PUBLICIDADE

5 iniciativas de utilização do cânhamo na indústria

28 ago 2023 - 13h42
Compartilhar
Exibir comentários

Nossa série sobre Cannabis segue naquele pique. A primeira edição trouxe 5 músicas que abordam sobre o verdinho, indo de Kid Cudi a Planet Hemp, projeto este que super repercutiu nas nossas redes e agora abrimos alas para a parte dois, abordando 5 iniciativas de utilização do cânhamo na indústria. Cola com nóis!

1 - Lotus Elise 

Sendo mais antiga que o algodão para a produção de linhas, vemos que o cânhamo é uma das derivações da Cannabis. Em 2008, o carro esportivo da Lotus Elise criou uma versão do mesmo 32kg mais leve, utilizando bancos esportivos criados pela fibra da planta.

Foto: AUR

2 - Moda para os PETs

A Weedog trouxe uma série de coleções para a moda PET utilizando Cânhamo, trazendo menor impacto ambiental, além de deixar os doguinhos no estilo de forma sustentável.

Foto: AUR

3 - Mevatyl 

O Mevatyl é registrado em outros países com o nome comercial Sativex, porém, chega no Brasil forte, sendo indicado para o tratamento sintomático da espasticidade moderada a grave relacionada à esclerose múltipla. 

O remédio é indicado a pacientes adultos não responsivos, mas infelizmente ainda não é acessível para toda a população, já que os valores chegam em média a R$ 2.700 (3 ampolas). 

Foto: AUR

4 - Cerveja de maconha? 

A Hocus Pocus se juntou à Cool Terps, uma empresa especializada na extração e comercialização de terpenos. Mas aqui, a grande pegadinha é que a cerveja não utiliza qualquer derivado de maconha, apenas um composto que imita seu aroma e sabor.

Foto: AUR

5 - Chocolate & Maconha 

O Cannabis Chocolate Noir chega de Amsterdã ao Brasil com uma receita baseada em cannabis, contendo sementes de Cânhamo e 70% de chocolate puro. Imagina só aquele domingo após o almoço, lançando um chocolate de maconha? 

Foto: AUR

Para fechar, é importante ressaltar que produtores independentes vem trabalhando diariamente para comercializar produtos baseados no cânhamo, dentro da legalidade. Nossa esperança é que a legalização chegue e cada vez mais possamos ver a indústria utilizando seus derivados. 

Até a próxima!

AUR
Compartilhar
Publicidade
Publicidade