PUBLICIDADE

Preocupação ambiental cria necessidade de novos profissionais; veja carreiras e salários

Novas exigências ambientais abrem vagas para trabalhadores especializados, como engenheiros, modeladores de dados e especialistas em IA; remuneração vai de R$ 3 mil a R$ 50 mil

26 mai 2024 - 17h10
Compartilhar
Exibir comentários

As novas exigências ambientais impulsionam o crescimento de empregos verdes em diversos setores do mercado de trabalho, incluindo mineração, agropecuária e indústria automotiva. Os salários iniciais geralmente começam em R$ 3 mil, podendo alcançar até R$ 50 mil em cargos mais seniores. Essa mudança não cria necessariamente novas profissões, mas adapta os talentos existentes para atender às novas regulamentações ambientais.

Módulos de eletrólise da ThyssenKrupp usados na fabricação de hidrogênio verde
Módulos de eletrólise da ThyssenKrupp usados na fabricação de hidrogênio verde
Foto: Divulgação/ThyssenKrupp / Estadão

Em geral, as empresas apontam para a necessidade de os profissionais buscarem especializações relacionadas ao mercado de energia renovável e terem uma formação cada vez mais variada, incluindo temas técnicos, mas também relacionados ao impacto ambiental do setor e à legislação vigente. Quem "sair da caixa" e tentar se desenvolver de forma multidisciplinar tem mais chances de crescimento, de acordo com companhias ouvidas pela reportagem.

No entanto, alguns cargos são novos, como especialista em reciclagem automotiva para coordenar a reutilização de materiais e a redução de resíduos, modelador de dados para mapear informações dos nutrientes do solo e pastagens nativas e supervisionar o processo de produção de hidrogênio verde.

Outras são profissões já existentes, mas com especialização atualizada:

  • Engenheiros de produto
  • Engenheiros eletricistas
  • Zootécnicos
  • Advogados
  • Engenheiros eletricistas
  • Geólogos
  • Vejas as oportunidades de carreiras, conforme o setor:

Hidrogênio verde

O mercado de carbono tem organizações especializadas em oferecer serviços que auxiliam grandes empresas na mitigação dos impactos de suas ações poluentes. Essas organizações vendem os créditos de carbono para compensar a poluição do setor produtivo.

Veja algumas profissões do setor:

  • Advogados
  • Administradores
  • Assistentes sociais
  • Biólogos
  • Engenheiros florestais
  • Geógrafos
  • Sociólogos

Dentro dessas áreas de atuação, confira algumas funções desempenhadas:

  • Desenvolvimento de projetos: empresas especializadas em mapear áreas de reflorestamento ou captura de metano em aterros sanitários, por exemplo.
  • Operação: implantam a restauração que gerará os certificados de crédito de carbono. Exemplo: restauração florestal por meio do plantio de 10 mil árvores na Amazônia com o objetivo de compensar as emissões das atividades de uma mineradora.
  • Auditoria: organizações de auditoria credenciadas que atuam como órgãos de certificação do crédito de carbono.
  • Impacto social: assegura que projetos de carbono gerem os benefícios sociais avaliados pela certificação.

O geógrafo Lucas Pereira, que também administra duas empresas do mercado de carbono, calcula que profissionais em início de carreira ganhem em torno de R$ 3 mil a R$ 4 mil. Já cargos mais seniores variam entre R$ 12 mil e R$ 20 mil.

Estadão
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade