PUBLICIDADE

6 curiosidades sobre Heliópolis, a maior favela de São Paulo

Com mais de 200 mil moradores, comunidade tem desde nome inspirado na mitologia grega à rádio comunitária há 30 anos no ar

28 abr 2023 - 05h00
(atualizado às 15h24)
Compartilhar
Exibir comentários
A UNAS é a organização atuante na comunidade e luta por melhorias em diversas áreas
A UNAS é a organização atuante na comunidade e luta por melhorias em diversas áreas
Foto: Léu Britto/Agência Mural

Famosa por ser considerada a maior favela de São Paulo, Heliópolis também é referência na luta por moradia e comunicação comunitária. A comunidade pertencente ao distrito do Sacomã, na zona sul da capital paulista, tem o nome inspirado na mitologia grega e carrega uma série de outras curiosidades.

Confira abaixo seis particularidades sobre a região.

1 - Origem mitológica 

O termo “Heliópolis” deriva do grego antigo e significa “Cidade do Sol”. Essa denominação está relacionada à mitologia grega em que Hélios, o deus do sol, teve um filho que supostamente fundou a cidade de Heliópolis no Egito.

“Heliópolis” deriva do grego antigo e significa “Cidade do Sol”
“Heliópolis” deriva do grego antigo e significa “Cidade do Sol”
Foto: Ira Romão/Agência Mural

2 - Luta por moradia 

Heliópolis não é apenas uma referência ao Sol, mas também é a favela que simboliza a luta por moradia. A comunidade teve início na década de 1970, quando algumas famílias foram despejadas pela Prefeitura de São Paulo da região de Vila Prudente. O que começou como alojamentos temporários, cresceu e se transformou em um bairro completo, nomeado como Cidade Nova Heliópolis.

3 - A maioral mesmo

Dizer que Heliópolis é a maior favela de São Paulo não é à toa. Com mais de 200 mil habitantes, segundo a prefeitura, a favela é mais populosa do que 23 dos 39 municípios da região metropolitana. Em tamanho territorial, são aproximadamente 1 milhão de metros quadrados.

A Cidade Nova Heliópolis, hoje com 200 mil moradores, teve início na década de 1970
A Cidade Nova Heliópolis, hoje com 200 mil moradores, teve início na década de 1970
Foto: Léu Britto/Agência Mural

4 - Referência de mobilização

Com uma população tão expressiva, a organização é fundamental para a mobilização em Heliópolis. Em 1978, foi fundada a UNAS (União dos Núcleos e Associação de Moradores de Heliópolis e Região), que segue defendendo os interesses dos moradores e trabalhadores da comunidade. 

Inicialmente, a UNAS lutava pelo direito à moradia, mas agora se concentra em fornecer suporte à favela para implementar melhorias a partir de projetos e serviços em áreas como educação, cultura, assistência social, esporte, saúde, trabalho, mulheres, juventude, LGBTQIAP+, moradia e movimentos de base.

5 - Comunicação comunitária 

Criada a partir da UNAS, a Rádio Comunitária de Heliópolis representa a união dos moradores. Com 19 voluntários, a equipe é composta por locutores, técnicos, coordenadores e colaboradores que promovem a troca de informações e o fortalecimento da comunidade através da comunicação.

No ar há mais de 30 anos, a rádio recebeu, em 2010, o Prêmio Asas, da Secretaria de Cultura do Governo Federal, reconhecendo-a como a melhor rádio comunitária do Brasil.

A favela fica na zona sul de São Paulo e tem aproximadamente 1 milhão de m²
A favela fica na zona sul de São Paulo e tem aproximadamente 1 milhão de m²
Foto: Ira Romão/Agência Mural

6 - Orquestra sinfônica

Heliópolis não é apenas uma presença importante em diversas áreas da cena cultural, mas também reconhecida por ser a primeira favela do mundo a ter uma orquestra. Sob a direção do maestro Isaac Karabtchevsky, a Orquestra Sinfônica Heliópolis já se apresentou em inúmeros palcos em todo o Brasil.

Agência Mural
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade