PUBLICIDADE

Endometriose: entenda a doença que atinge Anitta e pode causar infertilidade

Cantora divulgou seu diagnóstico nas redes sociais. Endometriose é a principal causa de infertilidade entre as mulheres

8 jul 2022 - 11h37
Ver comentários
Endometriose: entenda a doença que atinge Anitta e pode causar infertilidade
Endometriose: entenda a doença que atinge Anitta e pode causar infertilidade
Foto: Reprodução Instagram / @anitta / Saúde em Dia

Anitta divulgou ontem eu seu Twitter que recebeu o diagnóstico de endometriose. A cantora contou sofrer de cistite de repetição e relatou ter fortes dores após as relações sexuais. Os sintomas persistem já há 9 anos e a artista teria tentado diferentes métodos e consultado inúmeros especialistas. Apenas recentemente ela recebeu o diagnóstico certo, após uma ressonância magnética.

Anitta não está sozinha. A endometriose afeta de 10% a 15% das mulheres em idade reprodutiva. "Principal causa da infertilidade em mulheres, a endometriose ocorre quando as células do endométrio, mucosa que reveste a parede do útero, não são devidamente expelidas durante a menstruação, se espalhando pelo aparelho reprodutivo, o que atrapalha a implantação do embrião fecundado, e até mesmo por outras regiões como intestino, apêndice e bexiga", explica o Dr. Rodrigo Rosa, médico especialista em reprodução humana.

De difícil diagnóstico

Como relatou Anitta, a endometriose é de difícil diagnóstico, especialmente porque seus sintomas são comumente confundidos com outras condições. Seu principal sintoma é a dor pélvica intensa, que geralmente não recebe atenção por ser confundida com cólicas menstruais. 

"Isso faz com que o diagnóstico da condição seja realizado muito tardiamente, quando as mulheres encontram alguma dificuldade para engravidar. Por isso, o acompanhamento ginecológico regular desde cedo é fundamental", destaca o especialista. Além disso, as pílulas anticoncepcionais, bastante utilizadas no tratamento da endometriose, também podem mascarar os sintomas da condição. Isso contribui para um diagnóstico tardio e para que a doença evolua para um quadro grave sem que a mulher perceba.

Tratamento

A endometriose é difícil de ser prevenida,  já que, apesar de estar relacionada a fatores genéticos e imunológicos, ainda não possui uma causa definida. Felizmente, a condição tem tratamento, que é indicado de acordo com a gravidade e as características individuais da paciente. 

O cuidado geralmente inclui, além da pílula anticoncepcional, analgésicos, anti-inflamatórios e intervenção cirúrgica, como é o caso de Anitta. "O tratamento cirúrgico da endometriose é realizado por meio da laparoscopia, procedimento minimamente invasivo que visa eliminar os cistos causados pela doença", afirma o Dr. Rodrigo. 

Infertilidade

Contudo, vale ressaltar que o tratamento da endometriose não é definitivo, atuando apenas no alívio dos sintomas e controle dos focos da doença. Logo, os sintomas e a dificuldade de engravidar podem retornar após algum tempo. "Além disso, apenas 50% das pacientes tratadas por meio da laparoscopia possuem chances de engravidar futuramente", alerta.

Por conta disso, o médico afirma que a melhor alternativa para mulheres que desejam engravidar, mas sofrem com endometriose é a busca por tratamentos de reprodução humana, como a fertilização in vitro.

"O processo de fertilização in vitro em pacientes com endometriose é igual a qualquer outro. E a boa notícia é que as taxas de sucesso do procedimento em mulheres com a condição são as mesmas de quando a fertilização é realizada por outros motivos, sendo assim um excelente método para aumentar as chances da paciente de ser mãe biológica", explica o Dr. Rodrigo Rosa Filho.

"Porém, antes de optar por qualquer procedimento, é fundamental consultar um médico especialista em reprodução humana, que poderá indicar o melhor tratamento para cada caso de acordo com fatores como idade, histórico de saúde e qualidade dos óvulos", finaliza.

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade