PUBLICIDADE
Patrocínio Logo do patrocinador

7 dicas para aproveitar a praia sem colocar a saúde em risco

Médicos explicam como é possível aproveitar o verão de maneira segura

8 fev 2024 - 17h01
(atualizado às 17h48)
Compartilhar
Exibir comentários

A praia é indiscutivelmente um dos destinos mais adorados para aproveitar o calor do verão, oferecendo uma combinação irresistível de sol, areia e mar. No entanto, é vital lembrar que, ao desfrutar desse ambiente ensolarado, alguns cuidados são cruciais para preservar a saúde. Por isso, a seguir, confira algumas dicas de médicos para aproveitar esta época do ano de maneira segura!

Hábitos saudáveis evitam problemas de saúde durante os dias de calor
Hábitos saudáveis evitam problemas de saúde durante os dias de calor
Foto: Dean Drobot | Shutterstock / Portal EdiCase

1. Hidrate o corpo

A hidratação do organismo é um dos cuidados mais importantes para aproveitar um dia na praia sem complicações. "A combinação de calor, sudorese e esforço físico favorece a desidratação, que acontece quando a quantidade de água perdida pelo organismo é maior do que a ingerida. E as consequências para a saúde podem ser graves", alerta a nutróloga Dra. Marcella Garcez, que explica que os primeiros sintomas da desidratação incluem:

  • Sede;
  • Boca seca;
  • Redução da sudorese, da elasticidade da pele e da produção de urina.

Assim, para a hidratação, a água é insubstituível. "Porém, alguns outros alimentos podem ser utilizados como aliados na hidratação do organismo, principalmente bebidas, frutas, legumes e verduras com mais de 90% de água em sua composição. Em contrapartida, evite o consumo de álcool, pois, por estimular a diurese, também favorece a desidratação, principalmente quando combinado à exposição solar", aconselha a médica.

2. Preste atenção na alimentação

Na praia, atente-se à qualidade dos alimentos para prevenir uma intoxicação alimentar. "Alimentos de composição e procedência desconhecidas, preparados fora das normas básicas de higiene e mal embalados ou acondicionados, possuem risco de contaminação, principalmente na praia, já que as altas temperaturas favorecem as contaminações. Então, todo o cuidado é bem-vindo. Na dúvida, o melhor é optar por alimentos industrializados, embalados, dentro da validade e bem armazenados", diz a Dra. Marcella Garcez.

3. Cuide da pele

A hidratação da pele também é indispensável, pois, na praia, ficamos mais expostos a fatores climáticos como o vento, o sol e o calor que podem favorecer o ressecamento. O ideal é apostar em produtos formulados com ativos que reestabeleçam as defesas naturais do tecido cutâneo e que possuam ação calmante e um sistema antioxidante avançado. A Dra. Paola Pomerantzeff recomenda, por exemplo, a Vitamina E, que tem ação antioxidante, imunoprotetora e hidratante, além de possuir efeito calmante e suavizante.

"Mas, em caso de queimaduras, atente-se aos hidratantes intitulados pós-sol, pois alguns possuem uma consistência espessa e oleosa que cria uma barreira emoliente no topo da pele, aprisionando o calor na camada superior da epiderme e exacerbando a inflamação e a sensação de queimadura", diz a dermatologista.

4. Faça esfoliação

Caso sua pele não esteja excessivamente sensibilizada devido ao sol, é interessante realizar uma esfoliação antes da hidratação para recuperar o brilho e o viço perdidos devido à radiação UV. "A esfoliação ajuda a remover as células mortas e impurezas da pele, acelerando a renovação celular e suavizando a superfície do tecido cutâneo, além de aumentar a eficácia dos cosméticos aplicados em seguida", explica a médica Dra. Lilian Brasileiro, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. 

"Porém, é importante ter cuidado ao utilizar o esfoliante, evitando aplicá-lo com muita força para não irritar a pele, o que pode causar vermelhidão, sensibilidade e até piorar manchas, além de promover um efeito rebote na oleosidade", aconselha.

Protetor solar deve ser reaplicado a cada duas horas para proteger a pele
Protetor solar deve ser reaplicado a cada duas horas para proteger a pele
Foto: SNeG17 | Shutterstock / Portal EdiCase

5. Utilize protetor solar

Na praia, a fotoproteção da pele é indispensável para evitar que a radiação ultravioleta cause danos celulares responsáveis pelo fotoenvelhecimento precoce e maior risco de câncer de pele.  "Um protetor solar adequado deve oferecer amplo espectro de proteção solar, com, no mínimo, FPS 30 e um terço desse valor de PPD ou FP-UVA, que indicam o fator de proteção solar contra a radiação UVB e UVA, respectivamente. O produto deve ser aplicado diariamente com reaplicação a cada duas horas, em média", explica a dermatologista Dra. Ana Maria Pellegrini, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Para uma proteção eficaz, a quantidade de produto aplicada também é importante, devendo seguir a regra da colher: "Uma colher de chá para a cabeça, meia colher de café para a face, uma colher de chá para cada braço, duas colheres de chá para o torso (1 para a frente e 1 para as costas) e duas colheres de chá para cada perna (1 para a parte da frente e 1 para a parte de trás)", detalha a especialista.

6. Cuide dos cabelos

A radiação solar também favorece a degradação das proteínas que compõem os fios, tornando-os mais fracos e quebradiços. "Além disso, também pode levar a queimaduras no couro cabeludo, causando um processo inflamatório que favorece a queda capilar e o surgimento de câncer de pele na região", explica o Dr. Danilo S. Talarico, médico pós-graduado em Dermatologia Clínico-Cirúrgica.

Outro dano importante para os cabelos é causado pelo sal da água do mar, que prejudica a cutícula e diminui a quantidade de proteínas na fibra capilar, favorecendo o ressecamento e a quebra. "Para evitar esses danos, é importante fazer uso de fotoprotetores específicos para os fios. Além disso, molhe os cabelos antes de mergulhar, assim já estarão saturados e absorverão uma menor quantidade de sal; e volte para baixo do chuveiro ao sair da água para retirar qualquer resíduo de areia, cloro ou sal dos fios", aconselha o médico.

7. Verifique o termômetro

Ir à praia em dias muito quentes pode ser um problema para pessoas que sofrem com certas condições de saúde, como varizes. "O calor favorece a vasodilatação sanguínea e, consequentemente, o inchaço das pernas, que, se não for controlado e permanecer por longos períodos, pode piorar as varizes em pessoas que já sofrem com o problema", alerta a Dra. Aline Lamaita. 

A vasodilatação gerada pelo calor também é um problema para quem sofre com rosácea. "A rosácea é uma doença inflamatória e crônica caracterizada pelo aumento do número de vasinhos na pele, gerando vermelhidão. Logo, quem sofre com o problema deve evitar a exposição ao sol e ao calor, que pode piorar severamente o quadro de vermelhidão", completa a Dra. Paola Pomerantzeff. Nesses casos, o ideal é evitar ir à praia nos horários mais quentes do dia e, se for, permanecer na sombra e locais mais frescos.

Conheça as melhores praias do mundo; 2 delas ficam no Brasil Conheça as melhores praias do mundo; 2 delas ficam no Brasil

Por Maria Claudia Amoroso

Portal EdiCase
Compartilhar
Publicidade
Publicidade