PUBLICIDADE

Guilherme Arantes: 'Minha música não serve para tocar na praça de alimentação do Rock in Rio'

Em tom de desabafo, cantor e compositor, que se apresentou em São Paulo, disse que está 'tudo bem' sobre nunca ter sido chamado para o festival

7 mar 2024 - 12h40
Compartilhar
Exibir comentários

O cantor e compositor Guilherme Arantes fez, na noite desta quarta-feira, 6, no Sesc Pompeia, em São Paulo, a primeira de uma série de três apresentações. Logo no início do show, após cantar duas canções bastante identificadas com a cidade - A Cidade e a Neblina e Coração Paulista -, Guilherme afirmou:

"Coração Paulista não serve para tocar na praça de alimentação do Rock in Rio. Minha alta culinária (música) não tem lugar no Brasil. Mas, para mim, está tudo bem. Tudo bem".

Guilherme, um dos principais hitmakers da história da música brasileira, nunca foi convidado a tocar no Rock in Rio, em 40 anos de história do evento. Ele também continua fora de outros importantes festivais, mesmo os voltados exclusivamente para a música nacional, como o Coala, em São Paulo, e o Doce Maravilha e Rock The Mountain, no Rio de Janeiro.

Em 2022, em entrevista ao podcast Corredor 5, do produtor Clemente Magalhães, Guilherme já havia criticado o Rock in Rio. Na ocasião, ele questionou a escalação da cantora Ivete Sangalo pela 15ª vez. "Acho, por exemplo, que a Ivete Sangalo já deu o que tinha que dar. Chega. Eu sei que é uma grande cantora e tudo. Eu reconheço. Mas, pô, nenhuma oportunidade para o Roupa Nova? Eu acho esquisito", disse à época.

Em 2023, o The Town, festival estreante em São Paulo, promovido pela Rock World, mesma empresa que faz o Rock in Rio, escalou nomes como Ivan Lins, Mônica Salmaso, Hermeto Paschoal e Hamilton de Holanda para tocar em um espaço paralelo aos grandes palcos. Batizado de São Paulo Square, o local tinha no cenário pontos turísticos da cidade de São Paulo, como o Mercado Municipal e a Catedral da Sé, e lojinhas de alimentação ao redor.

Show repleto de hits

No show que apresentou em São Paulo nesta quarta-feira, 6, Guilherme, em excelente forma vocal, recuperado de uma cirurgia no quadril, mostrou o poder de seu repertório. A reportagem do Estadão acompanhou a apresentação que estava com ingressos esgotados, assim como as que ocorrerão nesta quinta e sexta, 7 e 8 de março.

Acompanhado por uma banda que incluía o guitarrista Luiz Carlini, que fez parte do Tutti Frutti, grupo que tocou com Rita Lee, e do baixista Willy Verdaguer, responsável pelo lendário solo na introdução de Sangue Latino, do Secos & Molhados, Guilherme enfileirou hits como Amanhã, Êxtase, Planeta Água, Meu Mundo e Nada Mais, Deixa Chover, Lance Legal e Lindo Balão Azul.

Guilherme também abriu espaço para músicas menos conhecidas de seu repertório, entre elas, Semente da Maré, de 2017, e A Desordem dos Templários, música que batizou seu mais recente álbum, lançado em 2021.

O compositor disse que esse álbum tem algo de barroco, mas ficou conhecido como um repertório "meio geek". "Essa música fala sobre batalhas de narrativas. Algo que acontece dentro do ser humano e, no ambiente social, se transforma em polaridade", explicou.

Guilherme Arantes vende tudo

O cantor e compositor Guilherme Arantes anunciou sua chácara por R$ 2 milhões
O cantor e compositor Guilherme Arantes anunciou sua chácara por R$ 2 milhões
Foto: JF Dorio/Estadão; Reprodução site resortbahia.com / Estadão

O cantor e compositor Guilherme Arantes anunciou nesta segunda-feira, 5, que colocou à venda sua chácara no litoral norte de Salvador onde funcionava sua produtora, a Coaxo de Sapo. A venda é no estilo 'porteira fechada', ou seja, quando os móveis e objetos que estão no local estão inclusos na negociação. O valor pedido por Guilherme é de R$ 2 milhões.

"A razão da venda (da chácara) é a dinâmica mesmo da vida, pois resolvi outras coisas para o meu sonho, que permanece vivo totalmente, em outras locações inacreditáveis", escreveu o cantor no anúncio.

Guilherme afirma que não há nada de negativo no ato. "Nenhum episódio sequer de provação ou aborrecimento: lá tudo deu certo, só realizações plenas e gratificantes", diz o compositor que nos últimos anos gravou seus trabalhos no local, além de abrir a produtora para outros artistas.

Segundo a descrição do anúncio feito em um site de vendas, o terreno que fica em um resort em Barra do Jacuípe, no litoral de Camaçari, município vizinho a Salvador. O terreno tem 6.640 metros quadrados e a construção, que abriga oito suítes, soma 1.200 metros quadrados. O local é cercado por praias.

A casa, segundo o site em que está anunciada ,está muito bem conservada, com móveis de qualidade, ar condicionado e tem capacidade para até 27 pessoas. "Ideal para famílias numerosas e especialmente para grupos musicais, igrejas ou fundações culturais/educacionais". No anúncio há apenas uma foto aérea do local.

Guilherme também anunciou dois gravadores digitais com 48 canais por R$ 7 mil. "Só coisa fina e bem cuidada. Claro que posso autografar", escreveu o compositor. Recentemente, ele também colocou à venda um teclado, que já não está mais disponível.

Guilherme Arantes, um dos compositores de maior sucesso na música nacional, está com a agenda repleta de shows. Nesta quinta e sexta-feira, ele se apresenta em São Paulo, no Sesc Pompeia. No sábado, 9, ele estará no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Os ingressos para essas apresentações já estão esgotados.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade