0

VAR é o artilheiro da rodada da Copa

Uruguai de Luisito brilha, Espanha e Portugal sofrem, mas árbitro de vídeo rouba cena e pode até pedir música

25 jun 2018
18h35
  • separator
  • comentários

A vida de um torcedor de sofá parece fácil, mas não é. A maratona televisiva sugeria que o grande jogo matutino seria o disputado entre Uruguai e Rússia. Afinal valia a liderança do grupo A, enquanto no mesmo horário os eliminados Egito e Arábia Saudita deveriam fazer uma peladaça daquelas, apesar do Salah.

VAR apareceu e foi decisivo
VAR apareceu e foi decisivo
Foto: Jorge Silva / Reuters

Valeu a pena ver o gol de falta de Luisito Suárez e lamentar a falta de sorte de Cherichev, que ampliou para a Celeste com apenas 23 minutos. Nessa altura, o controle remoto já havia funcionado para ver o replay do golaço de Salah, que encobriu o goleiro árabe com a categoria habitual.

Só que a expulsão do russo Smolnikov com 36 minutos fez o controle entrar em ação novamente. A Arábia pressionava em busca do empate e teve a ajuda do VAR na marcação do pênalti. Fahad Al Muwallad cobrou bem, só que Essam El-Hadary, com seus 45 anos bem vividos, o jogador mais velho a disputar um jogo na Copa, fez uma defesa espetacular.

O insaciável VAR ajudou a marcar outro pênalti para a Arábia e dessa vez não deu para o goleirão quarentão. Nos acréscimos, aos 49 do segundo tempo, os árabes viraram com Al-Dawsari.

Um pouco antes, no outro jogo, Cavani havia feito o primeiro gol na competição, nos 3 x 0 sobre a Rússia, que garantiu o primeiro lugar no grupo A

Na hora da sessão da tarde, Portugal, Espanha e Irã definiriam a sorte no grupo B. Com Marrocos já eliminado, jogar as fichas em Portugal x Irã parecia a melhor solução. Só que até Quaresma fazer um golaço de trivela, Iniesta já havia falhado no gol de Baltoid para o Marrocos, e se redimido cinco minutos depois, ao dar de presente para Isco empatar.

Depois do intervalo, só deu VAR nos dois jogos. O paraguaio Enrique Cáceres marcou pênalti para Portugal com a ajuda do vídeo, mas Cristiano Ronaldo parou no goleiro. O melhor do mundo também quase foi expulso por causa de uma tentativa de agressão flagrada pela TV (recebeu amarelo). Na reta final, o Irã ganhou um pênalti do VAR, empatou o jogo e teve a chance de virar no finalzinho.

A Espanha, que perdia para o surpreendente Marrocos por 2 x 1, foi salva com a ajuda do VAR, que mostrou que Aspas não estava impedido. Com os dois empates, a Fúria terminou na liderança e vai enfrentar os russos nas oitavas. Portugal vai encarar  o Uruguai.

Com a ajuda do VAR, três gols foram marcados, além de dois pênatis perdidos. Será que ele pode pedir música? E na terça gorda da Copa será que o tal do juizão de vídeo vai roubar a cena de novo? Façam suas apostas!

Fonte: Blog A Copa no sofá   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade