PUBLICIDADE

Homem fica cego de um olho após dormir bêbado e de bruços; entenda o que aconteceu

O paciente foi diagnosticado com neuropatia óptica isquêmica e coroidopatia

12 fev 2024 - 11h55
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Reprodução/NEJM

Um homem de 44 anos ficou cego de um olho após adormecer embriagado e de bruços. O caso aconteceu em Taiwan e foi registrado no New England Journal of Medicine. A vítima acabou rompendo os vasos sanguíneos do globo ocular.

O paciente procurou um pronto-socorro na cidade de Puzi após três dias de cegueira e dor no olho esquerdo. Ele informou aos médicos que os sintomas começaram após uma noite de bebedeira, seguida pela ingestão de medicamentos para insônia. Ele desmaiou por três horas e acabou adormecendo em uma posição que pressionava o olho afetado.

Durante o exame médico, constatou-se que a pupila esquerda não respondia ao movimento nem à luz. Além disso, ele apresentava oftalmoplegia, indicando paralisia dos músculos oculares e seu olho estava proeminente.

Após investigação, a equipe médica descobriu que a pressão no olho resultou na ruptura dos vasos sanguíneos localizados logo abaixo da superfície transparente do olho, provocando hemorragia e inchaço dos tecidos ao redor do olho. O paciente foi diagnosticado com neuropatia óptica isquêmica e coroidopatia.

Neuropatia óptica isquêmica

A neuropatia óptica isquêmica ocorre quando o suprimento sanguíneo para o nervo óptico do olho é prejudicado, o que interrompe o fluxo de sinais visuais para o cérebro, resultando em perda de visão permanente.

Geralmente, os pacientes ainda retêm alguma visão periférica. Pessoas com hipertensão, colesterol alto, doenças cardíacas e diabetes têm maior risco de desenvolver neuropatia óptica isquêmica devido à sua interferência na circulação sanguínea.

Coroidopatia

A coroidopatia é uma condição caracterizada pelo acúmulo de líquido sob a retina, a camada posterior do olho responsável pela captação de luz e formação de imagens. Os sintomas frequentemente incluem áreas de visão central escura e embaçada, distorção visual e percepção errônea do tamanho ou distância dos objetos.

Os especialistas observaram que historicamente essa condição é conhecida como "retinopatia de sábado à noite", devido à sua associação com o consumo de álcool e substâncias sedativas.

De acordo com o New England Journal of Medicine, o homem recebeu doses elevadas de esteróides para evitar a progressão da pressão intraocular e, após quatro meses, o paciente permanece cego do olho esquerdo.

Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Publicidade