a medalha de bronze nas duplas femininas dos Jogos Olímpicos de Tóquio neste sábado.

Laura Pigossi e Luisa Stefani celebram medalha de bronze
 31/7/2021    REUTERS/Yara Nardi
Laura Pigossi e Luisa Stefani celebram medalha de bronze 31/7/2021 REUTERS/Yara Nardi
Foto: Reuters

Essa é a primeira medalha olímpica do tênis do Brasil. O melhor resultado até então era o quarto lugar de Fernando Meligeni em Atlanta 1996.

As brasileiras, com lágrimas nos olhos no final da partida, coroaram uma semana estelar, vindas de 5-9 no tiebreak para ganhar seis pontos consecutivos e vencerem a dupla do Comitê Olímpico Russo (ROC) por 4-6, 6-4 e 11-9.

"Sabíamos que tínhamos que dar dado tudo e temos toda essa emoção agora", disse Stefani, 23a colocada no ranking mundial de duplas.

"Do 0-0 no tiebreak até quando estávamos 9-5 atrás, acreditávamos que poderíamos fazer isso o tempo todo. Tínhamos essa sensação de confiança o tempo todo e agora há essa sensação de pura felicidade por ter alcançado um objetivo", afirmou ela.

"Esta medalha é histórica para o Brasil. É também uma responsabilidade, mas também uma motivação para nós."

Vesnina, que tentava ganhar sua segunda medalha olímpica após o ouro nas duplas femininas em 2016, pode se redimir quando se juntar a Aslan Karatsev contra Anastasia Pavlyuchenkova e Andrey Rublev em uma final de duplas mistas no domingo.

Atletas russos foram proibidos de usar sua bandeira ou hino por conta dos escândalos de doping no país. Eles são identificados como atletas do Comitê Olímpico Russo.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade